Segundo Bolívia, preço com Argentina já está acertado

País já teria negociado as condições futuras para aquisição de gás boliviano; anúncio segue negociações que vinham acontecendo há semanas

Ariel Palacios, correspondente

BUENOS AIRES - O embaixador da Bolívia na capital argentina, Roger Ortiz Mercado, declarou que o futuro preço do gás que seu país vende à Argentina já está acertado. Segundo ele, o acordo será assinado daqui a uma semana e meia.

Ortiz Mercado sustentou que o preço a ser fixado é "tal como esse que está sendo falado pela imprensa" argentina, ou seja, ao redor de US$ 5,00 o milhão de BTU (unidade de medida do gás).

Em declarações ao jornal "Clarín", o principal do país, o diplomata explicou que o valor estará entre "US$ 5,00 ou US$ 5,50....por aí estarão os preços". O governo argentino mantém silêncio sobre o assunto, sequer confirmando ou desmentindo as afirmações do embaixador boliviano. Atualmente, a Argentina paga quase US$ 3,20 o milhão de BTU.

A Argentina estava tentando conseguir um acordo com a Bolívia há várias semanas. Uma primeira missão enviada à La Paz pelo governo do presidente Néstor Kirchner, comandada pelo Secretário de Energia, Daniel Cameron, terminou em fracasso.

Outra missão está a ponto de partir para a capital boliviana, liderada pelo poderoso Ministro do Planejamento Federal, Julio De Vido, para fechar o acordo. O plano argentino é fechar um acordo de vários anos de duração, ao contrário do governo boliviano, que pretende assinar um trato com duração somente até fins deste ano.

Segundo Ortiz Mercado, o Brasil "não" terá um gás mais barato do que a Argentina: "não. Os acordos serão idênticos na medida em que essa realidade mande. Não podemos ter acordos diferentes. Ambos países merecem nosso maior respeito e o maior carinho da Bolívia".

A dependência da Argentina em relação à Bolívia é menor que a brasileira, pois somente 5% do gás consumido pelos argentinos provém das jazidas bolivianas. Nos últimos anos, a Argentina importou gás boliviano para driblar a crise energética que ameaça o país. Além disso, o reaquecimento da economia argentina implicou em uma demanda crescente de gás que as atuais reservas no país não conseguem abastecer.

O diplomata boliviano também disse que seu presidente, Evo Morales, viajaria à Buenos Aires em uma data ainda a determinar entre os dias 10 e 15 de junho. Será a primeira visita de Estado que Morales realizaria.

Fonte: Agência Estado

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 18h23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Evo Morales lança política boliviana de controle de plantações de coca

El presidente Evo Morales, quien además es líder de los cocaleros del Chapare, lanzó este sábado en la región agrícola de los Yungas, un programa de control de plantaciones de coca para evitar la expansión del narcotráfico.

"El mejor aporte a la lucha contra el narcotráfico es la reducción voluntaria y producción de coca racionalizada por familia, y vamos a demostrar cómo se lucha contra el narcotráfico, sin represión, sin erradicación forzosa, sólo con reducción voluntaria", destacó el gobernante.

La propuesta fue aprobada por miles de productores y colonos en una multitudinaria concentración en un coliseo deportivo de Caranavi, a 120 km al noreste de La Paz, una región eminentemente agrícola.

La producción del arbusto en los Yungas está permitida hasta un volumen de 12 mil hectáreas exclusivamente para uso tradicional, pero las autoridades sospechan que hay un excedente de unas cuatro mil.

Una draconiana legislación antidroga aprobada en la década de los 90 a instancias de Estados Unidos, pero que en los hechos quedó en desuso desde la asunción de Morales en enero, permite el cultivo para el 'acullico' (masticación) y para fines medicinales y rituales.

Morales propuso "una extensión limitada de cultivos de coca por familia, para que no haya exceso de coca" y afirmó que esa meta supone "erradicación voluntaria, concertada (pero) sin que haya cero de coca" como pretende Estados Unidos, principal consumidor de cocaína del mundo.

Un 77% de la hoja de coca producido en esta región de La Paz estaría siendo canalizado hacia fines ilícitos, según el responsable de la Dirección General de la Coca (Digeco), Luis Cutipa.

Morales contrastó el carácter voluntario de la campaña de racionalización y erradicación de coca con las que llevaron en el pasado sus antecesores, y que dejaron muertos y heridos, especialmente en el Chapare.

Los gobiernos de Gonzalo Sánchez de Lozada (1993-97 y 2002-2003) y de Hugo Banzer (1997-2001) y Jorge Quiroga (2001-2002) lanzaron feroces campañas contra la coca apuntalados por la inflexible política de Washington.

Los gobiernos de Banzer -que antes había ocupado el cargo de facto entre 1971 y 1978- y de Quiroga, lograron eliminar con fuerte intervención militar y policial y un saldo de decenas de muertos unas 60 mil hectáreas de coca en un quinquenio.

La hoja, principal insumo de la cocaína, se cultiva también en el Chapare (centro del país) y estaba severamente restringida por la ley hasta 2003 cuando los sindicatos acordaron con el ex presidente Carlos Mesa fijar una extensión de 1.200 metros de plantaciones por familia cocalera.

Se estima extraoficialmente que en el Chapare, reducto sindical y político de Evo Morales, existen unas 23.000 hectáreas de coca.

En desacuerdo con la política boliviana antidroga, Washington redujo su cooperación antidroga en 11 millones de dólares y la fijó en 80 millones para 2006. El recorte del próximo año será más drástico y el monto final se estacionará en 67 millones de dólares, según anunció Estados Unidos.

Morales informó además que "hay un proyecto para Chapare y otro para Yungas para la industrialización de la hoja y nuestra política será la industrialización con fines benéficos para la humanidad".

También instó a plantar cafeto, de reconocida calidad en la zona, pero el "orgánico y ecológico" porque si "el producto es transgénico nos van a derrotar en el mercado internacional".

 

Fonte: El Deber, da Bolívia

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 18h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Montesinos causa turbulência eleitoral com acusação a Humala

A acusação do ex-chefe da inteligência peruana Vladimiro Montesinos contra um dos candidatos presidenciais de colaborar com o ex-presidente Alberto Fujimori provocou hoje um terremoto eleitoral, a um dia do debate entre os aspirantes para governar o Peru.

Montesinos, em declaração gravada por sua advogada, disse que o candidato nacionalista Ollanta Humala ajudou  Fujimori em sua segunda reeleição em 2000, ao fazer uma rebelião contra o ex-presidente peruano que foi uma farsa.

A declaração foi difundida, ontem à noite, por vários canais de televisão e rádios. O tema foi reportado hoje em todos os jornais e alterou a agenda de Humala y de seu rival o ex-presidente social-democrata Alan García, o  favorito do segundo turno de 4 de junho e que seria o beneficiado com as declarações de Montesinos.

"Alan García não necessita de nenhuma intervenção alheia para manter a tendência das pesquisas", disse García em entrevista a rádio RPP.

"Não vou utilizar este tema no debate de domingo, prefiro não falar deste tema", assinalou ex-presidente.

Huamala, um militar reformado temido pelos adversários por seu discurso radical contra o livre mercado, rebateu a acusação de Montesinos e afirmou que elas só beneficiam García.

"Quero expressar minha indignação pelas declarações do sujeito Montesinos", dsse Humala "A quem beneficia as declarações  que mancham a honra de Ollanta Humala?", se perguntou. "Evidentemente a Alan García", respondeu Ollanta.

 Fonte: REUTERS

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 17h46
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Entenda o que está acontecendo com o PMDB

A convenção do PMDB de dezembro de 2004 decidiu que o partido teria candidato próprio a presidente da República. Durante algum tempo ela ficou sub-judice, pois os peemedebistas governistas conseguiram uma liminar junto ao STJ.

As prévias para a escolha do candidato do PMDB ocorreram com a convenção, ainda, sub-judice. Concorreram Germano Rigotto e Anthony Garotinho, com a vitória do último.

A liminar foi julgada pelo pleno do STJ que validou a convenção de dezembro de 2004, com isso o resultado da prévia ganhou força.

Os governistas do PMDB, sempre em minoria, decidiram jogar uma cartada decisiva e convocaram uma nova convenção para 13 de maio. O objetivo dos governistas foi cooptar os defensores da candidatura derrotada de Germano Rigotto. A greve de fome de Garotinho, uma resposta estapafúrdia as denúncias que vinha sofrendo de O Globo e Veja,  facilitou a operação de Renan, Sarney e companhia limitada.

Os governistas ganharam no dia 13 de maio, mas não levaram, pois Garotinho conseguiu uma liminar que transformou a convenção em consulta formal.   

E como o blog previu, Garotinho agiu com a proposta da retirada de sua candidatura e o lançamento da de Pedro Simon, um histórico sem rabo preso. Imediatamente, após o resultado em que foi derrotado, anunciou a jogada.

Dessa forma, Garotinho minou a resistência de lideranças do partido que eram favoráveis à candidatura própria, mas contrárias a que ele fosse o candidato do PMDB. 

Pedro Simon, sem dizer sim, nem não, está em campanha, pois um levantamento informal demonstrou que a favor da solterice do PMDB estão 9 diretórios: o Acre, Alagoas e Rio Grande do Norte que tendem a apoiar Alckmin e o Amazonas, Goiás, Pará, Paraíba, Roraima e Tocantins que pendem para Lula.

Cinco estão indefinidos, em situação complicada, pois não tem espaço nos palanques de Lula e Alckmin. São o Amapá e o Maranhão, de José Sarney, Bahia, Ceará e Espírito Santo.

Os 13 restantes, entre eles os maiores, são favoráveis a candidatura própria, que sendo Pedro Simon nada tem a opor, muito pelo contrário.

Além disso, pesquisas em poder da executiva, demonstram que existe uma fatia de 40% do eleitorado à espera de um candidato que não seja Lula, nem Alckmin.

Portanto este é o quadro atual do PMDB. Os governistas estão tentando derrubar a liminar que invalidou a convenção de 13 de maio e ao mesmo tempo colhendo assinatura para que não aja a convenção de 11 de junho.

Uma operação complicada, pois se existir a inscrição de uma candidatura a presidente, a executiva por lei é obrigada a convocar a convenção. 

Pelo visto, a agonia do PMDB, ainda, vai durar alguns dias. 

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 14h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

INFORMAÇÃO e OPINIÃO -IOCM- !
ex-Blog do Cesar Maia    
20/05/2006

COMEÇA A CAMPANHA DE ALCKMIN ! AGORA SIM !

Faltam alguns detalhes. Precisam saber em pesquisa como adjetivar Lula, e com que valores diferenciar Alckmin, de forma que a água que escape de Lula seja absorvida -natural e residualmente- pela esponja de Alckmin.

Folha de SP.
Contra Lula, Tasso defende "grande campanha negativa"

O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), disse ontem a empresários e investidores nos Estados Unidos que o foco da campanha presidencial tucana será abalar a imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e responsabilizá-lo pelos escândalos de corrupção que derrubaram seus amigos no governo. "Teremos de fazer uma grande campanha negativa para mostrar que ele [Lula] estava ciente da corrupção."

Segundo Tasso, só assim será possível eleger Geraldo Alckmin (PSDB), que avaliou ser um candidato sem carisma e que terá profundos problemas para contornar o impacto da crise de segurança em São Paulo.


VOCÊ SE LEMBRA DESTE MIMO QUE LULA FEZ AO EVO MORALES ?

LEI Nº 11.181, DE 26 DE SETEMBRO DE 2005.

Autoriza o Poder Executivo a doar 6 (seis) aeronaves T-25 à Força Aérea Boliviana e 6 (seis) à Força Aérea Paraguaia.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º Fica o Poder Executivo, por intermédio do Ministério da Defesa, autorizado a doar às Forças Aéreas Boliviana e Paraguaia 12 (doze) aeronaves de treinamento, 6 (seis) para cada Força, de fabricação brasileira, tipo T-25 A UNIVERSAL, acionadas por motor Lycoming IO-540K1D5, do acervo da Força Aérea Brasileira.
Art. 2º As aeronaves serão doadas no estado em que se encontram, e as despesas com seu traslado correrão a expensas das Forças Aéreas Boliviana e Paraguaia.
Art. 3º A doação de que trata esta Lei será feita mediante termo lavrado perante o Chefe do órgão competente do Comando da Aeronáutica.

Brasília, 26 de setembro de 2005; 184º da Independência e 117º da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA


VEJA DIZ QUE DANTAS ENTREGOU MESMO, MAS CONTINUA NEGOCIANDO NA OUTRA PONTA !

Dantas fez, entregou e continua operando
Documentos desmentem o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, e derrubam suas versões sobre o dossiê que passou a VEJA. Mas ele ainda conversa com o governo.


SENADOR PEDRO SIMON NO ZERO HORA, ARTICULANDO CANDIDATURA PRÓPRIA !

Zero Hora - O senhor será candidato a presidente da República?

Pedro Simon - Ainda não aceitei. Estamos em um movimento pela candidatura própria. Primeiro, temos de construir um grande entendimento nessa direção com os governistas do PMDB José Sarney (AP) e Renan Calheiros (AL). Há uma grande articulação para garantir a candidatura própria. O meu trabalho será investir na conversa com Calheiros e Sarney para buscar isso. - Quero muito que o Brasil tenha um candidato ao Planalto pelo PMDB. Não precisa ser eu. Creio que não uno o partido. Bati muito nos governistas. Quero buscar o diálogo. Só é possível se os governistas aceitarem. A expectativa é de que a gente se entenda. Lancei a tese da candidatura própria. Agora, estou na expectativa para ver como e quando eles irão me receber. Quero mostrar a importância de termos um candidato do PMDB em meio à crise de autoridade no país.


PAULO ROBERTO DE ALMEIDA,( ex-ministro conselheiro em Washington), comenta as contradições do IBGE sobre a Fome:

A pesquisa de 2005 era uma pesquisa efetiva, dotada de metodologia própria.Essa que saiu agora é o que se chama de "enquete", na qual os "pesquisadores" do IBGE perguntaram para as pessoas se elas tinham sentido fome alguma vez nos últimos meses. Obviamente, milhares de pobres disseram que sim, o que permitiu construir esse fabuloso universo de famintos e famélicos em todo o Brasil. Pergunto-me, inclusive, se esta enquete não foi feita expressamente para legitimar o Fome Zero do Lula...


THE ECONOMIST: ECONOMIA E CRIME NO BRASIL !

BBC, em 20/05/2006

'Economist': SP é regida pela lei ou por bandidos?

A violência que matou mais de 160 pessoas em São Paulo é tema de reportagem da revista britânica The Economist desta semana, que afirma que "ação do PCC despertou dúvidas se São Paulo, o motor da economia brasileira, é regida pelas leis ou por bandidos" e afirma que "durante vários dias, os paulistanos não puderam sequer reivindicar que sua cidade era mais segura que Bagdá". A publicação dedica a capa de sua edição aos países latino-americanos, com a manchete "A batalha pela alma da América do Sul". Em diferentes textos, a revista aborda a disputa entre supostos líderes democratas e populistas da região, a violência em São Paulo, as medidas de nacionalização na Bolívia e no Equador e a situação sócio-economômica dos países latinos.


CESAR ROMERO JACOB: RELIGIÃO E SOCIEDADE NO RIO !

Entre 19 capitais pesquisadas, o Rio de Janeiro é a penúltima empercentual de católicos - 61% - só perdendo para Goiânia. Na região metropolitana esse número cai para 48%, como também nas áreas mais pobres da capital, como Santa Cruz e Campo Grande. Ao todo, são evangélicos pentecostais 649 mil cariocas (11,3%) e 731 mil moradores da região metropolitana (17%). Entre os moradores das favelas, há 17% de pentecostais e o percentual de católicos é de 54%, abaixo dos 61% da média da cidade. É expressivo, também, os 13% dos que se declaram sem religião. Na comparação entre os dados do censo de 1991 e 2000, observa-se uma queda de 8,2 pontosn o percentual de católicos e um crescimento de 6,4 pentecostais na periferia, mais do que os 4,7 registrados na capital.

O recorte de renda se confirma na pesquisa: 21% dos que ganham até dois salários mínimos são pentecostais e, entre eles, 58% vivem com rendimentos até um salário mínimo. Com as estatísticas locais é possível saber, por exemplo, que os municípios de Nova Iguaçu, Belford Roxo e Duque de Caxias têm percentuais de fiéis pentecostais em torno de 30%. Os 61% dos católicos estão concentrados nos bairros da Zona Sul, Barra da Tijuca e Recreio. Já os evangélicos tradicionais são apenas 5% e estão nas camadas médias dos moradores da capital. Esse padrão de comportamento forma, em todas as regiões metropolitanas pesquisadas, o que os autores chamam de "anéis pentecostais".


MAIS DO GAROTINHO !

Garotinho -no meio da lama das denúncias do ongoduto, disse a dirigente do sistema Globo que iria a forra, iria fazer e acontecer. Em seguida multou a NET, e agora quer parar as obras no estádio de remo da Lagoa porque o concessionário é -ou foi- aparentado de dirigente da Globo. O PAN-07 que se.......deixe para lá !

Bem,...ah,..é o Garotinho. O pior ele nem sonhou ainda: é o que vem aí pela frente ! Vai ter que retaliar muito mais gente. E como.....

Chamada de capa de O DIA:
Lagoa: obra no estádio de remo da Lagoa tem que parar


Pesquisa e Edição : JCM

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 11h50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Apoio formal à reeleição de Lula divide PSB

  A possível oferta do PT ao ex-ministro Ciro Gomes para ser o vice na chapa encabeçada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva à reeleição fez o PSB mudar o tom do discurso. Antes contrária à aliança formal em torno do petista, a direção do partido agora tenta apagar incêndios para viabilizar a indicação de Ciro. O presidente nacional do PSB, deputado Eduardo Campos (PE), já decidiu fechar a coligação. A interlocutores, ele tem afirmado que a coligação reforçaria as candidaturas do partido aos governos de pelo menos seis Estados: Amapá, Rio Grande do Norte, Maranhão, Ceará, Pernambuco e Goiás. Nesses locais, Lula subiria no palanque dos socialistas.
  O PSB ainda leva em conta a possibilidade de chegar ao Palácio do Planalto, numa eleição que, apontam as pesquisas, pode ser decidida ainda no primeiro turno.
  Os diretórios de São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina não aceitam de imediato a aliança formal com o PT. Mas esses diretórios devem ser voto vencido na convenção nacional do partido, marcada para junho.
  O problema é que ao optar por indicar o vice na chapa de Lula, o PSB estará abrindo mão de superar a cláusula de barreira. A regra entrará em vigor nas eleições deste ano e obriga os partidos a conquistarem 5% dos votos válidos —sendo 2% em nove Estados.
Fonte: Tribuna da Bahia

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Cláudio Lembo

por Sebastião Nery

Numa surpreendente e valente entrevista à Mônica Bergamo, da "Folha", o respeitado professor, reitor da Universidade Mackenzie, chegado ao Palácio Bandeirantes como vice de Geraldo Alckmin, traçou um retrato devastador e verdadeiro da "burguesia muito má", da "minoria branca muito perversa".

No Brasil, criou-se a teoria cínica de que político bom nunca diz o que pensa. E por isso Osvaldo Aranha disse que "somos um deserto de homens e de idéias". Pois o governador Lembo, embaixo da marquise de suas florestais sobrancelhas, analisando o terror desencadeado em São Paulo pelo crime organizado, pôs o dedo na apodrecida ferida social do Brasil:
"Nós temos uma burguesia muito má, uma minoria branca muito perversa. Nossa burguesia devia é ficar quietinha e pensar muito no que ela fez neste País. Se não mudarmos a mentalidade brasileira, o cerne da minoria branca brasileira, não vamos a lugar algum".

Cinismo

1 - "O Brasil está desintegrado. Temos que recompor a sociedade. A questão social é muito grave. A desintegração familiar que existe no Brasil é muito grave. Sou laico, mas falta qualquer regramento religioso. O Brasil está desintegrado e perdeu seus valores cívicos. O Brasil só acredita na seleção".

2 - "Nas suas lindas casas, dizem que vão sair às ruas fazendo protesto. Vão fazer protesto nada. Vão é para o melhor restaurante cinco estrelas, junto com outras figuras da política brasileira, fazer um bom jantar".

3 - "O Brasil é um País cínico. É disso que precisamos ter consciência. O cinismo nacional mata o Brasil. Este País tem que deixar de ser cínico. O Brasil é o País do duplo pensar. As pessoas estão falando apenas para o público externo. É um País que é dúbio".

Burguesia

4 - "Vi dondocas de São Paulo dizendo coisas lindas. Não podiam dizer tanta tolice. Todos são bonzinhos publicamente. E depois exploram a sociedade, seus serviçais, exploram todos os serviços públicos. Querem estar sempre nos palácios dos governos, porque querem benesses do governo".

5 - "A bolsa da burguesia vai ter que ser aberta para poder sustentar a miséria brasileira, para haver mais empregos, mais educação, mais solidariedade. É a formação histórica do Brasil. A casa grande e a senzala".

6 - "A casa grande tinha tudo e a senzala não tinha nada. É um País que, quando os escravos foram libertados, quem recebeu indenização foi o senhor, não os libertos, como aconteceu nos Estados Unidos. É um País cínico".

IBGE

O governador Lembo nem precisou dar exemplos da contundente verdade do que ele dizia. Nos jornais do mesmo dia, estava lá o contraste dos números obscenos da realidade nacional, divulgado pelo Banco Central e IBGE:

1 - Os grandes bancos brasileiros tiveram todos, no primeiro trimestre (apenas em janeiro, fevereiro e março), mais de R$ 2,5 bilhões de lucros cada. Jamais ganharam tanto quanto com Lula. E em nenhum outro país existe isso.

2 - No Brasil, em números redondos, 110 milhões de pessoas (60%) têm "segurança alimentar". Quer dizer, não passam nenhum tipo de fome. E 70 milhões (40%) têm "insegurança alimentar" (algum tipo de fome).

3 - Desses, 32 milhões têm "insegurança alimentar leve" (passam fome só às vezes), 25 milhões têm "insegurança alimentar moderada" (passam fome mais vezes) e 14 milhões têm "insegurança alimentar grave" (quer dizer, passam fome mesmo, permanente).

Frota

Também nos jornais, lá estavam estas informações aparentemente desimportantes, mas de uma "insegurança moral" gravíssima:

1 - Oito carros (isso mesmo, oito) da Presidência da República servem, em Santa Catarina, à filha do presidente Lula. Servem a ela e aos seguranças.

2 - Doze carros (isso mesmo, doze) da Presidência da República servem, em São Bernardo, São Paulo, aos outros filhos do presidente Lula.

Fonte: Tribuna da Imprensa

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O candidato Lula

Ricardo Stuckert/ABr

O presidente Lula assediado pelas fãs em Natal

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Os baba ovos

Os colunistas políticos passaram a semana especulando o que teriam ido fazer em Nova York os tucanos Tasso Jereissati, Aécio Neves, José Serra e Fernando Henrique. Fofocaram o quanto puderam, sempre alfinetando Geraldo Alckmin, empossado como o Cristo do momento.

Os colunistas sabiam o que os tucanos foram fazer em NY. Eles foram babar o saco de Roger Agnelli, presidente da Vale do Rio Doce, agraciado com o prêmio Homem do Ano 2006, da Brazilian American Chamber of Commerce, em festa acontecida no Waldorf Astoria Hotel. José Sarney também estava lá, mas foi poupado pelos colunistas. 

Será que os tucanos e Sarney foram como convidados da Vale?  

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

PT não acredita na opção Simon

Candidato ao Senado que mais teria a lucrar se Pedro Simon disputar a Presidência da República, o ex-ministro Miguel Rossetto não acredita nessa hipótese.

Acha que o PMDB está mais preocupado em garantir as candidaturas regionais e vai se dividir entre Lula e Geraldo Alckmin.

Também o ministro Tarso Genro, responsável pela coordenação política, está convencido de que a candidatura de Simon não prospera.

Tarso ainda trabalha pelo apoio do PMDB ao presidente Lula.

Fonte: Coluna de Rosane de Oliveira, do Zero Hora

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Freire admite apoio do PPS a Simon

 

O presidente da sigla e candidato ao Planalto avalia que entrada do senador gaúcho na disputa favorece aliança

IARA LEMOS

language=JavaScript>

Candidato do PPS à Presidência da República, o presidente nacional da legenda, deputado federal Roberto Freire (PE), sinalizou ontem que o partido pode apoiar o PMDB se o senador Pedro Simon entrar na corrida ao Planalto.

Em entrevista coletiva ontem na Câmara Municipal de Porto Alegre, Freire se mostrou satisfeito com a possibilidade de Simon ser escolhido candidato:

- Não teria problema na coligação com o PMDB. Até porque o PPS é de origem do PCB, e eu sou um dos fundadores do antigo MDB.

A manifestação em favor da candidatura peemedebista está nos discursos de Freire desde que o presidente do PMDB de São Paulo, Orestes Quércia, lançou, juntamente com Simon, o ex-presidente Itamar Franco para a disputa. Itamar disputou a prévia do PMDB no dia 13 com o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho. O partido decidiu não ter candidatura própria, mas no mesmo dia começaram as articulações para lançar o nome de Simon.

- Se um partido como o PMDB abdicar de ter candidato perde condições de discutir um projeto nacional. Seria inadmissível o PMDB não participar - afirmou.

Segundo Freire, a sigla segue em negociação com o PDT, mas a aliança começa a ficar distante. Ele atribui o desfecho à rigidez do PDT, que condicionou o acordo nacional ao apoio do PPS à candidatura de Alceu Collares ao Piratini. Uma aproximação com o PP, que tem Francisco Turra na disputa, começa a surgir.

- Só se for (aliança) com o PP do Rio Grande do Sul. Do PP nacional eu quero distância. Aqui dá para dialogar - disse o presidente do PPS.

Fonte: Zero Hora

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

TSE põe fim a Casa de Mãe Joana

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, por unanimidade, que não cabe aos tribunais regionais eleitorais editarem regras sobre propaganda eleitoral. A medida foi adotada em razão de uma representação movida pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) contra o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas. Os ministros entenderam que, ao criar instruções sobre propaganda eleitoral, o Tribunal Regional de Alagoas teria usurpado atribuição reservada, por lei, ao Tribunal Superior Eleitoral.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O racha no PMDB

O maior partido do Brasil enfrenta um impasse. Uma divisão entre os integrantes dificulta a candidatura própria, mas Michel Temer ainda acredita na chegada ao Planalto

ÉPOCA Online

'Ainda defendo a candidatura própria.' A frase é do presidente nacional do PMDB, Michel Temer, e acirra o clima de indefinição no partido. No dia 13 de maio, em convenção extraordinária, ficou decidido que o PMDB não teria candidato próprio para presidente da República. A diferença foi pequena: apenas 48 votos. Isso mostra que há um verdadeiro racha e que ainda não há certezas quanto à posição do partido nas eleições deste ano. Para Temer, também há muita especulação. 'Há as mais variadas informações. O que eu posso dizer é que não tem nada definido', diz ele. Nesta entrevista à ÉPOCA Online, o deputado fala sobre a sucessão presidencial, a política de alianças e a identidade nacional que o PMDB precisa.

Leia mais aqui.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

PSOL quer Heloísa em outra disputa

A senadora Heloísa Helena (PSOL/AL), deu a entender, ontem, em Manaus, que pode desistir de ser candidata à presidência da República, nas eleições de outubro. Ela afirmou que tem sofrido pressões de membros de seu partido para sair candidata ao Senado ou ao Governo do Estado de Alagoas, cargos para os quais possui maiores chances de se eleger.

Helena salientou, no entanto, que é praticamente “nula” a possibilidade de abdicar da disputa pela sucessão do presidente Lula. “A não ser que tenha um nome melhor que o meu”, falou.

A senadora voltou a afirmar que não está preocupada com a possível derrota na disputa pela presidência da República. Ela disse que o PSOL não vai fazer negociatas no afã de formar um leque grande de alianças, apesar de o partido estar ameaçado pela cláusula de barreira.

A senadora revelou que o PSOL tem buscado o diálogo com o PSTU e com o PCB , visando costurar uma aliança futura entre eles para as eleições deste ano. Ela destacou que a concretização da aliança dependerá primeiro de um acerto sobre o programa de governo. “Somos um partido pequeno, mas não um partido nanico que funciona como satélite de grandes partidos ou como moeda de troca do jogo eleitoral. O PSOL não almeja ser um partido grande se tiver que virar uma gangue partidária”, enfatizou.

Heloísa Helena afirmou que o PSOL definirá, ainda este mês, em um encontro nacional, a estratégia do partido para eleições deste ano, entre elas, se terá candidato para o Governo do Amazonas.

O nome mais cotado do PSOL para o cargo, no Estado, é o do professor universitário Aloysio Nogueira. Ele disse que o partido, com certeza, terá candidato. “Não para marcar posição, mas para se apresentar como alternativa”, salientou.

Fonte: A Crítica, de Manaus

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Blog Caneta sem Fronteira, de Walter Junior

Mais uma genial

Violência lá. Censura aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Genial

Fonte: Site Corrêa Neto

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Jornal do Amapá veicula edição de protesto após decisão judicial

Da Redação

O jornal Folha do Amapá circula nesta sexta-feira (19/05) com uma edição de protesto. Na manchete, a frase: “PDT quer calar a Folha do Amapá”. Na última quarta-feira (17/05), uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Estado determinou a suspensão da edição eletrônica número 571, veiculada na semana passada (12/05). A circulação do jornal é semanal.

Segundo a editora-chefe Maracimoni Oliveira, a decisão de atacar o partido foi de toda a direção do semanário. “Tomamos esta postura porque, no nosso entendimento, o que aconteceu conosco é censura”. Ela revela ainda que a publicação teme que o pedido de liminar sirva como exemplo negativo em ano de eleição.

O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Amapá, Volney Oliveira, informou que a diretoria da instituição vai se reunir neste sábado (20/05) para decidir que posicionamento tomar. A Associação Nacional dos Jornais divulgou nota de repúdio à decisão da Kustiça do Amapá (leia a íntegra da nota ao final da matéria). O vice-presidente do PDT do Amapá, ex-senador Sebastião Rocha, disse que o partido ainda não se reuniu para tratar da questão.

Entenda o caso
A reportagem: “Sólida demite, dá calote e some”, publicada na sexta-feira passada (12/05), divulgou a demissão em massa da empresa Sólida Mineração. “Anunciada com toda pompa por Waldez Góes como símbolo da geração de emprego e do crescimento do Amapá, a Sólida Mineração acaba de demitir todos os funcionários”. O tom da reportagem é mais agresso em outro trecho. “O governador e a empresa anunciavam a geração de 500 empregos diretos e investimentos da ordem de US$ 5 milhões. No entanto, tudo não passava de propaganda enganosa”. A Folha é ligada ao ex-governador João Capibaribe (PSB).

Na quarta-feira, o juiz auxiliar Anselmo Gonçalves da Silva concedeu liminar ao Partido Democrático Trabalhista ordenando que a edição online fosse retirada do ar. Na decisão, o juiz estipulou multa de R$ 5.000,00 caso o jornal descumprisse a ordem. A Justiça entendeu que na reportagem “há nítida intenção de denegrir a sua imagem [do atual Governador Waldez Góes, possível candidato à reeleição] perante o eleitorado em geral. Seu nome é citado em diversas passagens, de forma sarcástica e demeritória".

No lugar da reportagem, a Folha do Amapá publicou a íntegra da decisão com um fundo negro e, ao final, a frase: “Edição retirada do ar por decisão judicial eleitoral a pedido do PDT-AP, o partido do governador Waldez Góes".

Nota da ANJ
"A Associação Nacional de Jornais (ANJ) condena com veemência a decisão do juiz auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá Anselmo Gonçalves da Silva, tomada ontem, de determinar a suspensão da edição eletrônica nº 571 do jornal Folha do Amapá.

Trata-se de caso evidente de censura à imprensa, embora ela seja expressamente proibida pela Constituição. O juiz alegou que matéria do jornal com críticas ao governador do Amapá é “propaganda eleitoral antecipada negativa”, numa esdrúxula definição jurídica. Na verdade, é matéria jornalística, que não pode, sob nenhum argumento, ter sua divulgação proibida.

A legislação brasileira tem instrumentos próprios para quem busca reparar danos causados por matéria jornalística. Mas a proibição prévia ou posterior da divulgação de informações é clara ilegalidade.

A ANJ lamenta que tal ato parta exatamente do Poder Judiciário, guardião da lei e da liberdade".

Fonte: Site Comunique-se

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Mercadante: "Faltou autoridade ao Estado para enfrentar crime"

O senador e pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, foi direto em relação à onda de violência do crime organizado que nos últimos dias fez cerca de 140 mortos no Estado, durante reunião com a bancada estadual do PT da última quarta-feira (17), na Assembléia Legislativa: faltou autoridade por parte do Estado para tomar medidas preventivas e orientar a população.

A reunião, previamente agendada, era para tratar sobre políticas públicas para o Estado de São Paulo, mas o assunto que dominou os debates foi a crise da segurança pública e o avanço do crime organizado, atribuído ao Primeiro Comando da Capital (PCC), organização criminosa que controla os presídios paulistas. “São Paulo não pode voltar a viver um cenário como este dos últimos dias, expressão do colapso da política prisional do Estado de São Paulo”, disse Mercadante para 21 dos 22 deputados estaduais do PT.

Clique no título e leia matéria completa.

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h06
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Governo federal não repassou um vintém aos estados

A burocracia e questões legais impediram que qualquer convênio relacionado à segurança pública fosse celebrado, este ano, entre o Ministério da Justiça e os Estados. O Estado de São Paulo (SP), por exemplo, alvo dos episódios de violência que começaram no último dia 12, não foi contemplado com qualquer convênio, seja por parte do Fundo Penitenciário (FUNPEN) ou por meio do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). Além disso, do total de convênios assinados pela Justiça com SP, em 2005 (R$ 51,7 milhões), ainda faltam liberar R$ 22,7 milhões.

Leia mais aqui.

Fonte: Site Contas Abertas

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 05h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Manchetes de sábado - 20 de maio

JORNAL DO BRASIL - Planos de saúde sobem 9%

FOLHA DE SÃO PAULO - Estado restringe visitas a presídios

O ESTADO DE SÃO PAULO - Celulares mudos e cadeia sem visita: cerco ao PCC

O GLOBO  - Cresce pressão sobre governo de SP por listagem de mortos

CORREIO BRAZILIENSE - Plano de saúde sobe mais que a inflação

Leia os destaques dos jornais aqui.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 05h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Recordar é viver

No sábado, 13, enquanto rolava a reunião do PMDB, o blog postou o artigo abaixo, no qual afirmava que Garotinho ia atazanar o juízo de Renan, qualquer que fosse o resultado do convescote peemedebista, haja vista que, Garotinho conseguiu uma liminar que transformou a convenção em uma consulta informal.

Garotinho não esperou para dar o troco, ao saber o resultado, lançou a candidatura de Pedro Simon no lugar da sua. Agora Renan, Sarney e companhia limitada vão ter que correr atrás do drible de Garotinho, pois a candidatura própria com Simon começa a decolar com o apoio de alguns que no sábado votaram com os governistas.

O time de Renan e Sarney corre contra o tempo, tentando desfazer a convenção de 11 de junho, o que é uma tarefa difícil.   

Renan está brincando com fogo

Quem conhece a resistência e a ousadia do ex-governador Anthony Garotinho acha que o senador Renan Calheiros está brincando com fogo. A reunião de hoje, que os governistas do PMDB estão chamando de convenção, não vale muita coisa. A que vale é a obrigatória em junho. Esta sim, é que vai decidir tudo no PMDB.

Enquanto isso, tem um montão de gente que vai ficar esperando pelo PMDB e adiando o início de suas campanhas.

Um destes casos é o de Alagoas, alías, a causa de toda esta luta de Renan para ter o PMDB livre de uma candidatura própria a presidente da República. É que na terra dos Marechais, Renan é aliado do PSDB, do PDT e do PSB. A intenção do peemedebista alagoano é indicar o vice na chapa encabeçada pelo senador Teotônio Vilela, mas para isso ele precisa retirar o empecilho Garotinho de sua frente.

Na verdade Renan é um político paroquial, ele só olha para o próprio umbigo, apesar de posar nacionalmente como um político antenado com o país. Infelizmente a imprensa nacional, ainda, não percebeu isso. 

A real intenção de Renan é a partir de 2010 vir a ser em Alagoas, o que Sarney é para o Maranhão.

Só que tudo pode vir abaixo, pois ele está enfrentando um adversário perigoso. Garotinho não vai deixar barato o que acontecer hoje e tem até junho para atormendar Renan.

Bem faz José Sarney, que abre pouco a boca. 

Recordar é viver (2)

Ainda, no sábado, 13, ao postar o resultado o blog escreveu:

Estavam todos no programa

Quem viu o programa do PMDB na quinta-feira, em rede nacional de televisão, pode ver os eleitores do Garotinho. Todos os que aparecem, devem ter votado hoje pela candidatura própria.

No referido programa não apareceu um governista do PMDB ou oposicionistas contrários a candidatura própria, caso do Geddel Viera Lima, da Bahia.

Estava escrito no programa de quinta-feira do PMDB o que iria acontecer hoje.    

Com uma diferença de apenas 48 votos a seu favor, os governistas tiveram uma vitória de birro, pois anunciaram uma lavagem. O placar ficou assim: 351 contra a candidatura própria, 303 a favor, um nulo e dois em branco.

De hoje até 11 de junho muita água vai passar por debaixo da ponte. Quem viver virá.

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 19h21
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Mais uma "by" Lula

“Isto[quando se faz uma escola] é investimento, gasto é quando se faz uma cadeia”, disse o presidente Lula, hoje, na Praia do Forte, em Natal.

Até no frasismo o presidente Lula está parecido com FHC. 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 17h43
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

header

Para maiores informações clique aqui.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 17h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O pau que dá em Chico, dá em Francisco

Prisioneiros de Guantánamo enfrentam soldados dos EUA com armas improvisadas

WASHINGTON (AFP) - Prisioneiros com "armas improvisadas" enfrentaram os guardas norte-americanos que tentavam evitar uma quarta tentativa de suicídio num só dia no campo de detenção de Guantánamo, informaram as forças armadas dos Estados Unidos nesta sexta-feira.

Os guardas entraram num complexo de "segurança intermediária", onde um prisioneiro tentava se enforcar, disse Robert Durand, porta-voz da força de tarefa conjunta de Guantánamo que dirige a instalação situada na ilha de Cuba.

"Quando os guardas entraram no recinto para salvar a vida do detido, alguns prisioneiros tentaram impedi-lo usando ventiladores, aparelhos elétricos e outros objetos como armas improvisadas", assegurou.

Segundo o comandante Durand, para controlar o tumulto e prevenir o suicídio foi utilizada uma "força mínima".

Um dos detidos tentou enforcar-se e outros três ingeriram excesso de medicamentos, contou Robert Durand. Dois deles continuavam hospitalizados, mas sem risco de morte.

A direção da penitenciária de Guantánamo não precisou a nacionalidade dos detidos. As tentativas de suicídio ocorreram no mesmo dia em que os Estados Unidos anunciaram a libertação de 15 presos sauditas.

Desde que começou a funcionar, em 2002, houve 41 tentativas de suicídio, por parte de pelo menos 23 prisioneiros.

Os Estados Unidos mantêm como prisioneiros em Guantánamo pessoas capturadas no Afeganistão depois da invasão deste país em seguida aos ataques de 11 de setembro de 2001.

Atualmente há 460 prisioneiros, dos quais 10 foram formalmente acusados mas nenhum julgado.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 16h43
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

OCASO DE UM PRESIDENTE

João Silva

Ninguém agüenta mais nem há mais tempo pra ter esperança porque o governo de Luis Inácio da Silva, trigésimo sétimo presidente eleito da República Federativa do Brasil, parece ter acabado meses antes de enfrentar nas urnas o julgamento do povo brasileiro.Da minha parte, vou logo dizendo que o presidente fracassou naquilo mais sagrado ao PT, que fundou com alguns companheiros para ser um partido diferente, para instalar no poder um projeto de governo capaz de devolver a esperança aos pobres, aos desvalidos do nosso País.

O Brasil real é o que está ai, sacudido por organizações criminosas que matam 35 agentes da lei num final de semana.Isso vem de longe, não se pode endireitar do dia pra noite nem se trata de tarefa para um só governo, muito menos sob a presidência de sofrido retirante das desigualdades produzidas por um País injusto, eleito depois três tentativas frustradas; claro que Lula não teria como passar o País a limpo, assim, de repente, mas poderia, por exemplo, ter sido um avalista intransigente da reforma política, ao invés de juntar-se às elites que tanto criticou, construindo alianças com fisiologistas, demagogos, corruptos e oligárquicos.

Foi Lula, direto do Planalto Central, que transformou Eduardo Suplicy numa peça decorativa no governo, que enxotou do PT Heloisa Helena, os deputados Babá, Chico Alencar, Luciana Genro, e o senador Cristóvão Buarque de Hollanda, que levaram com eles suas histórias de luta e vida pública ilibadas para outros partidos; foi Lula que ignorou Pedro Simon e a parte boa do PMDB, permitindo que prevalecessem Antônio Paloci, Zé Dirceu, Sílvio Pereira, Marcos Valério e José Genoino, envolvidos mais tarde no esquema do mensalão, e mais adiante detonados pela lei da sobrevivência no poder.

Não fosse a deferência do ex-secretário do PT, sombrio Sílvio Pereira, ao jornal O Globo, ainda estaria sob tapetão da República fato de que o esquema de Marcos Valério pretendia sugar um bilhão de reais do povo brasileiro, com a participação de governantes submissos ao FMI, figuras que defendem o superávit primário que o partido tanto criticou, mesmíssimos que impuseram a taxação dos aposentados, sustentando os juros altos, o salário-mínimo de miséria; turminha nefasta que arrochou na cobrança de mais impostos, humilha os servidores públicos, e orquestra a lenta agonia da classe média brasileira.

Lula ainda cevou a máquina, criando mais ministérios, prestigiou gente como Romero Jucá e blindou Waldomiro Diniz; tramou contra CPIs, tremeu diante de Roberto Jefférson, e sua alegada ignorância dos fatos ocorridos no coração do governo arrastou o PT para um processo de desmoralização pública e notória; errou também ao insistir na atitude de que o mensalão não passava de uma fantasia da oposição. Isso tudo foi estropiando as esperanças da gente, já que fora eleito para levar os trabalhadores ao poder, o povo ao poder, mas o que se constata é o inverso porque são as elites que dão as cartas.

Incrivelmente oposto ao cidadão que clamava por soberania e democracia com justiça social; diferente do esperançoso cavalheiro das Diretas Já, ao lado de Tancredo e Ulisses, que negou mais de uma vez, o presidente trocou o discurso e o perfil: passou a viajar pelo mundo a bordo do aero-Lula, apequenou-se diante das desigualdades. O programa “Fome Zero”, audaciosa peça de transformação social, virou um Titanic desgovernado sobre um mar de lama, onde prefeitos corruptos se dão bem, utilizando o programa pra comprar voto, beneficiar familiares,cabos eleitorais e outras figurinhas deploráveis.

Caminhando para o final do seu mandato, mergulhado em um ano de crise política que ainda não acabou, o presidente está se revelando um falastrão, líder de um governo assistencialista, indefensável até por petistas de primeira hora, muitas das vezes lhe faltando a sobriedade exigida a um chefe de Estado. Só ainda não foi cassado porque tem uma história forte que sobrepõe à força moral combalida das oposições e do Congresso, este mergulhado em escândalos envolvendo parlamentares que não são punidos. Aldo Rebelo (PC do B -SP), na Câmara Federal, e Renan Calheiros (PMDB-AL), no Senado, com apoio de um ex-presidente, José Sarney (PMDB-AP), conspiram a favor de Lula em troca de ministérios, de um lugar à sombra do governo.

O PT também passou por defecções importantes no Amapá, moldando-se à imagem do criador sentado no trono de presidente; uniu-se ao conservadorismo da política tucuju, trabalha uma aliança com o PDT sem probabilidade do ponto de vista da conjuntura nacional, na tentativa de isolar o PSB de Capiberibe; por conta disso, perdeu o deputado estadual Randolfe Rodrigues e o vereador Clécio Vieira, fulminados pelo mandonismo do chamado campo majoritário.

Quem manda no PT do Amapá é Dalva Figueiredo, que beija a face de Waldez, a mão de Sarney, paparica os chefões do empresariado local e quer a CEA, a Eletronorte e outros nichos do serviço público para eleger-se e ajudar a eleger correligionários da sua preferência. Isso faz lembrar os oito meses de um governo desastroso, lembra 2004, lembra a visita de José Dirceu ainda não colocado a nu pela apuração das denúncias que forçaram sua saída do governo e o levaram a cassação; lembra também aquela mala preta que subiu com ele o palanque do PT e mudou o rumo da disputa a Prefeitura de Macapá.

Lá fora, as pesquisas mostram que a popularidade do presidente vive mais do descrédito do parlamento que de alguns resultados obtidos na economia, na agricultura e na exportação, resultados que vão refluindo por falta de firmeza e competência na condução dos interesses do País e do povo brasileiro...Pode ganhar a eleição? Pode porque, sentado no trono em que está, feito um daqueles caudilhos pelos quais tinha tanta ojeriza, Lula continua oferecendo vantagens aos fisiologistas do PMDB, enquanto subterraneamente desarticula as oposições sem candidatura capaz de ameaçá-lo, como deveria, contando, pra isso, com a “compreensão” de setores da imprensa e a simpatia da massa ignara. Infelizmente.

E-mails para a coluna: joaosilva.ap@uol.com.br . Fonte: Site Tempus Digital, de Macapá 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 16h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Censura no Amapá

Santa Internet.

O site www.tempusdigital.com fez um belo trabalho em relação a censura imposta ao Jornal Folha do Amapá que disse que o governador Waldez Góes recebeu no Amapá a empresas Sólida, com pompas, e por isso teve sua edição censurada.  

O Tempus puxou do site do governo as matérias oficiais rasgando elogios para a Sólida, com confetes, serpentinas, e muita pompa sim.

Passa lá.

Fonte: Blog Repiquete no Meio do Mundo, da jornalista Alcilene Cavalcanti, de Macapá  

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 16h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

A volta de Genoíno

José Genoíno anuncia seu retorno a política. É candidato a deputado federal. Distribuiu a militância e a imprensa uma imensa carta em que analisa os últimos acontecimentos que o vitimaram. O último parágrafo da carta, demonstra que o retiro a que se impôs, não valeu muita coisa, pois não reformulou seus pensamentos:

   "Com todas as nossas debilidades e com as limitações impostas pela correlação de forças, nosso governo produziu, nas condições do Brasil, o que há de mais avançado. Ele construiu as condições para alterar a qualidade do nosso desenvolvimento econômico, interrompendo a agenda neoliberal que levaria o País à desolação e ao desdém social. Consolidou as mudanças de forma processual e consistente, sem choques ou aventuras. O governo do PT alterou o rumo da nossa política externa, realinhou o Brasil na disputa política mundial e protagoniza os interesses da integração latino-americana. Redimensionou a política econômica, de modo a manter a estabilidade, impulsionar o crescimento e redistribuir a renda. Os programas do governo Lula são referências de políticas sociais efetivas porque estamos diminuindo a pobreza. A realidade do país e a vida concreta das pessoas melhoraram. E mesmo após meses de intensos ataques da oposição, o governo Lula tem a aprovação da maioria da população. Por isso, o governo do PT é apontado como exemplo e nosso País é citado como modelo quando se trata de alternativa política relevante ao neoliberalismo. Manter esse rumo e avançar é fundamental. Não só para o Brasil, mas para todos os excluídos e abandonados que, em pleno século XXI, ainda procuram alternativas que os tirem do caminho da exploração, da injustiça e da fome."

A frase grifada em vermelho, revela que Genoíno, apesar do retiro, não se reciclou. 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 15h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Agricultores podem se revoltar como o PCC, acredita Maggi

Maggi lembrou que produtores rurais de seu Estado foram presos e fichados em confrontos durante fechamento de rodovias

Gustavo Porto e Fabíola Gomes, enviada especial

RIBEIRÃO PRETO - O governador do Mato Grosso, Blairo Maggi (PPS), afirmou nesta sexta-feira que se o governo federal não resolver a crise da agricultura brasileira, a situação no interior do País poderá se agravar, "a exemplo do que aconteceu em São Paulo afora nos últimos dias". Maggi se referiu à onda de violência enfrentada pelos paulistas após ataques e rebeliões do Primeiro Comando da Capital (PCC), o que poderá vir dos agricultores.

Maggi lembrou que produtores rurais de seu Estado foram presos e fichados na última quinta-feira pela Polícia Federal em confrontos durante fechamento de rodovias. "Eu espero sinceramente que o problema seja resolvido no dia 25 para que as coisas não fiquem mais graves no interior do Brasil. Precisamos de paz e de tranqüilidade para voltar a produzir, caso contrário a situação vai ficar muito crítica", avaliou o governador, que visitou nesta sexta-feira a Agrishow Ribeirão Preto, em São Paulo, principal feira agropecuária do País.

A próxima quinta-feira, dia 25, é o prazo dado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para anunciar um novo pacote agrícola, com possíveis medidas de prorrogação de dívidas e um plano de safra "com mais dinheiro, mais barato e menos juros", conforme afirmou o ministro da Agricultura Roberto Rodrigues.

"Se no dia 25 vier um tirinho de (revólver) calibre 22, não sei como vai ser. Mas que a situação vai fugir do controle, ela vai", previu o governador mato-grossense.

Queda na arrecadação

Com o Estado basicamente produtor de grãos, principalmente de soja, Maggi prevê uma queda na arrecadação de impostos de até 15% neste ano e já avalia que, mesmo com as possíveis medidas, já há uma intenção de queda de 10% no recolhimento de impostos ao final de 2006, o que representaria um rombo de R$ 800 milhões, além da perda de 100 mil empregos.

Na opinião do governador, mesmo com a pressão política feita por autoridades públicas ligadas ao agronegócio - como ele próprio - o ministro Rodrigues e o ministro Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento, Indústria e Comércio), "quem manda no governo é o ministro da Fazenda e do Planejamento". Ele ironizou ainda o corte no orçamento feito por Lula nesta semana, justamente após a promessa de ajuda aos agricultores. "Eu espero que o dinheiro (para os produtores) não saia do orçamento."

O governador não quis falar sobre a posição do seu partido nas eleições deste ano por, segundo ele, estar mais preocupado com a crise na agricultura. De acordo com ele, "tanto faz" se o partido optar por uma candidatura própria ou por uma coligação.

Reforma agrária

Considerado o maior produtor individual de soja do mundo, o governador surpreendeu ao defender a posição do presidente da Bolívia, Evo Morales, de fazer uma reforma agrária no país - o que ameaça de expulsão vários produtores de soja mato-grossenses que lá cultivam.

Maggi lembrou que, em 1994, foi à Bolívia em busca de propriedades para comprar e que ficou impressionado com dois pontos: a fertilidade das terras e a pobreza absoluta daquele país. Para ele, as terras da Bolívia "serviriam de adubo para o Cerrado", tamanha a fertilidade, mas, no entanto, "lá meia dúzia de pessoas tem alguma coisa", lembrou.

Maggi indagou se estaria errada uma possível atitude de desapropriação de terra nesse contexto por parte de Morales e emendou com a resposta: "eu acho que não e o governo tem de pensar um pouco no povo deles também; agora como é que vai ser feito isso, se é expropriado ou pago, eu não sei", afirmou.

"Eu lá atrás tive essa preocupação e não fui para a Bolívia, porque sabia que um dia esse tipo de coisa poderia acontecer", concluiu.

Biodiesel

Maggi afirmou ainda que o presidente Lula ligou na quinta à noite para ele para comunicar que estava encaminhando um projeto para que seja feita uma nova mistura de óleo de soja ao biodiesel. Segundo ele, a ligação foi feita às 19h30 depois da reunião em que foram discutidas alternativas ao uso do gás, dentre elas o uso do óleo vegetal na produção de biodiesel.

O governador afirmou que a solução do uso da soja para a produção de biodiesel é uma solução muito interessante para aumentar o consumo do grão na região. "Nós temos o óleo diesel mais caro do País. Estamos no centro geodésico da América do Sul. Por exemplo, de um lado, se quisermos trazer petróleo que vem do mar, nós estamos longe; e de outro, se quisermos levar o óleo para exportar também estamos longe."

Segundo ele, o Estado tem o óleo de soja mais barato do Brasil e combustível mais caro. "Por isso, se tem lugar que vai dar certo a questão do biodiesel é no Centro-Oeste e, principalmente, no Mato Grosso", afirmou o governador.

Fonte: Agência Estado

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 14h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

OPINIÃO

 

O cavalo selado

 

Em política tem um dito que diz que se o cavalo passar selado alguém   monta.

 

No momento, tem um lindo cavalo crioulo selado, passando pelo  senador Pedro Simon (PMDB-RS). Será que ele vai montá-lo? Esta é a pergunta que está no ar.

 

Ao final do último convescote do PMDB, que uns chamam de convenção e outros de consulta informal, o pré-candidato à presidente, escolhido nas prévias do partido, o ex-governador Anthony Garotinho deu um golpe de mestre, lançando a candidatura de Pedro Simon a presidente.

 

O gesto de Garotinho em retirar sua pré-candidatura, em favor de Simon, foi uma demonstração de que ele defende, que o PMDB tenha candidato a presidente, independente de ser ele ou não.

 

Uns vêm o gesto de Garotinho como desprendimento, outros como vingança. Pouco importa as razões.

 

O que importa é que, o que os governistas do PMDB alegavam contra a candidatura de Garotinho, não poderão alegar contra a de Simon.

 

Com exceção de Renan Calheiros, José Sarney, Jader Barbalho e poucos outros menos votados, a grande maioria do PMDB se ouriçou com o gesto de Garotinho.

 

Além disso, as pesquisas indicam que existe um contingente de 40% dos eleitores que estão a cata de um candidato que não Lula ou  Alckmin.

 

É um contingente que está à procura de uma opção confiável e segura. São eleitores que não querem votar em Lula ou Alckmin, mas que, também, não se sentem confortáveis com os demais nomes que estão na fita.   

 

Portanto o cavalo crioulo está selado, passando a frente de Pedro Simon, resta saber se ele vai montá-lo. Se o fizer, tem chances de ser o grande azarão, tal qual FHC em 1994.

 

Além disso, com Simon o PMDB tem discurso para cooptar o PDT, PPS e PV e formar uma grande coligação alternativa, isolando o PT, PSDB e PFL.

 

      

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 12h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

INFORMAÇÃO e OPINIÃO -IOCM- !
ex-Blog do Cesar Maia     
19/05/2006

SOBRE A REAÇÃO DOS POLICIAIS EM SP !

No início do governo Garotinho -1999- o secretário de segurança ad hoc -Luiz Eduardo Soares- motivado pelo que viu em Los Angeles, e lastreado por outros policiólogos com doutorado- imaginou que era possível estabilizar as bocas de fumo. Ele propunha -na prática- um cessar fogo e baixar a repressão, sempre que não houvesse disputa a bala, destas bocas de fumo. Olhava para a contravenção no Rio, onde este equilíbrio foi possível.

Este "adeus às armas" foi de enorme ingenuidade. O resultado foi a ampliação da mobilidade dos traficantes no asfalto, a multiplicação dos "bondes", a abertura do raio das bocas de fumo, chegando ao asfalto, a sofisticação do droga-delivery nos bairros da zona sul,(as filas nas bocas de fumo escassearam), etc...

Esta mobilidade dos narcovarejistas teve como desdobramento a certeza que mais medo do que eles tinham da policia, a policia tinha deles. E daí para frente começou o assassinato de policiais -por serem policiais apenas- fardados ou a paisana- no cotidiano. Esta contabilidade vai mostrar um número muito maior que os 52 policiais já mortos em SP.

Os assassinatos concentrados -de policiais em SP- mostram que os traficantes perderam o medo da polícia. Este é o fato grave e novo, dada a referência de energia que tem a PM de SP. O que ocorreu e ocorre no Rio,( e a polícia de SP sabe bem) vai levar inescapavelmente, a PM de SP -a dar continuidade as ações de repressão sem limites contra os delinqüentes. Isso não vai parar pois a PM-SP sabe que precisa inverter a equação e fazer os bandidos correrem da polícia e temerem a polícia.

Para a PM-SP andar com a identidade oculta dentro da meia ou ter uma identidade diferente, é algo que não admitem. Isso foi dito ontem a este ex-blog, por um coronel e um capitão da PM-SP : "- Não adianta o comando pedir que pare. Vai continuar até que cada policial tenha a certeza que pode andar fardado e que não precisa esconder sua identidade. Aqui -disseram- bandido vai ter que correr da policia, vai ter que voltar a ter medo da policia, como tinha da Rota".

Bem,...será fácil acompanhar. As estatísticas de mortes de delinqüentes e de "corpos encontrados", poderão ser ordenadas numa série de cinco anos e acompanhadas daqui para frente.

Folha-On.

Um novo balanço divulgado na noite desta quinta-feira pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo indica que chega a 152 o número de mortos na onda de violência iniciada na última sexta-feira pelo PCC (Primeiro Comando da Capital), em resposta à decisão do governo de isolar líderes da facção criminosa na cadeia. Do total de vítimas fatais, 107 pessoas foram mortas pela polícia em supostos confrontos. A secretaria não divulgou o nome da grande maioria deles.

Não foi divulgado se houve feridos entre as pessoas que teriam enfrentado a polícia. O total de suspeitos presos chega a 124. Os demais 45 mortos são policiais militares (23), policiais civis (7); guardas metropolitanos (3), agentes penitenciários ( 8 ) e civis (4). O número de feridos é de 54.

PEDRO SIMON: TERCIUS ????

Pesquisas telefônicas indicam que há em torno de 40% dos eleitores -que procuram uma alternativa a disjuntiva Lula/Alckmin. Não surgindo, terão que optar neste sistema binário. Surgindo, poderia vir a ser um tercius. É neste vácuo que há espaço para o crescimento de uma candidatura com forte base regional e de perfil socìal e democrático. O senador Pedro Simon se enquadra neste perfil.

QUE COISA !!!
ESTATÍSITICA É COISA SÉRIA ?...OU DEVERIA SER !

Pouco mais de um ano atrás o IBGE publicava uma análise do Censo e do PNAD e dizia que Fome não era o problema do Brasil. O noticiário , os analistas e os políticos, comentavam que o Fome Zero tinha se equivocado de foco. Cartunistas e humoristas, chacotearam.

Ontem o IBGE publicou dados do PNAD-2004 e inverteu o discurso. Agora a Fome é um problemão, 14 milhões de brasileiros estão famintos, e por aí foi.

Agora deve-se perguntar: Em qual IBGE acreditar ? No de um ano atrás ou no de ontem ?

Esse é um fato que afeta a credibilidade do IBGE. Seu presidente deve vir a publico e explicar o que houve ou o que há com seus números.

Bem,....se o IBGE está certo -nas duas pesquisas- é porque a Fome aumentou no governo Lula.

MAIS UMA DO GAROTINHO !

Ai..ai..ai,ai, está chegando a hora. Agora é a vez da turma do Garotinho e seu amigo Funaro !

Folha de SP.

Conforme a investigação do BC, o Prece, em operações com a corretora Laeta, infringiu a Lei Complementar 109/2001 e a Lei Complementar Estadual 63/1990. O fundo não teria aplicado recursos correspondentes às reservas, conforme estabelece o Conselho Monetário Nacional. Além disso, o Prece não teria zelado "pela promoção de elevados padrões éticos" nas "aplicações dos recursos dos planos de benefício da entidade".

A Laeta já sofreu investigação da CPI dos Correios e pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). A corretora é suspeita de ter praticado crimes como lavagem de dinheiro e manipulação de mercado.

CPI

Que venha logo a CPI dos Sanguessugas: enquanto a PF investiga parlamentares e seus assessores a CPI poderá investigar além disso -os ministros e seus assessores.

O ATUAL DIRETOR DO HOSPITAL GERAL DE BONSUCESSO ESTÁ SENDO ENGANADO PELA ADMINISTRAÇÃO ANTERIOR -TEMPOS DE HUMBERTO COSTA !
FORAM MAIS DE R$ 10 MILHÕES DE REAIS SEM LICITAÇÃO -MESMO! MESMO !

Leia abaixo da declaração no JB !

"Foi em caráter emergencial e eu não poderia esperar um ou dois meses para sair a licitação,mas com certeza não foram gastos R$ 10 milhões."

O DOCUMENTO :

HOSPITAL GERAL DE BONSUCESSO

CONTRATADO VALOR TOTAL (R$)

CONFEDERAL - RIO VIGILANCIA LTDA 1.171.200,12 Dispensa de Licitação 14/10/05
NOVA RIO SERVICOS GERAIS LTDA 8.695.555,02 Dispensa de Licitação 01/02/06
FUNDACAO DE APOIO A SAUDE BONSUCESSO 1.136.720,97 Dispensa de Licitação 28/04/06
TOTAL R$ 11.003.476,11

Realmente não foram 10 milhões. Foram 11 milhões sem licitação!!!!

CÂMARA DE DEPUTADOS !

Quem estava atento viu ! Na quarta-feira o governo perdeu a votação da MP que incluia crédito agricola por 240 a 160 votos!

Governo Lula e suas greves quase discretas !
RECEITA FEDERAL ESTÁ PARADA HÁ 20 DIAS !

CRESCIMENTO AJUDA CANDIDATO DE FOX !

Segundo o NYT, o México deve crescer 5,5% graças aos setores dos automóveis e petróleo. Isso é o mais rápido crescimento desde 2000. Economistas disseram que isso é evidência que a indústria mexicana, responsável em grande parte pelos bons números, se recuperou do choque da concorrência chinesa. A produção aumentou 54% no primeiro trimestre com o início da produção dos modelos de carros do ano. A economia cresceu 1,54% sobre o trimestre precedente foi 1,54%. A média do crescimento nos últimos 5 anos foi de 2%.
Pesquisa e Edição : JCM

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 11h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Idéias & Opiniões

OBSERVADOR POLÍTICO: A arrogância da classe média

19/05/06

Chico Bruno (*)

A classe média brasileira é muito arrogante. O episódio da nacionalização dos hidrocarbonetos bolivianos expôs toda a arrogância desta classe, que luta para viver tal qual as elites econômicas de nosso País. Além da arrogância, a classe média tem uma outra marca registrada que lhe é peculiar. Funciona como os bons papagaios, repete tudo o que ouve ou lê, principalmente se as fontes forem as revistas semanais, os grandes jornais ou a Rede Globo.
A ascensão do presidente venezuelano Hugo Chávez como líder político mais importante da América Latina, superando as ambições do presidente Lula, é olhada com desdém por esta gente que não enxerga um palmo adiante do nariz em se tratando de América Latina. Justiça se faça, conhecem bem os pontos turísticos da região, principalmente os freqüentados pelas elites. Fora isso, ignoram o que se passa no continente. Em tempos idos, a classe média brasileira se balizava pelos países ricos da Europa, principalmente a França. Hoje, o sonho de consumo desta gente é viver como os americanos da terra de George Bush.
Na semana passada, a revista britânica The Economist afirmou que Chávez tem humilhado Lula e o transformou em um espectador irrelevante dos acontecimentos sul-americanos. Mas a classe média brasileira não enxerga assim, pois repete o que muitos jornalistas publicam na imprensa sobre Chávez, chamando-o de tosco. Hugo Chávez é, ao contrário, um homem muito inteligente que tem um plano de governo consistente, que objetiva colocar a PDVSA entre as maiores empresas petrolíferas do mundo. Ele sabe que os petro-dólares compram e mandam em tudo.
Não é por puro nacionalismo que Chávez impôs às transnacionais terem a PDVSA como sócia majoritária em todos os negócios com petróleo na Venezuela. É o famoso dá ou desce. Quem quiser continuar explorando o petróleo na Venezuela ou aceita a condição ou vai embora, como fizeram a italiana Eni e a francesa Total.
O Brasil teve a grande chance de se impor na América Latina, em 2003, com a posse do presidente Lula. Infelizmente, o governo brasileiro, por conta do superávit primário ou da arrogância, desperdiçou a chance. A diplomacia brasileira apostou que Chávez não seria capaz retirar do Brasil a liderança. Errou feio. Por divergências entre o poderoso ministro da Fazenda de então, Antonio Palocci, que não liberou recursos para que a emissora de televisão TeleSur fosse implantada no Brasil, e a nossa diplomacia, ela acabou caindo no colo de Chávez. Hoje este poderoso instrumento de mídia é o principal canal de informação de Chávez com o mundo, pois o venezuelano o bancou e o instalou em Caracas.
Enquanto isso, a classe média brasileira ainda acha que o Brasil é o bam-bam-bam da América Latina e que Hugo Chávez é um tosco. Como dizem os baianos, bata um abacate com bastante limão.

(*) Jornalista - cbruno@estadao.com.br

Fonte: Folha do Amapá

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Desabafo

Nos idos dos anos noventa o jornalista Antônio Corrêa Neto, que então apresentava um programa jornalístico na rádio Antena 1, foi preso dentro dos estúdios da emissora por manter uma linha editorial que não agradava aos donos do poder da época. A prisão teve grande repercussão e acabou contribuindo para o fim daquele reinado.
Nos dias de hoje o que se vê no Amapá é uma imprensa encurralada pelo poder, seja através da força econômica, seja através da pressão política. A maior parte dos jornalistas é constrangida a elogiar as ações do governo para não perder benesses, ou sob ameaça de algum tipo de retaliação. Ao mesmo tempo em que a população quer falar, não encontra brechas para extravasar sua angústia. O resultado é o equivalente a uma panela de pressão em ebulição cujas únicas válvulas são alguns poucos meios de comunicação que resistem à cooptação do status quo. A Folha é uma dessas válvulas, em conjunto com Blogs e alguns poucos programas de rádio e televisão que dão espaço para que as queixas venham à tona.
É lógico que enquanto a maior parte da mídia enaltece os parcos feitos governamentais, os poucos espaços abertos ao contraditório dêem preferência para aqueles que se sentem excluídos. A Folha nunca escondeu que tem uma linha editorial crítica ao governo atual, porém prima por matérias feitas com rigor, embasadas em fatos e provas.
Todo mundo viu quando a empresa Sólida se instalou no Amapá e teve início uma espécie de associação entre público e privado, promovida pelo próprio governador do Estado, que aparecia em propagandas avalizando a chegada da empresa e alardeando um futuro promissor, que se transformou em fumaça com as notícias recentes do calote deixado pela empresa, que tentou sair daqui na surdina. Nada mais natural que os arroubos iniciais do governo quando da chegada da empresa sejam lembrados agora, ao anúncio de sua partida.
Essa não foi a primeira vez que o jornal foi condenado injustamente. Em 1992, o então diretor e editor da Folha, jornalista Elson Martins, denunciou o contrabando de urânio do Estado e o envolvimento de políticos e empresas, baseando-se na denúncia de José Maria Amaral Lobato, então presidente do Sindicato das Indústrias Extrativistas do Amapá. Uma empresa envolvida no caso acionou juridicamente Elson Martins, que, mesmo estando do lado da verdade, foi condenado a um ano de prisão, pena comutada em prestação de serviços para o Conselho Tutelar do Estado. Quase 15 anos depois a revista IstoÉ levantou a questão e novamente políticos e empresários aparecem envolvidos na trama.
O cerne da questão é que a verdade aparece, doa a quem doer e demore o quanto demorar. A Folha, ao completar 15 anos, novamente foi condenada de forma chocante por trazer à tona fatos verdadeiros, embasados em provas fáticas e documentais; o jornal está recorrendo na Justiça e confia na seriedade com que seus jornalistas trabalham, seguindo a mesma linha que teve início no dia de sua fundação.
As manifestações de apoio ao jornal vindo de leitores, meios de comunicação e políticos dão ao fato repercussão negativa ao PDT, partido do governador do Amapá, de onde partiu o pedido para que se censurasse no jornal todas as matérias onde era citado o nome do governador. Um governante deve ser tolerante às críticas, o próprio governador Waldez Góes afirmou durante o programa eleitoral de seu partido que era a favor da harmonia, inclusive com a imprensa. Talvez a conotação dada pelo governador à palavra harmonia seja diferente daquela dada pelos filólogos e nela não caiba direito ao contraditório.

Fonte:Editorial da Folha do Amapá, edição 572, de 19 de maio de 2006, já esgotada nas bancas de Macapá.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O último desejo de Miguel Arraes
Antes de falecer, Miguel Arraes reuniu o PSB e solicitou que os dirigentes socialistas priorizassem nas eleições de outubro o cumprimento da cláusula de barreira, que impõe aos partidos conseguirem 5% dos votos em nove estados para terem representação partidária no Congresso Nacional e recursos do fundo partidário.
A  tendência no PSB era cumprir a vontade de Arraes.
Mas, o convite feito pelo presidente Lula, para que Ciro Gomes seja o vice na sua chapa à reeleição pode mudar a tendência. 
Induzidos pela avaliação que Lula pode ganhar a eleição no primeiro turno, um grupo de socialistas imagina que o PSB teria mais poder se aceitasse de bom grado o convite.
O problema é que ao aceitar indicar o vice de Lula, o PSB deixa de atender o último apelo de Miguel Arraes, o que desagrada aos socialistas históricos.
Este dilema empurra o PSB a só decidir a questão na convenção marcada para 21 de junho.   

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O candidato Lula

Foto: Ricardo Stuckert/Agência Brasil

A comitiva da 14ª Fenadoce, de Pelotas, distribuiu ontem doces e sorrisos nos gabinetes de Brasília. No final da tarde, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva abriu uma brecha na agenda e recebeu a rainha Francine Dias e as princesas Gabriele Chiatoni e Amanda Krolow, acompanhadas pelo presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), José Laitano.

No encontro, Lula disse que tentará encaixar uma visita à festa em junho, quando deverá inaugurar as obras do dique seco, em Rio Grande.
Fonte: Zero Hora

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h18
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Candidatura de Simon ao Planalto ganha força
Movimento pela entrada do senador gaúcho na disputa presidencial une Garotinho e históricos do PMDB
Brasília

language=JavaScript>

As conversas sobre a candidatura do senador Pedro Simon (PMDB) à Presidência se tornaram mais intensas nos últimos dias. Ontem, em Brasília, um grupo de peemedebistas, entre eles o deputado Cezar Schirmer e o vereador da Capital Ibsen Pinheiro, deram novo impulso à proposta, que tem aval do ex-governador do Rio Anthony Garotinho.

Certo de que não terá o apoio do PMDB para disputar a Presidência da República, Garotinho decidiu apoiar Simon e pleitear a vaga de vice para si.

No sábado, durante a convenção em que a maioria dos diretórios do PMDB decidiu não lançar candidato próprio, Garotinho disse que abriria mão de concorrer em favor de Simon. A intenção do ex-governador é impor uma derrota ao grupo governista do partido.

Garotinho acusa os governistas - defensores de uma aliança informal com o PT em torno do presidente Luiz Inácio Lula da Silva - de terem atuado para desmoralizá-lo. Como resposta, quer jogar o seu peso político para dar o troco e impor ao partido a candidatura do senador.

O diretório de São Paulo já teria dado o sinal verde . O ex-governador paulista Orestes Quércia foi informado pelo ex-presidente Itamar Franco de que ele desistirá da candidatura à Presidência para disputar o Senado. Com isso, o caminho ficaria livre para o apoio a Simon.

Os senadores Ramez Tebet (MS), Almeida Lima (SE) e Amir Lando (RO) também se manifestaram favoráveis à candidatura de Simon. Almeida Lima conversou por telefone com Garotinho na segunda-feira e disse que ele estaria disposto a apoiar Simon, considerando que o gaúcho pode unir mais o partido:

- Garotinho já está em campo pela candidatura de Simon.

Senador deve ter apoio de peemedebistas históricos

Na segunda-feira, Clarissa Matheus, filha de Garotinho, havia reafirmado à Juventude do PMDB gaúcho o apoio da família a Simon. O senador não desautoriza as conversas em torno do seu nome. A interlocutores, Simon disse que gostaria de entrar na disputa para representar o PMDB.

A avaliação é de que a candidatura de Simon praticamente obrigará peemedebistas históricos - hoje contrários à candidatura própria por não terem confiança política em Garotinho - a apoiá-lo. É o caso do ex-governador de Pernambuco Jarbas Vasconcelos e do governador Germano Rigotto. Diferentemente de Garotinho, o senador tem raízes no PMDB.

Fonte: Zero Hora

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h14
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Manifestantes liberaram rodovias no início da noite

As rodovias BRs 163 e 364 foram liberadas no final da tarde desta quinta-feira pelo movimento dos agricultores. A proposta é continuar o protesto com bloqueios relâmpagos até o próximo dia 25 de maio.
 
Até o final desta tarde, os coordenadores do movimento ainda não haviam sido notificados oficialmente pela Justiça Federal que determinou a liberação das rodovias federais em todo o Estado. A liminar é em favor ao Sindifrigo de Mato Grosso.
 
Segundo informações da Polícia Militar, responsável pelo cumprimento do mandado, o oficial de Justiça deverá chegar nesta sexta-feira em Rondonópolis. A demora ocorre em função de que uma mesma equipe está passando por todos os bloqueios do Estado.
 
Hoje à tarde houve início de tumulto num dos pontos do bloqueio. Caminhoneiros quiseram impedir o fechamento da rodovia pelos manifestantes, mas ninguém foi preso.
 
O comandante da Regional Sul da Polícia Militar, coronel Adaildon Evaristo disse que a PM não chegou a intervir no tumulto. “Estamos de prontidão para apoiar a Polícia Rodoviária Federal se houver necessidade”, finalizou.
A reportagem tentou ouvir a PRF no final da tarde de hoje, mas não obteve êxito. Neste momento, os manifestantes estão reunidos para avaliar o movimento.

Autor: Patrícia Casali - PrimeiraHora

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 04h49
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Band e Cabrini explicam entrevista, mas não discutem autenticidade

SÃO PAULO - Em meio à polêmica sobre a autenticidade da entrevista com o líder do PCC, Marcola, o jornalista Roberto Cabrini explicou na noite desta quinta-feira, no Jornal da Band, como foi feita a entrevista. O apresentador do jornal, Ricardo Boechat, mencionou a acusação da Secretaria de Segurança Pública de que a entrevista é falsa para, em seguida, perguntar a Cabrini qual foi o objetivo da entrevista. Mesmo não rebatendo diretamente a acusação do governo em nenhum momento, o apresentador e o jornalista conduziram a conversa de uma maneira que ficava claro que sustentavam a autenticidade da entrevista feita por telefone, exibida no Jornal da Noite da quarta-feira. Leia a íntegra da conversa entre os dois jornalistas:

RICARDO BOECHAT: Qual foi o objetivo desta reportagem que você fez?

ROBERTO CABRINI: Olha, dá pra gente dizer o seguinte: todo mundo sabe que no domingo o governo pegou um avião oficial para levar a advogada do Marcola até o presídio de Presidente Bernardes para conversar com o líder do PCC. A versão corrente inclusive é que foi para negociar um acordo com esta facção criminosa para interromper a onda de violência em São Paulo e até o próprio governador Cláudio Lembo disse que era importante conhecer o pensamento de Marcola.

De fato, é importante, tão importante mesmo que a sociedade também deve ter esse direito de acesso à essa preciosa informação. Ora, o objetivo da entrevista que nós fizemos foi também ouvir o homem que comanda a organização criminosa responsável pelos acontecimentos que abalaram o maior Estado do País.

RICARDO BOECHAT: Agora, Cabrini, como é que você chegou ao Marcola?

ROBERTO CABRINI: Olha, foi através de membros do PCC que estão fora dos presídios, nós tivemos acesso a reuniões da cúpula da organização criminosa, reuniões feitas por meio da telefonia celular. A gente observou como os integrantes que tomam as principais decisões colocam temas em discussão antes de qualquer decisão.

Ontem, esta cúpula concordou, finalmente, em nos colocar em contato com a liderança principal do PCC. Todos eles evitam inclusive dizer o nome do Marcola nas ligações, nas linhas telefônicas e o tratam de M1. Durante à noite de quarta-feira eles nos deram acesso ao líder Marcola, cuja voz foi identificada por pessoas próximas a ele, incluindo os advogados dele.

Fonte: Agência Estado

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 04h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

PDT pediu suspensão de edição em site da "Folha do Amapá"
Juiz pune jornal por "propaganda eleitoral antecipada negativa"

THIAGO REIS
DA AGÊNCIA FOLHA

O juiz auxiliar do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Amapá Anselmo Gonçalves da Silva determinou ontem a suspensão da edição eletrônica do jornal "Folha do Amapá", por considerar que a reportagem de capa do periódico fez "propaganda eleitoral antecipada negativa".
Na decisão, o juiz estipula como pena multa diária de R$ 5.000 em caso de descumprimento. No site do jornal, a edição já foi retirada do ar. No lugar, a íntegra da decisão e um quadro negro com a inscrição: "Edição retirada do ar por decisão judicial eleitoral a pedido do PDT-AP, o partido do governador Waldez Góes".
A manchete da reportagem que motivou a liminar do PDT diz: "Sólida demite, dá calote e some". "Anunciada com toda pompa por Waldez Góes como símbolo da geração de emprego e do crescimento do Amapá, a Sólida Mineração acaba de demitir todos os funcionários. (...) O governador e a empresa anunciavam a geração de 500 empregos diretos e investimentos da ordem de US$ 5 milhões. No entanto, tudo não passava de propaganda enganosa."
No entendimento do juiz, "as notícias veiculadas relacionadas ao governador Waldez Góes, potencial candidato à reeleição, não se limitam à divulgação de fatos ou à formulação de críticas à sua gestão". "Há nítida intenção de denegrir a sua imagem perante o eleitorado em geral. Seu nome é citado em diversas passagens, de forma sarcástica e demeritória."
O PDT-AP pediu ainda que fossem recolhidos todos os exemplares do jornal impresso, mas o juiz descartou a possibilidade, "uma vez que já houve a circulação nos três dias que antecederam a propositura da representação".
O governador é citado ainda em reportagem sobre gastos abusivos com propaganda e outras seções.
A "Folha do Amapá", alinhada ao grupo político do ex-governador João Capiberibe (PSB), já recorreu. Para a editora-chefe do jornal, Maracimoni Oliveira, "foi uma decisão monocrática".
"Vemos isso como censura e já estamos tentando recolocar o conteúdo no ar. Isso ocorre porque somos o único meio de oposição no Estado", afirmou.
O diretor-executivo da ANJ (Associação Nacional de Jornais), Fernando Martins, disse que o caso já foi encaminhando ao departamento jurídico da entidade, que irá se manifestar posteriormente.

Fonte: Folha de São Paulo 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 04h10
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Lula diz ver "cretinices" em atos de fazendeiros

EDUARDO SCOLESE
PEDRO DIAS LEITE
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

No momento em que produtores rurais promovem uma série de protestos em todo o país, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que, entre os representantes de fazendeiros, há "cretinices" e ações "oportunistas". Além disso, colocou em xeque a renegociação das dívidas dos produtores: "Nem sei se vamos renegociar dívida com todo mundo. Isso é o que a imprensa está dizendo por aí".

Leia a matéria da Folha de São Paulo aqui.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 04h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Os anões de Clóvis Rossi

"...é natural que os anões que compõem o mundo político brasileiro nada tenham a dizer que valha a pena ler. Anões que começam com o presidente da República, passam pelo ex-governador de São Paulo e seu principal adversário eleitoral e terminam no ex-intelectual do PT, agora ministro, Tarso Genro.
Anões que só pensam em minimizar o prejuízo eleitoral eventual com os episódios de São Paulo e/ou passar a culpa para o outro bando.
Anões que só pensam em ocupar ou manter o poder. A população que se vire como puder, se puder.
No meio dos anões, emerge com a análise correta o governador Cláudio Lembo ao culpar a mesquinharia da "elite branca" pela crise. Sim, foi essa elite que fez todos os governantes dos últimos 500 anos, que depôs os que pareciam contrariá-la, ainda que tivessem idêntico berço, e que, passada a moda da deposição, cooptaram os que originalmente a ela não pertenciam, caso específico de Luiz Inácio Lula da Silva.
Pena que Lembo seja a prova definitiva da mesquinharia da elite: só descobriu seus podres agora que está no ocaso. Antes, passou a vida a serviço dela, gostosa e gloriosamente. Pobre país."

Leia o artigo na íntegra aqui.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 03h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Palpite infeliz

A declaração sobre as causas da criminalidade do presidente Lula continua causando polêmica. 

LÚCIO CASTELO BRANCO: ‘Essa vinculação é um absurdo’

“O presidente confundiu educação com instrução. Ele reproduz um preconceito característico da elite escravocrata brasileira em relação às classes tidas como perigosas, que são as classes trabalhadoras e os desocupados, os que não usam grifes. A pessoa pode ser educada sem ter nenhum grau de instrução e pode ser muito mal educada com alto grau de instrução. O povo brasileiro, apesar de não freqüentar escola ou de hoje freqüentar uma escola pública e um ensino médio sistematicamente destroçados, em processo de desconstrução acelerado neste governo, é educado. No interior, as pessoas se cumprimentam, se visitam, se conhecem, há solidariedade, a estrutura familiar é mais consistente. Essa vinculação entre educação e criminalidade é o maior absurdo, porque os grandes crimes desse país são os crimes das forças de repressão, identificadas com os interesses da classe dominante, para não falarmos do peculato, do roubo da coisa pública, do desvio sistemático de verbas. E este governo, justamente por essa voracidade de classe média frustrada, é a quadrilha mais evidente que já se identificou na História deste país. Nunca se viu tanta impunidade. O capital da criminalidade é a impunidade. Você pune um sujeito que rouba um pão, mas não pune o que rouba milhões de dólares”.

Lúcio Castelo Branco é pesquisador do Departamento de Sociologia da UNB

MAIEROVITCH: ‘Há criminosos que são intelectuais'

“Ele (o presidente) acaba sendo infeliz ao manifestar essa opinião. Hoje o grande problema é em relação à criminalidade organizada e à economia gerada por ela. São cerca de US$ 300 bilhões de dinheiro lavado, reciclado, que passa por vários canais. Quem lida com isso são criminosos com alta escolaridade, com alta competência intelectual. E o perigo dessas organizações é que têm um alto poder corruptor e se infiltram no Estado. Há criminosos que são intelectuais do código penal. O fato de o cidadão comum não ter oportunidade de estudos não vai empurrá-lo necessariamente para a delinqüência. O grande erro é atribuir o crime à falta de oportunidade. Então, se tivesse mais escola em São Paulo, as facções criminosas não existiriam? Hoje, as organizações ultrapassam fronteiras, são redes transnacionais, que exigem de seus líderes e de seus agentes conhecimentos específicos. Agora parece que a moda no Brasil são os escapismos. Aconteceu o mesmo com o governador de São Paulo, que culpou a 'elite branca' pela situação de violência no estado. Além do mais, no caso do presidente, há uma contradição nesse tipo de declaração. Afinal, ele, com o grau de instrução que tem, se tornou presidente da República”.

Walter Maierovitch, ex-secretário nacional de Segurança Pública

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 03h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Manchetes de sexta-feira 19 de maio

JORNAL DO BRASIL - Balança da trégua: 70 mortos

FOLHA DE SÃO PAULO - PM diz que não matou inocentes

O ESTADO DE SÃO PAULO - Políticos também seriam alvo do PCC, revela gravação

O GLOBO - Polícia assume 107 mortes mas resiste a divulgar lista de nomes

CORREIO BRAZILIENSE - Investigação liga PCC à máfia dos concursos

Leia os destaques dos jornais  aqui.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 03h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Ataques e revides

Presidente Lula ataca:

“Pelas reportagens que eu vi ontem, parece que havia mancomunação entre policiais e bandidos. Acordos e não-acordos. O que precisa ficar muito claro é que a parte que o governo federal poderia fazer nós oferecemos".

Alckmin rebate:

"O presidente Lula desrespeita e ofende o povo de São Paulo. Ele sempre foi omisso nessa questão de segurança. E nesse caso de agora, pior. Lula nunca condenou o crime organizado, nunca falou uma palavra condenando os atentados covardes. Policiais de São Paulo foram mortos pelas costas. E o que faz o presidente? Lula preserva as quadrilhas criminosas e vem atacar a polícia paulista. É inadmissível. Há dois dias, o Lula falou que não "haveria nenhum mesquinho no Brasil capaz de querer fazer uso eleitoral desses atentados". Tem sim. O próprio Lula com essas declarações de agora.

Enquanto fui governante, trabalhei contra o crime, todos os dias da semana, o tempo todo.

O presidente Lula nunca fez nada de prático contra a criminalidade. Quando o governo federal não sabia o que fazer com o traficante Beira-Mar, veio pedir socorro a São Paulo, que tem o melhor presídio de segurança máxima do Brasil. Há quatro anos o presidente Lula vem prometendo fazer presídios e não tem nenhum pronto. O presidente, que tem iniciativa legislativa, se omitiu na mudança da lei que dá folga a esses bandidos. Ele é cúmplice dessa situação.

O Governo federal tem maioria no Congresso para absolver "mensaleiros", mas não coloca essa maioria para votar os projetos de combate ao crime.

Nesses atentados de agora, eu condeno os bandidos. O Lula ataca a polícia".

Tarso Genro contra-ataca:

"Agora, segundo vocês estão informando, o governo paulista, o governo do senhor Alckmin, parece que preferiu negociar com criminosos a aceitar a ajuda do governo. Então, não é correto o que ele está fazendo".

Tarso Genro não recua, pelo contrário parte para cima de Alckmine a oposição do PSDB/PFL:

"Não vou fazer nenhum pedido de desculpas. Faria, humildemente, se houvesse ofendido alguém. Mas não ofendi. Acho inclusive que as declarações do Alckmin a respeito do presidente Lula foram quatro, cinco vezes mais duras do que as minhas. Eu não fiz nenhuma alusão de comportamento criminoso a ninguém. E o Alckmin fez em relação ao Lula. É só ler a nota que ele divulgou. Ele diz que o Lula convive pacificamente com quadrilhas, ou coisa parecida. Tem ofensas duras ali.”

Em breve novos capítulos.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 18h22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O QUE ALCKIM FALOU NO AMAPÁ

“Fiquei horrorizado ao ouvir o presidente Lula dizer que a nossa saúde está chegando perto da perfeição. Ele devia fazer um check-up num posto do SUS, descer do “aerolula” e pisar no chão, sentir a realidade do povo brasileiro e ver como funciona a emergência de um posto de saúde.”

 

“Fiz 19 hospitais em São Paulo. E quem tem dinheiro pra Saúde é o governo federal. A CPMF arrecadou ano passado 30 bilhões de reais só pro governo federal. Onde está esse dinheiro? Já começamos a descobrir: sanguessuga. Estão roubando até na compra de ambulâncias.

 

“Levei um susto quando me disseram que ainda não começou a ponte sobre o rio Oiapoque ligando o Amapá à Guiana Francesa.”

 

“O fato é o seguinte: é mentira atrás de mentira. Transposição do Rio São Francisco não existe, rodovia transnordestina não existe, meu primeiro emprego não existe, fome zero não existe, banco popular não existe.”

 

“O governo federal está imobilizado pelas denúncias de corrupção. Esse governo acabou ano passado. Mais quatro anos é um pesadelo.”

 

“O desperdício é tão grande que temos uma carga tributária de 39% e não tem dinheiro pra isso.”

 

“Cheguei no Ceará e disse que dava um prêmio pra quem me mostrasse uma obra do Lula lá, não tem. Fui na Bahia, não tem nenhuma. Vou ao Pará e lá também não tem.”

 

“Colocam na televisão a bolsa família. A bolsa família é a bolsa escola, bolsa alimentação, o vale gás  que mudou de nome. Se eu tenho uma filha e ela muda de nome não deixa de ser minha filha.”

 

“A Legislação é muito dura com os ladrõezinhos e leve demais com os ladrões de colarinho branco. É preciso rever o código penal, a lei de execução penal.”

 

"Não vou politizar sobre o que está acontecendo em São Paulo. Para combater a criminalidade são necessárias múltiplas ações, como se rever o código penal, a lei de execução penal".


Fonte: Blog da Alcinéa, de Macapá

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 17h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Bolívia assume o controle de três multinacionais nesta sexta

LA PAZ, 18 maio (AFP) - A Bolívia vai assumir de fato nesta sexta-feira o controle de três companhias dirigidas por multinacionais, quase três semanas depois de decretar a nacionalização de seus hidrocarbonetos, com US$ 720 milhões cedidos por fundos de pensão administrados por Espanha e Suíça.

São elas Andina, filial da espanhola Repsol; Chaco, administrada pela inglesa British Petroleum (BP), e a transportadora Transredes, filial boliviana da Shell-Enron (Holanda e Estados Unidos).

Com o capital que as Associações de Fundo de Pensões (AFP) entregarão à empresa amanhã por ordem de um decreto expendido segunda-feira passada, o Estado boliviano controlará 51% das ações da Andina-Repsol, Chaco-BP e Transredes. Esta última administra um complexo de dutos de 5.000 km de extensão.

As AFP, administradas -pelo espanhol Banco Bilbao Vizcaya e a suíça Zurich Finantial Service- desembolsarão US$ 720 milhões em favor da reativada companhia estatal YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos).

Fonte:France Presse

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 17h46
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

CPI obtém 'estatuto' macabro do 'PCC'

A CPI do Tráfico de Armas obteve cópia do "estatuto" da organização crimonsa "PCC", com dez artigos e com ares de partido político, prevendo pena de exeução para os infiéis. Manuscrito, o documento trata todos os membros do "Primeiro Comando da Capital" como “irmãos” e estabelece regras duras para atuar nas penitenciárias e principalmente fora delas. Quem desobedece é assassinado. Nos dois primeiros artigos, o "PCC" destaca as qualidades que os seus membros devem preservar: “Lealdade, respeito, solidariedade e igualdade acima de tudo”. Também um bandido "irmão" do "PCC" deve priorizar “a luta pela liberdade, justiça e paz...”. No artigo 3º , proclama a “União na luta contra as injustiças dentro do sistema penitenciário...”. Reticências encerram os dez artigos. No 4º, o "estatuto" impõe a contribuição daqueles que estão em liberdade para com os que estão nas prisões, através de advogados, dinheiro, ajuda aos familiares e ações de resgate. Reza também que “os conflitos internos dentro do partido tentando dividir a irmandade será repudiado”. O artigo 7º determina que “os irmãos em liberdade que esquecerem de contribuir com os irmãos que estão na cadeia será condenado à morte sem perdão”. O "PCC" também tem a preocupação de manter o controle nos presídios: o artigo 8º proíbe "assalto, estrupos (sic) e extorsões no sistema...” Por fim, o "PCC" define o pagamento de seus membros e mostra efetivamente quem manda na organização criminosa: “todos os integrantes tem que respeitar a ordem e a disciplina do Partido, pois cada um vai receber de acordo com aquilo que fez por receber, a opinião de todos será ouvida e respeitada, mas a decisão final será dos fundadores do Partido”.

Fonte: Cláudio Humberto em Tempo Real

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 16h39
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

José Jorge é o vice de Alckmin

Felipe Recondo

Pernambucano, o senador José Jorge (PFL) disse hoje que espera empatar o jogo para o tucano Geraldo Alckmin no Nordeste. Ele foi escolhido hoje como pré-candidato a vice na chapa de Alckmin na disputa pela Presidência da República.

"Ele [presidente Lula] é forte lá. Mas vamos trabalhar para ter um bom resultado em Pernambuco. É uma eleição difícil, mas um empate lá seria um bom resultado", disse Jorge.

É no Nordeste que Lula aparece com maior vantagem sobre Alckmin nas pesquisas de intenção de voto. De acordo com a última pesquisa CNT/Sensus, 55,1% dos eleitores no Nordeste votariam em Lula e apenas 8,7% apoiariam Alckmin.

Para virar o jogo, Jorge espera contar com o efeito positivo dos programas de rádio e TV sobre a campanha de Alckmin. Segundo ele, a vantagem de Lula cairá quando Alckmin ficar mais conhecido entre o eleitorado.

"O presidente Lula já foi candidato cinco vezes e Alckmin é candidato a presidente pela primeira vez. Todo mundo conhece Lula, mas 50% não conhece Alckmin. Nós vamos exatamente tentar fazer com que mais pessoas conheçam Alckmin, afirmou Jorge.

Segundo ele, o PFL não saiu dividido do processo de escolha do vice. Ele venceu o senador José Agripino Maia (RN). "Já ficou acertado que quem perdesse apoiaria o outro candidato."

No entanto, Agripino saiu do PFL discretamente e sem falar com ninguém após a contagem dos votos da consulta realizada hoje.

Fonte: Folha Online 

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 16h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Caso sanguessuga:Lino Rossi "assume" diálogo grampeado e isenta Ricarte

O deputado federal Lino Rossi (PP-MT) protocolou hoje, na Corregedoria da Câmara dos Deputados, ofício no qual reconhece o número de telefone e o diálogo gravado pela Polícia Federal como seus. A PF atribuiu a conversa com a funcionária do Ministério da Saúde, Maria da Penha Lino ao deputado Ricarte de Freitas de Junior(PTB-MT) e que o mesmo tentava a liberação de emenda parlamentar para o município de Luciara, investigada pela Polícia Federal por suspeita de irregularidades na licitação e venda superfaturada de ambulância para a prefeitura,a rgumentando que não houve falhas. As investigações fazem parte da operação sanguessuga, desencadeada pela Polícia Federal, que prendeu 48 pessoas.
Ao tomar conhecimento do fato, Lino Rossi, por princípio de verdade com os fatos e justiça, decidiu isentar Ricarte de Freitas da referida gravação, informa a assessoria de Rossi.

Assim que a notícia tinha sido veiculada, Ricarte divulgou nota repudiando o fato de teu nome ter sido mencionado em emenda para Luciara, que está fora de sua base eleitoral.
No último dia 12, foi divulgada uma nova gravação de escuta telefônica feita pela Polícia Federal, onde o nome de Ricarte é citado. Na conversa, o empresário Luiz Antonio Trevisan, apontado como principal envolvido nas fraudes para venda de ambulâncias superfaturadas para prefeituras, a partir de emendas de deputados, conversa com o assessor da AMM (Associação Mato-grossense dos Municípios) José Wagner dos Santos (hoje ambos estão presos em Cuiabá) sobre a licitação de uma ambulância para a prefeitura de Santa Cruz do Xingú. Ele fala a Vedoim para ligar pra o prefeito e "licitar o negócio do deputado Ricarte de Freitas".

Wagner: "Dá uma ligada pra ele e fala vamos licitar o negócio do Ricarte"

Vedoim:"Pode ficar tranquilo que eu vou ligar para ele agora".

Em outro trecho da conversa, o assessor da AMM, José Wagner, faz um alerta ao dono da Planam que recebeu informações dando conta que a Polícia Federal estava investigando a Planam, que está sediada em Cuiabá.

Wagner "...É um pessoal do ministério. Tanto é que chamou ele num canto e falou não compra da Planam não porque a Planam a Polícia Federal está quase prendendo eles e tal, e tem uma empresa aqui no Paraná e você compra dessa empresa aqui".

Vedoim:"hummm".

Fonte: Só Notícias, do Mato Grosso

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 16h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O candidato Lula

Foto: Ricardo Stuckert/Agência Brasil

Em visita ao interior de Goiás, o presidente Lula esteve no hospital São Pio X, o presidente visitou uma paciente na maternidade e fez questão de pegar o bebê no colo.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 15h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Retaliação ao Chile

O presidente Lula telefonará à colega chilena Michele Bachelet para colocar um ponto final na pendência da barreira à carne brasileira. O Chile proibiu a importação de carne do RS por causa da aftosa no Paraná. Diplomatas chilenos alegam que o Ministério da Agricultura não tem respondido às exigências. Francisco Turra (PP) recebeu informação da Abiec de que existem elementos para retaliar na mesma moeda: sanidade nas frutas chilenas importadas pelo Brasil.

Fonte: Coluna de Ana Amélia Lemos, no Zero Hora

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 15h40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Record e Bandeirantes serão processadas 

A Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo irá processar as redes de TV Record e Bandeirantes pela veiculação de entrevistas com supostos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC).

A Polícia Civil já instaurou inquérito para apurar se houve delito de apologia de crime ou criminoso por parte das duas emissoras.

Em nota divulgada à imprensa, a Secretaria repudiou a “forma criminosa e irresponsável” com que as duas emissoras colocaram no ar “falsas gravações” com líderes do grupo criminoso. “A veiculação de conversas com integrantes de facções criminosas serve tão-somente para inflamar o ânimo sensacionalista assustando a sociedade e prejudicando as investigações realizadas pelas autoridades competentes”, afirmou a Secretaria na nota.

Até o momento, nem a Record, nem a Bandeirantes se pronunciaram sobre a intenção do governo paulista de processá-las.  

Blog com o site Primeira Leitura 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 15h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Tiros, bombas, prisões e feridos na tentativa de desbloquear BR-163 no Nortão

Produtores e policiais em Sorriso entraram em confronto, na BR-163, onde estava sendo feito o bloqueio de cargas, no manifesto do Grito do Ipiranga. 4 pessoas foram presas. Alguns tiveram ferimentos leve, após ter sido jogada uma bomba de efeito moral. A Polícia Rodoviária também atirou para o alto, várias vezes, para tentar dispersar a multidão que está bloqueando a rodovia.

A situação está sob controle. Policiais rodoviários fizeram uma barreira e isolaram os agricultores, além de terem ritirado as máquinas que impediam o tráfego. Com isso, as centenas de carretas/caminhões carregados com soja, milho e arroz estão saindo de Sorriso em direção a outros Estados.

Alguns produtores, que integram a comissão organizadora dos manifestos, estão negociando com a PRF e aguardam uma posição do comando em Cuiabá. Um dos presos é um agricultor que estaria tentando murchar um pneu de um trator que estava na pista, na tentativa de dificultar a liberação da rodovia.
A Polícia Rodoviária Federal foi cumprir liminar da Justiça Federal para encerrar os bloqueios, que duram 3 semanas, principalmente para cargas de grãos e insumos. Os agricultores estão resistindo, convocaram a população para não encerrar o protesto.
A PRF começou a desbloquear a rodovia, hoje de manhã, em Nova Mutum. Não houve incidentes. Depois, seguiram para Lucas do Rio Verde onde houve liberação do tráfego. Porém, agricultores de Lucas dizem que continuam impedindo a passagem de cargas com grãos e insumos.

Posteriormente, a polícia buscou cumprir a decisão judicial, por volta das 09:00hs, em Sorriso. Havia poucos produtores no local do bloqueio e eles buscaram mobilizar"reforços"convocando mais agricultores, empresários e a população geral para resistir e manter o tráfego impedido para cargas agrícolas e insumos.
O clima também está tenso na BR-163 em Sinop, onde agricultores mantém o bloqueio de cargas de produtos agrícolas há vários dias. Muitos caminhoneiros estão se deslocando até o local do bloqueio, na saída para Sorriso, aguardando o desbloqueio da rodovia pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), para prosseguir viagem.
Produtores se armaram com pedras e paus. Caso os caminhoneiros tentem ultrapassar o bloqueio pode haver conflito. Houve momentos tensos, com empurrões e bate-boca. Alguns caminhões estão retornando para Sinop, mas ainda é grande o movimento no local.
Policiais rodoviários estão em Sorriso para liberar a rodovia. Agora há pouco houve tumulto. A polícia jogou bombas de efeito moral e atirou para o alto, várias vezes, para tentar dispersar a multidão que permanece no local.
Alguns produtores ameaçam resistir a desobstrução da rodovia em Sinop. Eles querem impedir que cargas com grãos saiam da região como forma de pressionar o Governo Federal a atender suas reivindicações como alterar a política cambial para os produtore agrícolas terem bons preços, prazo de 120 dias para pagarem contas em bancos e iniciativa privada, além a redução no óleo diesel e desoneração de impostos sobre diversos produtos agrícolas.

Autor: 24 Horas News

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 14h14
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

15 anos de bom jornalismo

18/05/06 | 9:45

Elson Martins (*)



Esta semana a Folha do Amapá completa 15 anos de existência. Sua edição número zero circulou em maio de 1991 com o apelo aos leitores que era ao mesmo tempo advertência aos gestores da vida pública no Estado:
— Está passando da hora deste povo mostrar que o Amapá não é a casa da mãe Joana.
De fato, o comandante da reserva da Marinha, Annibal Barcellos, que havia governado o ex-Território (1979 a 1986) nomeado pela ditadura militar, tornara-se o primeiro governador eleito do recém-criado Estado do Amapá (1988), concentrando mais poder. No velho estilo ditatorial, cerceava a imprensa, punia funcionários e não prestava contas dos gastos públicos indevidos.
No novo Estado não havia planejamento, nem saúde, nem educação, e as obras eram superfaturadas, supostamente, para alimentar contas bancárias de aliados políticos. O governo apostava na impunidade, enquanto os demais Poderes, constituídos à sua imagem e semelhança, pareciam unir-se contra o povo. Mudar essa situação dependia de atitude ousada, quase suicida, e foi exatamente isso que marcou o nascimento do jornal.
Havia escândalos de sobra a serem investigados por uma equipe de repórteres corajosos e éticos, a maioria debutando na profissão: uma semana era a compra inexplicável de motores russos que custaram uma fortuna (embora fossem inadequados para a região); em outra, confirmava-se fraude na encomenda fraudulenta de uma balsa hospital; ou o rombo na Superintendência de Navegação (Senava).
A primeira-dama, por sua vez, criou uma fundação através da qual gastava dinheiro público com atividades suspeitas. Mas ai de quem reclamasse! Um deputado governista experimentou sua fúria e apanhou na cara em plena reunião do Conselho Deliberativo da Sudam, na presença do malogrado (mas pomposo) José Sarney. A cena bufa ficou registrada na Folha, para a história.
Vale lembrar também os namoricos devassos de uma certa família real, quando o rei exibia taras por uma macumbeira togada, enquanto a consorte se atirava sedutora para a guarda do Palácio. Por conta dessas diatribes, um aviãozinho tinha que cumprir viagens caras a Manaus para alguém comprar uísque e perfumes.
Violência? Nenhum outro jornal fez a cobertura completa do seqüestro promovido pela corte contra os vereadores Pery Arquelau e Luiz Banha. Os dois foram submetidos a torturas e salvos por milagre. Um odioso esquema estaria sendo montado pelo filho do rei que intervinha em concursos públicos para nomear jagunços de sua guarda pessoal. O rapaz queria ser governador apoiado por um sistema criminoso, supostamente implodido pela CPI do Narcotráfico.
Em 1992 a Folha homenageou sua turma traçando um perfil dos jovens repórteres, diagramadores, revisores, etc — que construíram e mantêm, passo a passo, a credibilidade do jornal. Na primeira fase do semanário eles foram orientados pelo experiente Chefe de Redação, Antônio Corrêa Neto, o mais bravo e permanente jornalista amapaense. Quinze anos depois, muitos dos discípulos dele (com minha ajuda) atuam em trincheiras democráticas no Amapá e em outras regiões do País.
Nas edições comemorativas estão contempladas opiniões dos leitores. Estes absorveram inevitáveis paralisações e estratégicas mudanças editoriais do jornal, que não encontrou dificuldades para explicar, por exemplo, a tolerância diante de falhas apresentadas na implementação do PDSA (Programa de Desenvolvimento Sustentável do Amapá) nos dois mandatos do governo Capiberibe (1995 a 2002). O jornal defendeu as idéias do programa sem cometer incoerência.
A Folha atravessou o período Capiberibe sem beneficiar-se de verbas públicas — um costume institucionalizado —, o que parecia improvável à época. Embora aliado do governo, o jornal continuou sendo mais amigo da democracia, apostando na cultura tradicional, na valorização da identidade amapaense, nos artistas e na riqueza natural do Estado como fatores de desenvolvimento. Sua equipe está o tempo todo consciente de seu papel histórico de ajudar a melhorar a sociedade.
É essa postura que mantém a credibilidade do jornal mesmo nas crises financeiras e políticas que novamente atravessa. O semanário debutante não foge do embate e sabe que mais dia, menos dia contará com boa estrutura, circulação e tudo o mais num espaço que é seu por merecimento.

(*) Criador e fundador da Folha do Amapá

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Marcola nega acordo 

A TV Bandeirantes levou ao ar entrevista com um homem identificado como Marcos Willians Herba Camacho, o Marcola, principal líder do PCC (Primeiro Comando da Capital).

Assista à entrevista

O homem identificado como Marcola, que está na cadeia em Presidente Bernardes e teoricamente incomunicável, falou pelo celular com o jornalista Roberto Cabrini.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h45
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

OPINIÃO

 

Censura no Amapá

 

Se virar regra, não sobra um meu irmão 

 

Na Bahia tem uma frase lapidar do mestre Otávio Mangabeira: “Pense  num absurdo, ele já aconteceu na Bahia”.

 

Pois, esta frase, se aplica muito bem agora ao Estado do Amapá.

 

É que o juiz auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral Anselmo Gonçalves concedeu liminar requerida pelo PDT, mandando retirar do ar a edição on line do jornal Folha do Amapá. O descumprimento pode resultar em multa diária de R$ 5 mil.

 

A alegação do PDT, partido do governador do Estado, aceita pelo juiz, é que a Folha do Amapá vem fazendo propaganda antecipada extemporânea negativa e que o jornal está denegrindo a imagem do governador, que é candidato a reeleição.

 

A edição da Folha do Amapá que embasou a liminar é a 571, data de capa de 12 de maio passado, que reporta em sua manchete a saída da siderúrgica Sólida do estado, deixando 300 desempregados, muitas dívidas e o fato da empresa ter sido instalada com o aval do governo estadual, que fez festa na chegada e até anúncios em rádios, jornais e televisões.

 

No site oficial do governo Amapá está o release onde o governador Waldez Góes festeja a chegada da Sólida.

 

Além disso, o PDT questiona todas as matérias em que é citado o nome do governador Waldez Góes, inclusive a coluna de humor “Tomates Silvestres”, inspirada na do jornalista José Simão, na Folha de São Paulo. 

 

A concessão da liminar pelo juiz Anselmo Gonçalves é uma agressão à liberdade de imprensa no país e um precedente perigoso, principalmente porque todas as matérias publicadas pela Folha do Amapá são sustentadas em provas extraídas do site oficial do governo do Amapá, no link “Prestação de Contas”.   

 

A censura a Folha do Amapá é um absurdo, que abre um precedente para os políticos que vem sendo sistematicamente acusados de supostos ilícitos, pelos jornais, revistas e emissoras de rádio e televisão,  ingressarem com pedidos semelhantes pelo país.

 

 

 

Se de exceção, isso virar regra, não sobra um meu irmão!

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

INFORMAÇÃO e OPINIÃO -IOCM- !
ex-Blog do Cesar Maia
      18/05/2006

O PFL E A CAMPANHA PRESIDENCIAL !

Hoje o PFL indica o vice na chapa de Alckmin. Começa para valer o jogo. Enquanto não se chegar a um acordo tipo Concertación no Chile, o PFL atuará -inevitavelmente- num movimento pendular buscando tocar na candidatura presidencial e nas candidaturas regionais.

O senador Nabuco de Araújo -já nos anos 1850- ensinava que coligação entre partidos se faz em governo. Ou seja, coligações eleitorais, só têm função eleitoral e portanto -com este foco- o PFL irá trabalhar, enquanto não se tratar de um processo político de maior profundidade. Isso foi dito e repetido, no momento em que o PFL decidiu pela coligação com o PSDB. O próprio Alckmin repetiu isso algumas vezes. Mas não basta a retórica. Há que entender o conceito e desenhá-lo politicamente.

A Democracia Cristã chilena não abriria mão de candidatura a presidência, pela segunda vez consecutiva, se não tivesse assegurado que o governo é das duas forças políticas: PPD/PS e PDC. Aliás depois de escolhido o ministério com dois seniors democrata-cristãos em posições chaves -Zaldivar no ministério da "governacion" e Foxley no de relações exteriores, quem reclamou foi o PPD de Lagos.

A PERCEPÇÃO DE DESCONTROLE E O ENVOLVIMENTO DE LULA !

Agora só duvida quem pensa que pesquisa é feita para medir intenção de voto. O governo Lula foi sendo acompanhado -e continua sendo- por uma série de escândalos -em âmbito nacional, regional e internacional. Escândalos de corrupção de todos os tipos, crime organizado ostensivo em vários Estados (como Espírito Santo, Rio de Janeiro e S. Paulo), desmontagem do setor agrícola (MST pintando e bordando) e a crise na saúde pública nacional.No plano internacional, vemos a presença de rostos desgastados e que insinuam confronto, como Fidel Castro e Chávez. E por último, a entrada em cena de Evo Morales machucando uma das poucas unanimidades nacionais -a Petrobrás.

A percepção média das pessoas é que se tudo isso acontece em um mesmo governo federal, é pelo fato de que este governo tem tudo a ver com tantas ocorrências negativas. O jogo de desgastar o Congresso é primário, pois este desgaste é permanente e ocorre na imensa maioria dos países. Os números de hoje não são diferentes dos de anos ou meses atrás. O Data-Folha publicado ontem mostra isso. Lula se escondeu na crise de SP, deu umas caneladas transferindo a responsabilidade e ainda conseguiu ser o mais culpado, entre ele, Alckmin, e Lembo.

Os ingredientes estão na panela. Agora cabe à oposição, colocar em fogo brando e ir aquecendo até a eleição. Isso não se resolve com o Jornal Nacional, mas com Comunicação Direta e com palavras chaves que associem Lula a este descalabro, que repetidas na imprensa local, nos panfletos, nos comícios em casa, no boca a boca, vão engrossando o caldo, a medida que a temperatura sobe. Mas lembre-se: este fogo não se acende no automático. Eleição é como a lavoura: semeadura, adubagem e irrigação. Publicidade é a irrigação. Sem semeadura só cria lama. A semeadura com adubagem é a Comunicação Direta, cada vez mais. A irrigação está sendo feita, naturalmente. É só ligar a TV, o rádio e ler os jornais.

Ô ASSESSORIA DO ALCKMIN !!!
Uma sugestão de leitura: "O que você sabe de política,...e porque você está errado" de Kathleen Jamieson.

Esta é a maior pesquisa sobre discurso e comunicação em eleições presidenciais nos EUA. Publicada em livro nos EUA, mas ainda não editada no Brasil. Com esta leitura a assessoria vai entender que a imprensa não cobre conteúdo em eleições, mas ESTRATÉGIA. Não se trata de má vontade ou perseguição. Trata-se da forma que as eleições são cobertas. É assim aqui e alhures !!!! E será na campanha toda. O que vocês da assessoria se lembram da campanha de 2002 ? Ah..sim...o Lula -paz e amor- , as duas declarações do Ciro,(mulher e gravador bobo em rádio),....etc...etc... Tudo cobertura de estratégia ! E do programático Serra ? Vocês se lembram de algo ?

Primeira Leitura.
Alckmin critica imprensa e diz que campanha não muda

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, acusou a imprensa de fazer apenas " fofoca e intriga" e reafirmou que sua campanha não sofrerá alteração de rumo. Na terça-feira, em Nova York, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, cobrou uma correção de rumo na campanha tucana. Em visita à cidade de Ribeirão Preto (SP), Alckmin acusou a imprensa de ter "mudado" as palavras do governador mineiro. "Não tem nenhuma alteração, eu estive com o Aécio e vocês mudam as palavras das pessoas", disse o ex-governador. "É impressionante. A cobertura da eleição presidencial no Brasil é fofoca, é intriga, não tem substância e conteúdo", disparou Alckmin.

EXTRAS, EM TRÊS TOQUES !

1. CURIOSO OU INACREDITÁVEL ?

Garantem que a agência de publicidade que faz os comerciais da Vale do Rio Doce é a mesma da Petrobrás, ou pelo menos, a mesma do coração do governo Lula. Os comerciais são irmãos quase gêmeos. A conferir.

2. PMDB : REVIRAVOLTA ?

Rio Grande do Sul lança a candidatura de Pedro Simon a presidente. Pedro Simon gostou e aprovou. Quércia e Garotinho dizem que embarcam nessa. Itamar idem. Se for confirmado, a Convenção que não ocorreria no dia 10 de junho, pode ocorrer e mudar tudo de novo.

3. PESQUISA!

Por que o Judiciário foi eleito com 65% na pesquisa Data-Folha como o principal responsável pelo MASSACRÃO no Estado de SP ? Resposta elementar. Porque o eleitor acha que o Sistema Penitenciário pertence ao Poder Judiciário. Questão de informação.

AS SURPRESAS DA BOLÍVIA

O espanhol ABC afirma que, após ter ameaçado interesses espanhóis na Bolívia, com a nacionalização das companhias de gás e de petróleo, Evo Morales "agora ameaça a Espanha com o fim da gestão de aeroportos bolivianos". O diário afirma, em relação às nacionalizações bolivianas, que "a cada dia o país oferece uma nova surpresa". O ABC se refere ao anúncio feito pelo governo boliviano de que irá rever o contrato da empresa espanhola que gerencia três dos principais aeroportos do país desde 1997 e irá repassá-lo a uma estatal boliviana.
Pesquisa e Edição : JCM

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h26
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Censura no Amapá

Coluna Amapá Global da Folha do Amapá censurada:

AMAPÁ GLOBAL

Camilo Capiberibe

Insegurança e privatização na era Waldez

Podem falar que é marcação e talvez seja mesmo, mas o fato é que não
posso ouvir
uma idéia estapafúrdia sem esboçar alguma reação. Assistindo ao jornal da TV
Amapá no início desta semana, vi o delegado responsável pela Delegacia de
Crimes Contra o Patrimônio explicando um assalto sofrido por um
contínuo de uma
empresa de táxi-aéreo em frente à sede da Polícia Federal. Achei
curiosa a saída
oferecida pelo delegado para minimizar este tipo de assalto que vem
acontecendo
com freqüência em Macapá. Segundo o mesmo, a solução seria a contratação de
empresas de segurança privada para efetuar o transporte de valores.
Todos sabem que anos atrás não havia no Amapá assaltos na porta de bancos. Não
havia também estes assaltantes que ficam vigiando os passos das pessoas e
atacam quando elas vão ao banco receber o salário, ou quando as empresas sacam
para pagar funcionários, etc. O Amapá mudou e deveria ter mudado também a
política de segurança pública. O que o delegado declarou depois da explicação
pode até soar estranho, mas é verdadeiro. Ele constatou que hoje o Estado,
leia-se o governo, é incapaz de garantir a segurança das empresas aqui
instaladas e que a única maneira de garanti-la é contratando uma empresa
privada de segurança. As implicações contidas na sugestão do delegado já não
são tão simples. Sem querer, talvez movido por um ato falho, o delegado
sugeriu
que devemos privatizar a segurança pública.
Pode parecer esquisito, mas não é e existe o precedente dentro deste mesmo
governo. Semana passada nosso Estado se escandalizou com o esquema da
capela de
fluxo laminar fartamente noticiado pela imprensa local. A capela, que é um
aparelho hospitalar usado no combate a certos tipos de câncer, quebrou, uma
nova custa vinte e cinco mil reais. O Governo do Estado, no entanto,
imbuído do
atual espírito privatizante, decidiu que o melhor seria privatizar o serviço,
fazendo para tanto um contrato no valor de R$ 147 mil mensais com uma clínica
privada, o que geraria um custo ao final de seis meses de R$ 882 mil.
Restabelecer o atendimento no sistema público com recursos humanos pagos pelo
Estado, ou seja, por servidores públicos, custaria R$ 25 mil no total. Graças
ao Ministério Público Federal esta imoralidade não prosperou.
O presidente da Assembléia Legislativa, no day after ao assalto à casa do
deputado estadual Eider Pena, também procurou e achou uma solução para a
insegurança que se abateu sobre nossos deputados estaduais. Jorge Amanajás,
demonstrando sua justificada falta de confiança na segurança pública ofertada
pela atual administração, seguiu o conselho do delegado e privatizou a
segurança dos deputados estaduais. Contratou uma empresa para que esta ofereça
quatro seguranças armados para cada parlamentar. O preço da brincadeira
vai ser
da ordem de 2 milhões de reais por ano. Mas o que são 2 milhões de
reais para a
Assembléia Legislativa se ela dispõe de R$ 67,2 milhões anuais? É tanto
dinheiro que o presidente da Assembléia Legislativa não se deu sequer ao
trabalho de prever no orçamento aprovado em 2005 este módico gasto.
Só para ilustrar vou lembrar aos meus leitores que a Polícia Militar do Amapá
dispõe de 4,2 milhões de reais, por ano, para garantir a segurança de 554 mil
amapaenses. Se fizermos as contas veremos que enquanto o governo Waldez
destinou R$ 7,60 anuais por habitante para que a Polícia Militar efetue seu
trabalho, os deputados estaduais vão dispor individualmente de mais de oitenta
e três mil reais por ano para suas seguranças pessoais. Isso significa que
existem dois tipos de cidadãos neste Estado: aqueles que se encontram numa
situação de privilégio que podem dispor de serviços de saúde e segurança
privada — alguns ainda por cima bancados com dinheiro público — e o cidadão
comum que está abandonado à sua própria sorte. E eles ainda dizem que sabem o
que estão fazendo. Ninguém merece!

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h10
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Censura no Amapá

Matéia censurada da Folha do Amapá sobre a propaganda do governo: 

Amapá é o Estado do Brasil que mais gasta com propaganda

O governador Waldez Góes disse esta semana, durante programa político do PDT,
que veio para celebrar a paz e a harmonia entre os Poderes. Disse também que
não briga com a imprensa do Estado. O que Waldez Góes não disse é que a
paz e a
harmonia que ele canta e decanta custam caro ao bolso da população amapaense,
principalmente em relação ao que é gasto com grande parte da imprensa, que
recebe dinheiro para falar apenas bem do governador.
Não é à toa que em dois anos o governador Waldez Góes dobrou o orçamento da
Secretaria de Comunicação, que passou de R$ 4,5 milhões em 2004 para R$ 8,3
milhões este ano. O dinheiro para gastar com a imprensa, e não ser importunado
com a divulgação das mazelas e escândalos do governo, é maior do que
está sendo
destinado este ano, por exemplo, para a Polícia Militar, Polícia Civil,
Secretaria da Receita Estadual, Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria da
Indústria, Comércio e Mineração, Secretaria de Segurança Pública,
Secretaria do
Trabalho e Empreendedorismo, Secretaria de Turismo, Secretaria da Ciência e
Tecnologia, Corpo de Bombeiros e Instituto de Pesquisas Científicas e
Tecnológicas (Iepa), só para citar alguns casos.
Um levantamento feito pela Folha aponta que cada um dos 600 mil habitantes do
Amapá está desembolsando este ano mais R$ 13 (o orçamento da Secom é de R$ 8,3
milhões, sem contar as suplementações) para o governo Waldez gastar com
propaganda ostensiva no rádio, jornal e televisão, além de pagar jornalistas e
deputados que ocupam espaços na mídia para que só falem bem da atual
administração, mesmo diante dos mais escancarados escândalos. O pagamento é
feito pela empresa Amazoom, que desde o início do mandato de Waldez Góes é a
única dona da conta publicitária do governo. A Amazoom fez a campanha
de Waldez
em 2002.
Por mais incrível que possa parecer, o Amapá, em termos proporcionais
(comparação entre o orçamento e o número de habitantes), é o Estado que mais
gasta com propaganda. Uma pesquisa feita pelo jornal paraense Diário do Pará,
para mostrar quanto o governo paraense gastou com propaganda em 2005, indica
que cada contribuinte daquele Estado desembolsou R$ 5,96, muito mais do que os
paulistas, que gastaram R$ 45 milhões, o que significa R$ 1,11 per capita.
Comparando o Amapá com os R$ 6,2 milhões do orçamento da Comunicação no ano
passado, o custo per capita ficou em mais de R$ 10.

Proporção

Ainda levando em conta a questão da proporcionalidade, o gasto com
propaganda no
Amapá supera Estados como Rio Grande do Sul (R$ 3,76), Pernambuco (R$ 3,90),
Paraná (R$ 4,72), Minas Gerais (R$ 337), Bahia (R$ 5,1) e o pobre Maranhão de
Sarney (R$ 1,11). À exceção do Maranhão, os outros Estados oferecem aos seus
habitantes, no geral, melhor qualidade de vida. Mesmo assim, seus governantes,
proporcionalmente, gastam menos do que o Governo do Amapá, reforçando a máxima
de que governo bom não precisa de propaganda, pois o reconhecimento do
povo vem
através do que ele vê.
No Amapá, o governador não tem como reclamar ou brigar com jornalistas, pois a
maioria é paga justamente para não lhe dar problemas. Até deputados estaduais
que resolveram virar jornalistas, apresentando programas em emissoras de rádio
e televisão, são beneficiados com o dinheiro público para derramar elogios
sobre o governador. Durante as entrevistas coletivas, os participantes são
orientados a não fazer questionamentos que possam embaraçar Waldez Góes.


Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Censura no Amapá

Matéria censurada da Folha do Amapá sobre trabalho escravo:

Funcionários denunciam maus-tratos na fazenda de Jorge Amanajás e Eider Pena

DOMICIANO GOMES

O deputado estadual e presidente da Assembléia Legislativa do Estado, Jorge
Amanajás (PSDB), juntamente com o deputado Eider Pena (PDT) e os demais sócios
da fazenda Lago Azul estão sendo denunciados à Delegacia do Ministério do
Trabalho por trabalhadores rurais da respectiva fazenda. Os dois parlamentares
e os sócios são acusados de maus-tratos, descumprimento das leis trabalhistas,
uso indevido da imagem e condições impróprias de trabalho. A denúncia está
sendo feita por Hélio da Silva Sodré, Nilson Souza e José de Ribamar Silva.
Todos saíram recentemente da fazenda.
Ao contrário da intensa propaganda veiculada em jornais, rádios e
principalmente
nas emissoras de TV em todo o Estado, mostrando o agro-negócio como
alternativa
econômica e social para o Amapá, os trabalhadores relatam situações absurdas e
até desumanas.
De acordo com os relatos, a alimentação é à base de feijão, arroz e
ovo. Embora
na fazenda tenha uma área de criação de peixes, dificilmente é servido outro
tipo de comida aos trabalhadores. A alimentação é usada também como forma de
punir aqueles que por algum motivo atrasam no retorno ao trabalho às
segundas-feiras. Se o trabalhador chegar depois das 7h não tem direito ao
almoço. Para chegar à fazenda os funcionários caminham 18 quilômetros a partir
do Km 50 da BR-156. Aos finais de semana aqueles que decidem permanecer
na Lago
Azul só podem comer se trabalharem. Em alguns casos os trabalhadores ficam
devido à falta de dinheiro para retornarem a Macapá. Mesmo quem tem condições
de sair da fazenda e retornar domingo à tarde para não atrasar na segunda pela
manhã, não tem direito ao jantar de domingo.
Segundo relatos, por mais de uma vez o administrador da fazenda, Benedito Dias
Cardoso, mandou que o jantar servido aos sábados à tarde, após o encerramento
da carga semanal de trabalho, fosse jogado fora ou dado aos cachorros. A ordem
ocorria quando os funcionários da fazenda resolviam descansar depois de uma
semana de trabalho e não trabalhavam no turno da tarde.

Garoto-propaganda

Hélio Sodré conta que trabalhou na fazenda de Jorge Amanajás por duas vezes;
sete meses em 2004 e mais nove meses de 2005 a 2006. Durante esse
período, além
de agricultor, virou garoto-propaganda de Jorge Amanajas e do
governador Waldez
Góes (PDT), sem ter recebido um centavo pelo segundo trabalho:
— Da primeira vez chegaram aqui, mandaram vestir uma camisa azul, trepar numa
colheitadeira e gritar: Isso aqui é trabalho do Waldez. Depois deram um
documento pra gente assinar. Na segunda vez para o comercial da Sólida não
assinei nada não — afirma Hélio.
O trabalhador teve a carteira de trabalho assinada quando entrou pela primeira
vez para trabalhar na fazenda Lago Azul em 2004. Saiu, voltou, foi demitido de
novo e embora tenha sido demitido há dois meses a carteira ainda não foi dado
baixa:
— Quando saí a primeira vez recebi R$ 700 de indenização. Na segunda R$
800. Mas
minha carteira continua assinada — afirma.
Trabalho sem proteção
Hélio e os demais funcionários fazem ainda uma outra denúncia grave. Segundo
eles, a empresa não fornecia nenhum equipamento de proteção durante a
aplicação
de veneno ou adubo nas plantações. Os trabalhadores relatam que aonde o trator
não pode ser usado eles usavam bomba para aplicação manual do veneno, porém
nunca receberam máscara, luva ou até mesmo botas para realizar o trabalho.
Nilson mostra queimaduras no braço atribuídas, segundo ele, às condições de
trabalho durante a aplicação de veneno. Embora tenha sido o último a
sair entre
os três, Nilson foi o primeiro a procurar a Delegacia Regional do
Trabalho para
denunciar as condições de serviço.
Já José de Ribamar diz que a exploração era demais e por esse motivo saiu da
fazenda. Mesmo tendo trabalhado sete meses na Lago Azul não teve a carteira de
trabalho assinada e diz ter recebido R$ 700 de indenização, incluindo o
salário, quando foi demitido.
Hélio, Nilson e José de Ribamar dizem que o deputado Jorge Amanajás
quando ia à
fazenda apenas acenava, mas nunca falava com os trabalhadores.
Procurado pela Folha, através da assessoria de imprensa, para falar sobre as
denúncias, o deputado Jorge Amanajás não deu resposta. O parlamentar disse
recentemente que não recebe a Folha.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Censura no Amapá

Coluna de humor da Folha do Amapá censurada

TOMATES SILVESTRES / Pro Talvez o Amapá é a Bélgica

Stevita Silvestre

O Talvez contratou o Instituto Puro-chute para levantar os dados do seu
governo.
A equipe de marketing No Mundo da Fantasia embalou para presente e vendeu pra
gente um Amapá que não é esse onde estamos morando agora. Será que
existe outro
e eu não sabia? Me mostra o caminho que eu vou correndo para lá.
E o Talvezcóptero? Prrrrrrrr, prrrrrr, prrrrr, égua! Quantos estão
passando por
cima de casa agora? Só um moleque, é que é barulhento mesmo! Muito
barulho para
pouco resultado, taí um bom slogan pro Talvez! Combina com o esquilo de
estimação.
Taí, gostei do nome da Operação Sanguessuga, só falta agora dizerem que
era para
uso terapêutico! Já sei! Vamos inventar também a operação tapa-buracos
usando a
massa corrupta que assola o País.
E o Garotinho, alguém tem notícias dele? Será que ele ainda está
passando fome?
Agora a turma do Luiz Ignorácio está ficando maluca. Além de ignorante,
biruta?
Era só o que faltava. O Silvinho Sujeira surtou e destruiu o próprio
apartamento, será que o PT pirou de vez? Tomates silvestres para o Sujeira.
Deixa eu sair de costas pra não pisar na língua. Tichau e até semana que vem.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Censura no Amapá

Matéria de capa da Folha do Amapá censurada por liminar concedida ao PDT:

Sólida deixa dívidas e cerca de 300 desempregados no Amapá

DOMICIANO GOMES

Anunciada como símbolo da geração de emprego e do crescimento econômico do
Governo do Estado, a empresa Sólida Mineração acaba de demitir todos os
funcionários, além de fornecedores e prestadores de serviço sem receber pelos
serviços prestados. Há exatamente um ano (no dia 13 de maio de 2005) a empresa
inaugurava as instalações para peneiramento e britagem de minério de ferro no
município de Tartarugalzinho. Na época, o governador Waldez Góes (PDT) e a
empresa anunciavam a geração de 500 empregos diretos e investimentos da ordem
de US$ 5 milhões. Segundo a Secretaria de Comunicação do governo e a
propaganda
da empresa, somente na construção do primeiro de dois alto-fornos, pela Sólida
Siderurgia, naquele momento estavam sendo gerados 160 empregos diretos:
— Indiretamente estima-se que sejam demandados no processo de extração do
minério de ferro e transformação e comercialização do ferro-gusa em torno de
dez mil empregos — afirmava o governo.
— Precisava inaugurar um novo tempo que desse conta dos meus quatro anos de
governo — falou Waldez Góes, por ocasião da inauguração da empresa,
referindo-se aos projetos de desenvolvimento econômico criados pelo governo.
No dia 23 de março a Sólida deu férias coletivas para aproximadamente 160
funcionários que trabalhavam na mineração. Ao retornarem das férias, no dia 21
de abril, os funcionários da empresa foram informados que estavam todos de
aviso prévio. Apenas o pessoal da área de sondagem ficou no quadro.
De acordo com informações obtidas pela Folha, através de alguns
funcionários da
empresa que aguardam indenização e por isso temem se identificar, a Sólida
teria informado que as demissões estavam ocorrendo em razão de dificuldades
financeiras. Dois meses antes da demissão em massa, 100 funcionários já haviam
sido dispensados. Na época, a empresa decidiu reduzir o salário dos
trabalhadores que permaneceram no quadro. Em razão do corte nos
salários outros
funcionários vinham pedindo demissão.
Ainda segundo os funcionários, o serviço de mineração será terceirizado
para uma
outra empresa chamada Cyticar. Essa nova empresa deverá contratar parte dos
trabalhadores demitidos, a maioria dos moradores é dos municípios de Porto
Grande e Ferreira Gomes.
Os trabalhadores desempregados ainda não sabem quando será paga a indenização.
O período do aviso prévio se encerrou no dia 4 de maio, porém, até
quinta-feira,
11, os funcionários da Sólida ainda não haviam recebido as indenizações.

Calote com aval do governo

Além das dívidas trabalhistas, a empresa acumulou e deixou débitos com
prestadores de serviços no Estado. Proprietários de hotéis e de caminhões que
trabalhavam para a mineradora — assim como os funcionários — preferem
não falar
nada ainda sobre o assunto na esperança de receberem pelos serviços. Os hotéis
hospedavam diretores da empresa que tem sede no Bairro Funcionário, em Belo
Horizonte, Minas Gerais.
Trabalhadores dizem que os sinais de crise começaram a aparecer quando
a empresa
MMX, responsável pela Estrada de Ferro do Amapá, parou de transportar
minério de
ferro para a Sólida até o Porto de Santana. A partir daí a empresa teria sido
obrigada a contratar carretas para realizar o transporte de
Tartarugalzinho até
o município de Santana. Há informações ainda de que o teor do minério de ferro
encontrado no Amapá não seria de boa qualidade e isso teria desestimulado
investimentos dos sócios do grupo Sólida, cujo capital era de empresários
chineses.
Procurados pela Folha, os diretores da Sólida Mineração Ltda ou da Sólida
Siderurgia S.A. não foram encontrado para falar sobre a situação. Na área de
implantação da Sólida Siderurgia no Distrito Industrial do Coração, em Macapá,
uma funcionária que se identificou apenas como Azenir informou que os
diretores
da Sólida estão viajando. Na referida empresa, o salário dos funcionários está
atrasado e alguns trabalhadores dizem que a situação anda difícil.
Desde o anúncio da implantação da Sólida Siderurgia e Sólida Mineração
no Amapá
o governo se apressou em anunciar benefícios, sendo que ao mesmo tempo
iniciavam denúncias de irregularidades que começavam desde a liberação da
licença ambiental. Antes mesmo das duas empresas iniciarem qualquer tipo de
atividade operacional surgiram denúncias contra as empresas por prática de
crime ambiental.
De acordo com a propaganda do Governo do Estado, o processo de extração e
transformação do minério de ferro em ferro-gusa (matéria-prima do aço) iria
envolver investimentos diretos em pelo menos três municípios do Estado —
Tartarugalzinho (extração), Ferreira Gomes (peneiramento e britagem) e Macapá
(siderúrgica). Além de mão-de-obra, a atividade mineradora resultaria em
impostos para as prefeituras sedes; investimentos sociais por meio de
parcerias; e na implementação de empresas prestadoras de serviços, além de
empreendimentos interessados em atender a demanda gerada pela empresa.

Crime ambiental

Em março de 2003 o prefeito do município de Mazagão, José Carlos Corrêa de
Carvalho (PDT), popularmente conhecido como Marmitão, mandou um ofício à
Secretaria de Meio Ambiente do Estado denunciando a empresa pela atividade e
compra ilegal de carvão vegetal no município.
Embora tenha negado as denúncias, logo depois a Folha comprovou o envolvimento
da Sólida Siderurgia no financiamento para produção e na compra de carvão
vegetal nos municípios de Mazagão e Tartarugalzinho. E a empresa vinha
financiando agricultores na construção de fornos dentro de assentamentos
rurais, tudo sem nenhuma autorização ambiental.
Recentemente, em novembro de 2005, o deputado Alexandre Barcellos acusou a
Sólida Mineração de poluir o Rio Tracajatuba, após o rompimento da barragem de
contenção de resíduos sólidos. O então secretário de Estado do Meio Ambiente,
Edivaldo Azevedo de Souza, confirmou depois que a Sólida Mineração vinha
realizando o lançamento do efluente da lavagem do minério de ferro no Igarapé
Mirim, entre o município de Porto Grande e Ferreira Gomes. Edivaldo Azevedo
disse na época que os problemas causados pela empresa eram graves,
porém a área
já estava embargada e a empresa seria multada.
Os funcionários demitidos em abril passado pela empresa dizem que o
vazamento de
efluente da lavagem do minério de ferro continuava ocorrendo e causando a
contaminação dos rios da região.


Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Acordo fajuto
SP sofre novos ataques; 10 ônibus são
queimados, e 6 suspeitos morrem
PM aborda carro suspeito no bairro da Liberdade
Novos ataques contra ônibus e forças de segurança continuaram a ocorrer entre a noite de quarta (17) e a madrugada desta quinta-feira. Pelo menos seis suspeitos morreram, e dez ônibus foram queimados. Apesar disso, a circulação de ônibus recomeçou normalmente na manhã, com o apoio da PM e da Guarda Civil Metropolitana. Na marginal Tietê, o trânsito ficou complicado após tiroteio entre a PM e suspeitos.

Leia mais aqui

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h46
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Sem Trégua
Bloqueios permanecem até o dia 25

As rodovias federais que cortam a cidade Rondonópolis voltarão a ser interditadas na manhã desta quinta-feira (18/05). Os produtores prometem permanecer com os bloqueios nas BRs até a quinta-feira da próxima semana (25/05), quando o Governo Federal se comprometeu, anteontem, em anunciar medidas estruturantes em prol do setor agrícola nacional. As novas definições foram anunciadas ontem, no começo da noite, em reunião entre produtores, transportadores, pecuaristas e empresários agrícolas.

Conforme os novos rumos traçados por unanimidade, as interdições até o próximo dia 23 - uma terça-feira - ocorrerão das 7h às 17h, nas BRs 163 e 364, nas saídas para Campo Grande (MS) e Goiânia (GO), na região do Posto Trevão, em Rondonópolis. No domingo (21/05), as estradas estarão liberadas. Na quarta-feira (24/05), os bloqueios devem se estender por mais de 24 horas, chegando à quinta-feira. Os manifestantes informaram ainda que os bloqueios serão totais, abrangendo até carros de passeio e ônibus.

Fonte: A Tribuna, Mato Grosso

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h36
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Marcola fala com Cabrini por celular de presídio de segurança máxima

Globo Online

SÃO PAULO - O jornalista Roberto Cabrini, da TV Bandeirantes, conseguiu driblar a segurança e falar com um líder do crime organizado dentro do presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes. A entrevista foi ao ar na madrugada desta quinta-feira. Em mais um lance de ousadia nos ataques a São Paulo, Cabrini afirma que falou com o responsável pelos ataques à cidade, o preso Marcos Camacho, o Marcola, pelo celular. Segundo as autoridades, desde sábado, Marcola está na penitenciária de Presidente Bernardes.

Num perfil do criminoso, Cabrini afirma que Marcola foi condenado a 30 anos de prisão por assalto a banco e cumpriu 24 anos da pena. Segundo Cabrini, ele é considerado o 'líder cerebral' da facção criminosa e cursou duas faculdades. Veja os principais trechos da entrevista:

Por que o PCC decidiu fazer os ataques?

- Bom, a gente decidiu porque, por meios legais, fizemos vários apelos, pela Constituição e pela lei que nos ampara, de ter advogado e os direitos que reza a lei para o preso. Eles tomaram a iniciativa de remover e feriram toda essa lei e essa Constituição, numa decisão arbitrária, sem usufruir de nenhum destes direitos, nenhuma regalia. Foi aí que decidimos chamar atenção por essa forma. Não obtivemos êxito por meios legais e acabamos chamando atenção desta forma.

Os ataques começaram na sexta-feira, quando eles foram decididos?

- Foi decidido na própria sexta-feira. Foi decisão em conjunto. Tentamos resolver de forma legal, mas deram as costas. Eles sabiam que, se fizessem a remoção, mexeriam na ferida.

Perguntado sobre se foi a facção que determinou os ataques ao metrô e a ônibus, o criminoso foi categórico:

- O que foi visto foi feito

Ao detalhar os motivos que levaram aos ataques, o criminoso afirmou que foi apenas para obter êxito nos pleitos. "Se a gente não atacasse não seria ouvido", resumiu. Sobre o assassinato até mesmo de um bombeiro durante os ataques, disse que existem atitudes que são tomadas de forma isolada e oportunista.

O preso faz ainda uma ameaça às autoridades, ao responder se elas subestimaram o poder do crime organizado.

- Não sei. Só sei que o impacto é esse e estamos preparados para muito mais, tem condição de muito mais. Foi cessado, parado. Estamos procurando meio de resolver a situação, mas eles não estão querendo, estão agindo de forma virtual, declarando guerra. E esquecendo que estão deixado a sociedade à mercê. As duas partes têm poder de fogo, quem tem a perder é quem não é de nenhuma das duas partes.

Perguntado o que levou a cessar os ataques, respondeu.

- Causou o efeito que foi necessário. Usamos para chamar atenção.

Sobre um acordo com as autoridades para colocar fim aos ataques, negou:

- Da minha parte não.

O preso disse ainda que outras 'manifestações' podem ocorrer, pois a Polícia Militar está matando.

- Está morrendo família de preso e gente inocente. Qual é a arma da gente? É chamar atenção. É procurar a mídia, Por isso estou falando com você

Perguntado se há próximos passos a serem tomados, afirmou que 'não tem próximo passo'.

- Estamos esperando retorno em cima disso. Quero respeito, dignidade, senso de humanidade.

    

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Salvador a deriva
A cidade voltou a parar

  Por Nelson Rocha, Priscila Melo e Lorena Costa

  Uma briga de facções que lutam pelo poder no Sindicato dos Rodoviários foi a principal causadora da violência registrada no final da tarde de ontem, quando motoristas trocaram acusações, quebraram vidros de carros particulares e fizeram pessoas passarem mal diante do quadro de selvageria desenhado por parte de alguns grupos desses profissionais do volante.
   Cenas de brutalidade e pânico foram presenciadas por pedestres que circulavam próximo às áreas de conflito, sem que houvesse a interferência das autoridades. Corre-corre, gritos, palavrões, lágrimas e muita confusão marcaram mais uma vez a rotina da cidade, prejudicada pela ação de representantes de diversos segmentos que se utilizam de estratégias incômodas para reivindicar o que lhes é de direito, porém de forma inadequada. No final da tarde de ontem, vários pontos importantes de Salvador foram ocupados por estudantes, rodoviários e vigilantes, fato que provocou transtornos à população, principal vítima das manifestações. Em Itapuã, o trânsito ficou lento durante longo tempo devido aos protestos de estudantes, que depois seguiram pela Paralela para a região do Iguatemi, uma das áreas mais ocupadas ultimamente pelos movimentos sociais. Os vigilantes, que protestavam contra o atraso no pagamento dos salários da categoria, também deram a sua contribuição para a instalação do caos, ao se postarem ao lado do prédio da Prefeitura, proporcionando engarrafamentos no Centro. Mas foram os rodoviários os maiores responsáveis pela confusão que se instalou no início da noite na Grande Salvador, ao impedirem o retorno à casa de trabalhadores que nada tinham a ver com a luta que travam por melhores salários.
   Os líderes da categoria pareciam haver perdido o controle da situação ao permitirem que vários ônibus estacionassem nas principais ruas e avenidas, despertando a ira de passageiros e motoristas particulares, que não pouparam criticas aos organizadores das passeatas. No final das manifestações, todos se perguntavam até quando Salvador irá suportar essas ações desordenadas, que acabam por atrapalhar a vida dos que estão à margem dos acontecimentos.
 
Fonte: Tribuna da Bahia

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h41
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Governador de São Paulo escova as elites 

Folha - O que o senhor pode dizer para um jovem de 15 a 24 anos, que vive em ambientes violentos da periferia? Que ele vai ter escola? Saúde? Perspectivas de emprego? Como afastá-lo de organizações criminosas como o PCC?

Lembo
- Acho que você tem duas situações muito graves: a desintegração familiar que existe no Brasil, e a perda... Eu sou laico, é bom que fique claro para não dizerem que sou da Opus Dei. Mas falta qualquer regramento religioso. O Brasil está desintegrado e perdeu seus valores cívicos. É ridículo falar isso mas o Brasil só acredita na camisa da seleção, que é símbolo de vitória. É um país que só conheceu derrotas. Derrotas sociais...Nós temos uma burguesia muito má, uma minoria branca muito perversa.

Folha - Que ficou assustada nos últimos dia.

Lembo - E que deu entrevistas geniais para o seu jornal. Não há nada mais dramático do que as entrevistas da Folha [com socialites, artistas, empresários e celebridades] desta quarta-feira. Na sua linda casa, dizem que vão sair às ruas fazendo protesto. Vai fazer protesto nada! Vai é para o melhor restaurante cinco estrelas junto com outras figuras da política brasileira fazer o bom jantar.

Folha - Tomar conhaque de R$ 900 [preço de uma única dose do conhaque Henessy no restaurante Fasano].

Lembo - Nossa burguesia devia é ficar quietinha e pensar muito no que ela fez para este país.

Folha - O senhor acha que essas pessoas são responsáveis e não percebem?

Lembo - O Brasil é o país do duplo pensar. Conhecemos a inquisição de 1500 até 1821. Então você tinha um comportamento na rua e um comportamento interior, na sua casa. Isso é o que está na sociedade hoje. Essas pessoas estão falando apenas para o público externo. É um país que é dúbio.

Folha - Onde o senhor responsabiliza essas pessoas?

Lembo - Onde? Na formação histórica do Brasil. A casa grande e a senzala. A casa grande tinha tudo e a senzala não tinha nada. Então é um drama. É um país que quando os escravos foram libertados, quem recebeu indenização foi o senhor, e não os libertos, como aconteceu nos EUA. Então é um país cínico. É disso que nós temos que ter consciência. O cinismo nacional mata o Brasil. Este país tem que deixar de ser cínico. Vou falar a verdade, doa a quem doer, destrua a quem destruir, porque eu acho que só a verdade vai construir este país.

Folha - Mas qual é, objetivamente, a responsabilidade delas nos fatos que ocorreram na cidade?

Lembo - O que eu vi [nas entrevistas para a Folha] foram dondocas de São Paulo dizendo coisinhas lindas. Não podiam dizer tanta tolice. Todos são bonzinhos publicamente. E depois exploram a sociedade, seus serviçais, exploram todos os serviços públicos. Querem estar sempre nos palácios dos governos porque querem ter benesses do governo. Isso não vai ter aqui nesses oito meses [prazo que resta para Lembo deixar o governo]. A bolsa da burguesia vai ter que ser aberta para poder sustentar a mFolha - O que o senhor pode dizer para um jovem de 15 a 24 anos, que vive em ambientes violentos da periferia? Que ele vai ter escola? Saúde? Perspectivas de emprego? Como afastá-lo de organizações criminosas como o PCC?

Lembo
- Acho que você tem duas situações muito graves: a desintegração familiar que existe no Brasil, e a perda... Eu sou laico, é bom que fique claro para não dizerem que sou da Opus Dei. Mas falta qualquer regramento religioso. O Brasil está desintegrado e perdeu seus valores cívicos. É ridículo falar isso mas o Brasil só acredita na camisa da seleção, que é símbolo de vitória. É um país que só conheceu derrotas. Derrotas sociais...Nós temos uma burguesia muito má, uma minoria branca muito perversa.

Folha - Que ficou assustada nos últimos dia.

Lembo - E que deu entrevistas geniais para o seu jornal. Não há nada mais dramático do que as entrevistas da Folha [com socialites, artistas, empresários e celebridades] desta quarta-feira. Na sua linda casa, dizem que vão sair às ruas fazendo protesto. Vai fazer protesto nada! Vai é para o melhor restaurante cinco estrelas junto com outras figuras da política brasileira fazer o bom jantar.

Folha - Tomar conhaque de R$ 900 [preço de uma única dose do conhaque Henessy no restaurante Fasano].

Lembo - Nossa burguesia devia é ficar quietinha e pensar muito no que ela fez para este país.

Folha - O senhor acha que essas pessoas são responsáveis e não percebem?

Lembo - O Brasil é o país do duplo pensar. Conhecemos a inquisição de 1500 até 1821. Então você tinha um comportamento na rua e um comportamento interior, na sua casa. Isso é o que está na sociedade hoje. Essas pessoas estão falando apenas para o público externo. É um país que é dúbio.

Folha - Onde o senhor responsabiliza essas pessoas?

Lembo - Onde? Na formação histórica do Brasil. A casa grande e a senzala. A casa grande tinha tudo e a senzala não tinha nada. Então é um drama. É um país que quando os escravos foram libertados, quem recebeu indenização foi o senhor, e não os libertos, como aconteceu nos EUA. Então é um país cínico. É disso que nós temos que ter consciência. O cinismo nacional mata o Brasil. Este país tem que deixar de ser cínico. Vou falar a verdade, doa a quem doer, destrua a quem destruir, porque eu acho que só a verdade vai construir este país.

Folha - Mas qual é, objetivamente, a responsabilidade delas nos fatos que ocorreram na cidade?

Lembo - O que eu vi [nas entrevistas para a Folha] foram dondocas de São Paulo dizendo coisinhas lindas. Não podiam dizer tanta tolice. Todos são bonzinhos publicamente. E depois exploram a sociedade, seus serviçais, exploram todos os serviços públicos. Querem estar sempre nos palácios dos governos porque querem ter benesses do governo. Isso não vai ter aqui nesses oito meses [prazo que resta para Lembo deixar o governo]. A bolsa da burguesia vai ter que ser aberta para poder sustentar a miséria social brasileira no sentido de haver mais empregos, mais educação, mais solidariedade, mais diálogo e reciprocidade de situações.

iséria social brasileira no sentido de haver mais empregos, mais educação, mais solidariedade, mais diálogo e reciprocidade de situações.

Fonte: Folha de São Paulo, trecho de entrevista concedida a Mônica Bergamo

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 “Afasta de mim este cálice”
A edição on-line do jornal Folha do Amapá foi tirado do ar por ordem judicial. O juiz auxiliar da Justiça Eleitoral, Ancelmo Gonçalves, que também é juiz federal, concedeu liminar ao PDT, partido do governador Waldez Góes, que representou contra a Rede Amapá de Comunicação, empresa mantenedora do jornal e do website. O PDT também pediu a retirada de circulação de todos os exemplares da edição de número 571, mas não conseguiu. O PDT alegou e o juiz concordou que o jornal contém “propaganda eleitoral antecipada negativa” contra o governador.
Trecho da sentença
“De fato, as notícias veiculadas pelo Jornal Folha do Amapá relacionadas ao Governador Waldez Góes, potencial candidato à reeleição, não se limitam à divulgação de fatos ou à formulação de críticas à sua gestão. Há nítida intenção de denegrir a sua imagem perante o eleitorado em geral. Seu nome é citado em diversas passagens, de forma sarcástica e demeritória”. E para exemplificar seu entendimento, cita a manchete que trata da saída da Sólida: “Sólida demite, dá calote e some – Anunciada com toda pompa por Waldez Góes como símbolo da geração de emprego e do crescimento do Amapá...”.
Jurisprudência perigosa
Imaginem só se o PT resolver pedir que a Justiça tire de circulação todos os jornais e revistas e exija a suspensão da exibição de todos os websites que falam horrores do presidente Luis Inácio Lula da Silva. A revista Veja, notória e escancarada trincheira de oposição à candidatura de Lula à reeleição chegou a estampar uma foto do presidente com marca de ponta-pé no traseiro na capa da revista. Tirar sites do ar, recolher edições de jornais... a coisa está começando com cheiro de anos de chumbo. E a propaganda governamental continua livre para antecipar a campanha eleitoral com dinheiro público.

Fonte: Coluna Geléia Geral, do site Corrêa Neto, do Amapá

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h17
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Censura no Amapá

“Calote com aval do governo”.

O texto abaixo, segundo o juiz Anselmo Gonçalves, configura propaganda eleitoral extemporrânea negativa da Folha do Amapá. O que dizer então das matérias de O Globo, sobre Garotinho ou da Veja, sobre o presidente Lula. No coração do país pode, mas no meio do mundo é crime eleitoral. Que vergonha!   

“Sólida demite, dá calote e some" 

Anunciada com toda pompa por Waldez Góes como símbolo da geração de emprego e do crescimento do Amapá, a Sólida Mineração acaba de demitir todos os funcionários, além de fornecedores e prestadores de serviço que ficaram sem receber. No dia 13 de maio de 2005 a empresa inaugurava suas instalações para peneiramento e britagem de minério de ferro em Tartarugalzinho. Na época, o governador e a empresa anunciavam a geração de 500 empregos diretos e investimentos da ordem de US$ 5 milhões. No entanto, tudo não passava de propaganda enganosa.”

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

"Meu nome brotou", diz a senadora Serys
 
A senadora Serys Marly Slhessarenko (PT-MT), afirmou, através de nota a imprensa que seu nome foi “brotou” na lista dos operadores do esquema de superfaturamento de ambulâncias com verbas do Ministério da Saúde, assegurada através de emendas parlamentares. Ela diz que a situação contraria a “lógica razoável” por fazer referência a um possível desembolso da empresa Planan, principalmente envolvida no gerenciamento de verbas suspeitas, ao ano de 2001 quando “nem sequer tinha sido eleita para meu primeiro mandato como senadora da República”. Serys disse desconhecer os motivos pelas quais teve seu nome colocado na “segunda lista” de políticos envolvidos no esquema. 

“É estarrecedor o envolvimento precipitado de meu nome, exigindo a situação a mais ampla investigação dos interesses públicos - e também dos interesses escusos que porventura possam estar por detrás de tamanha sordidez -, a fim de esclarecer todas as circunstâncias sobre a tal 'lista', atentando sobretudo às eventuais artimanhas, comuns, aliás, nessas situações, em desviar o foco das investigações, até mesmo para inviabilizá-las” – considera a senadora petista. Ele salientou que a manobra busca “trazer para a 'vala comum' pessoas que, definitivamente, nada tem a ver com o ocorrido”.

Serys se disse perplexa e indignada pela forma como agem as empresas criminosas, a exemplo da Planam, que se dedicam a acompanhar, com intenção delituosa, a tramitação de todos os recursos destinados ao beneficio da população, que atenderiam as necessidades mais prementes de milhares e milhares de pessoas, como verdadeiros sanguessugas, como tão bem foi batizada a operação desencadeada pela Polícia Federal.

Através de nota, a senadora explicou que as emendas individuais de todos os parlamentares, em obediência à Lei do Orçamento da União, destina 30 por cento, obrigatoriamente, destinadas a ações e serviços na área da Saúde. Ela salientou que após a apresentação de emendas em qualquer área, cessa a responsabilidade do parlamentar, sendo a tramitação, a partir daí de responsabilidade dos ministérios e das prefeituras. Serys disse que as emendas de parlamentares estão disponíveis na Internet, nos sites dos ministérios, podendo o seu trâmite ser acompanhado por qualquer cidadão ou cidadã. “É uma providência que julgo importante para garantir a transparência deste processo” – frisa a parlamentar.

As emendas que teriam sido citadas como de interesse da Planam – acrescenta a nota - ambas do exercício de 2004, referem-se à destinação de R$ 80 mil para construção de um posto de saúde, do Programa de Saúde da Família (PSF), para o município de Campo Novo dos Parecis e a destinação de R$ 104 mil para a aquisição de uma unidade móvel de saúde para o município de Canabrava do Norte. Serys diz que faz questão de insistir, junto aos prefeitos dos municípios beneficiados, que procedem com absoluta transparência e legalidade no devido processo licitatório. Ela diz também que jamais toma conhecimento das empresas ou profissionais que tenham ganho estas licitações.
 
Serys informou que nos dois municípios, a Planam não teve acesso ao processo licitatório. O recurso destinado ao posto de saúde de Campo Novo - embora sendo de 2004 só foi liberado pelo Ministério da Saúde neste início de 2006 - se encontra depositado na conta da Prefeitura, uma vez que o prefeito está pleiteando, junto aos parlamentares mais recursos de emenda no Orçamento de 2006 que lhe permita construir não um posto do PSF mas um grande posto de saúde para atendimento geral. A verba para Canabrava do Norte, também emenda de 2004 só liberada pelo Ministério da Saúde no início de 2006, a informação da prefeitura é que serviu para adquirir uma ambulância, na concessionária Renault de Cuiabá e um Fiat Uno, na concessionária Fiat de Cuiabá.
 
“Aproveito o ensejo para informar que, nesta data, encaminho à Polícia Federal, pedido em meu nome, acompanhado da documentação sobre a liberação dos recursos aqui mencionados e outros que possam ajudar a elucidar o ocorrido, colocando-me inteiramente à disposição para os esclarecimentos que ainda se fizerem necessários” – conclui a nota da petista.

Blog com o site 24 Horas News, de Mato Grosso.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Manchetes de quinta-feira - 18 de maio

JORNAL DO BRASIL - Governo se rende ao poder dos bandidos e dos policiais

FOLHA DE SÃO PAULO  - Lembo culpa "elite branca" por violência

O ESTADO DE SÃO PAULO - PCC obteve relato secreto por R$ 200; celular terá bloqueio

O GLOBO - A guerra do tráfico em São Paulo - Segredo da remoção de chefes de quadrilha vazou na Câmara

CORREIO BRAZILIENSE - R$ 200 - O suborno que desencadeou o terror em São Paulo

Leia os destaques dos jornais aqui.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

CPMI dos sanguessugas nas mãos de Renan

As declarações do ministro Tarso Genro, do presidente Lula e do senador Aloísio Mercadante acirraram os ânimos entre o governo e a oposição. Os três colocaram nas costas do candidato do PSDB à presidência da República, Geraldo Alckmin, a culpa pela violência em São Paulo.

Com isso, PSDB e PFL liberaram suas bancadas para assinar o requerimento de instalação da CPMI dos sanguessugas, que vai investigar as compras superfaturadas de ambulâncias com recursos de emendas parlamentares.  

Isso facilitou o trabalho dos deputados Raul Jungmann (PPS-PE) e Fernando Gabeira (PV-RJ) que conseguiram coletar assinaturas de 190 deputados e 29 senadores, quando eram necessárias 171 de deputados e 27 de senadores. 

Amanhã às 11:30 os dois vão protocolar o pedido junto à Mesa Diretora do Senado. 

A partir daí, quem resolve é o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Congresso Nacional. Um pepino gigante para Renan descascar.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 21h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 

Muita cara de pau

 

O ministro Marco Aurélio Mello tem toda razão quando afirma que esta é uma das piores quadras do país em todos os tempos.

 

O debate político é pífio. Hipócrita e sem a mínima compostura.

 

Existem exceções, mas são tão poucas, que podem ser contadas nos dedos.

 

Os últimos acontecimentos de São Paulo aumentaram o tom da falta de compostura e o debate chegou ao fundo poço.

 

As últimas declarações de petistas e tucanos envergonham o país.

 

Num momento de consternação dos paulistas, os políticos se acusam e, ainda, têm os que dizem que todos os brasileiros são responsáveis pelo problema.

 

Alto lá, cara pálida. Os responsáveis são os agentes públicos do país, que não conseguem resolver os mínimos anseios do povo brasileiro.

 

Responsabilizar a sociedade como um todo é uma atitude safada.

 

       

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 20h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

PMDB articula chapa Simon-Garotinho 

A direção nacional do PMDB articula desde domingo uma nova chapa para disputar a Presidência da República, a ser submetida à convenção do partido, em junho. A chapa seria encabeçada pelo senador Pedro Simon (RS) e seu vice seria o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho. A solução conta com o aval do ex-governador paulista Orestes Quércia e do ex-presidente Itamar Franco. Se tudo der certo, a chapa Simon-Garotinho será anunciada amanhã, em Brasília. A tese da candidatura própria a presidente foi derrotada na convenção nacional do PMDB realizada no último dia 13, mas a direção do partido acha que a solução Pedro Simon, um político muito respeitado, terá chances de reverter essa decisão, na convenção de junho.

Fonte: Site Cláudio Humberto em tempo real.

Comentário da notíciaAo final do encontro do PMDB de sábado passado, o ex-governandor Anthony Garotinho convidou o senador Pedro Simon para ser o candidato a presidente do PMDB, com ele (Garotinho) na vice. Ao que parece, pela informação do Cláudio Humberto, o convite vai ser aceito e é uma reviravolta na sucessão presidencial.  

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 18h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Censura no Amapá

Site da Folha do Amapá retirada do ar por decisão judicial

Leia a Decisão na íntegra

PODER JUDICIÁRIO
JUSTIÇA FEDERAL
TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO AMAPÁ

Representação nº 309/2006 (Classe XI)
Representante: Partido Democrático Trabalhista – PDT
Representado: Rede Amapá de Comunicação LTDA.
Juiz Auxiliar: Anselmo Gonçalves

DECISÃO

Cuida a espécie de representação eleitoral, com pedido de liminar, formulada pelo Partido Democrático Trabalhista – PDT em desfavor da Rede Amapá de Comunicação LTDA – Jornal Folha do Amapá, objetivando a concessão de provimento que determine o recolhimento de todos exemplares do Jornal Folha do Amapá, Edição Semanal nº 571, apresentando-os à Justiça Eleitoral, além da suspensão da sua divulgação no respectivo site da internet, por considerar a ocorrência da propaganda eleitoral antecipada negativa.

De fato, as notícias veiculadas pelo Jornal Folha do Amapá relacionadas ao Governador Waldez Góes, potencial candidato à reeleição, não se limitam à divulgação de fatos ou à formulação de críticas à sua gestão. Há nítida intenção de denegrir a sua imagem perante o eleitorado em geral. Seu nome é citado em diversas passagens, de forma sarcástica e demeritória. Para ilustrar, basta citar a manchete:

“Sólida demite, dá calote e some – Anunciada com toda pompa por Waldez Góes como símbolo da geração de emprego e do crescimento do Amapá, a Sólida Mineração acaba de demitir todos os funcionários, além de fornecedores e prestadores de serviço que ficaram sem receber. No dia 13 de maio de 2005 a empresa inaugurava suas instalações para peneiramento e britagem de minério de ferro em Tartarugalzinho. Na época, o governador e a empresa anunciavam a geração de 500 empregos diretos e investimentos da ordem de US$ 5 milhões. No entanto, tudo não passava de propaganda enganosa.”

Para arrematar a espúria veiculação, o desenvolvimento da reportagem abre o seguinte tópico: “Calote com aval do governo”.

Como se vê, a alusão ao nome do Governador Waldez Góes está vinculado à demissão de empregados, calote e sumiço da empresa Sólida Mineração do Estado do Amapá. A conclusão da reportagem é no sentido de que o anúncio da instalação da empresa não passou de propaganda enganosa, como se o Governador, de antemão, soubesse que o empreendimento não iria vingar. Fica também subtendida uma maliciosa mancomunação entre a empresa e o Governador. Este teria avalizado o “calote”.

É irrecusável, portanto, a conclusão de que o objetivo da reportagem não foi apenas noticiar o fato, mas também atingir a imagem do Governador. Nesse contexto, não se pode deixar de considerar que, se “tudo não passava de propaganda enganosa”, como afirmou a reportagem, melhor seria que fosse feita no ano das eleições.

Esse quadro revela a plausibilidade da postulação acautelatória pretendida pelo representante, uma vez que a matéria jornalística impugnada, por configurar propaganda eleitoral antecipada negativa, pode ocasionar desequilíbrio entre os candidatos no pleito vindouro.

Entrementes, não se vislumbra a possibilidade de apreensão dos exemplares da referida edição do jornal, uma vez que já houve a circulação no três dias que antecederam a propositura da presente representação, o que torna sem propósito e sem objeto este pedido de provimento liminar. Esse embaraço, no entanto, não ocorre em relação à divulgação da matéria no sítio da representada na internet, de sorte que medida liminar, neste ponto, se mostra viável e adequada.

Tais as circunstâncias, defiro parcialmente o pedido de liminar para determinar a suspensão da divulgação das matérias citadas na petição inicial, referentes à Edição nº 571 do Jornal Folha do Amapá, em sua versão on-line, no correspondente sítio mantido na internet pela representada, sob pena de multa diária no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

Notifique-se a representada para, querendo, apresentar defesa no prazo de quarenta e oito horas. Após, com ou sem resposta, encaminhem-se os autos ao Ministério Público Eleitoral para parecer, a ser proferido no prazo máximo de vinte e quatro horas.

Intimem-se.

Macapá/AP, 17 de maio de 2006

Anselmo Gonçalves da Silva
Juiz Auxiliar do TRE/AP

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 18h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Censura no Amapá

JUSTIÇA FECHA JORNAL

A Justiça do Amapá acaba de conceder uma liminar ao PDT, partido do governador Waldez Góes, na qual determina que seja desativado imediatamente a edição on line do jornal Folha do Amapá. O descumprimento pode resultar em multa diária de R$ 5 mil.

- Eles alegam propaganda antecipada extemporânea negativa e que o jornal está denegrindo a imagem do governador, que é candidato à reeleição - disse a editora-chefe, Maracimi Oliveira.

A Folha do Amapá, ligada ao ex-senador João Alberto Capiberibe, é um jornal declarado de oposição. As supostas falcaturas do governo estadual sempre merecem manchetes no jornal, cuja versão on line conta com 782.193 acessos desde junho de 2003.


Juiz acata pedido do PDT e manda
tirar do ar edição on line da Folha

O juiz auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral, Anselmo Gonçalves, concedeu há pouco uma liminar requerida pelo Partido Democrático Brasileiro, o partido do governador Waldez Góes, mandando retirar imediatamente a edição on line da Folha do Amapá, sujeita a pena de multa diária de R$ 5 mil.

O PDT entrou com uma representação contra a Folha do Amapá na qual alega estar o jornal promovendo propaganda eleitoral extemporânea negativa. O partido do governador questiona todas as matérias da edição onde é citado o nome de Waldez Góes, inclusive na coluna de humor "Tomates Silvestres". Segundo o PDT, há interesse em macular a imagem do governador e de seus aliados, visto este ser pretenso candidato à reeleição.

Na petição, o PDT cita efusivamente as matérias de capa sobre a saída da Sólida Siderurgia; a denúncia de maus-tratos na fazenda dos deputados Jorge Amanajás e Eider Pena, feita por três ex-funcionários dos deputados à Delegacia do Trabalho; e os gastos abusivos com propaganda no governo Waldez Góes.

A manchete da edição 571 reporta a saída da Sólida deixando cerca de 300 desempregados e muitas dívidas e o fato de a empresa ter chegado no Amapá e ter tido aval do governo do Estado, cujo governador, participou da festa de instalação e inauguração. O governo estadual chegou a veicular propagandas anunciando a chegada da empresa e muitos empregos no Estado. No próprio site oficial do governo do Amapá está o release onde o Waldez Góes festeja a chegada da Sólida.

A edição, que comemora 15 anos da Folha do Amapá, foi às bancas na sexta-feira, 12, e a decisão saiu hoje à tarde. A Folha vai recorrer da decisão.

Telefone da Folha do Amapá: (96) 3083-2794 e 9119-2783, da editora Maracimoni Oliveira

Fonte: Blog do Altino Machado, de Rio Branco, do Acre 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 17h26
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Ambientalista vai processar o Estado

Thiago Fernandes

A ambientalista Telma Lobão vai entrar com pedido de indenização contra o Estado. A decisão foi anunciada em entrevista coletiva realizada na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Salvador, na manhã desta quarta-feira, 17. Telma foi libertada nesta segunda-feira, após 28 dias presa por decisão da Justiça de Cruz da Almas. Segundo seus advogados, a prisão foi ilegal. Ela alega ainda que sofreu maus tratos e tortura durante o período em que esteve presa.

Durante todo o período, ela fez greve de fome em protesto contra o que classificou como arbitrariedade e perseguição devido ao trabalho que realiza na cidade. Lá, a ambientalista participou, com o apoio da Polícia Militar, de vários casos de apreensão de gaiolas, armadilhas e outros equipamentos para captura de aves.

Telma foi presa sob a alegação de conclamar a população da cidade contra as juízas Olga Guimarães e Maria Auxiliadora Leite. Ela nega o fato. "O que eu planejava fazer era um ato público, pacífico, contra algumas decisões na questão ambiental", diz. Segundo o advogado Romário Gomes, da Comissão de Direitos Humanos da OAB, ninguém pode ser preso por intenção quando não representa perigo para a sociedade. "Além disso, não havia um mandado para a prisão de Telma", afirma. Na operação, foram utilizados três carros, nenhum deles identificado como viatura policial.

Gomes aponta outra ilegalidade na ação: "Após a prisão, ela não foi levada para a delegacia e sim para o fórum da cidade". Segundo ele, a visita ao fórum serviria um encontro para forjar um argumento que daria legalidade à prisão.

Numa análise preliminar, Gomes aponta quatro crimes que teriam sido cometidos contra a ambientalista. Seqüestro, prisão ilegal, agressão física e tortura. "Ainda vamos nos reunir com advogados criminalistas para identificar outros crimes que ela tenha sofrido", diz. Segundo Gomes, a responsabilidade é do Estado, que deveria oferecer mecanismos mais para coibir os abusos.

A ambientalista relata que nos últimos dias sua mãe e irmãs vêm recebendo telefonemas que afirmam que Telma será morta se retornar a Cruz das Almas. Apesar das ameaças, ela planeja voltar à cidade nesta quinta-feira. Para tanto, solicitou garantia de vida à Polícia Militar. Lá, pretende continuar seu trabalho da mesma forma, lutando contra maus-tratos a animais e plantas. "Foi a isso que dediquei minha vida e nunca vou deixar de lutar".

Durante o período de jejum, a ambientalista perdeu 15 de seus 55kg. No último dia de prisão, ela deixou de apresentar os sinais vitais e diz que se preparou para morrer. "Eu cheguei a conversar com algumas pessoas sobre o meu desejo de que meu corpo não fosse enterrado e sim deixado na mata em que sempre trabalhei", aifirmou. Mesmo nessa situação, afirma que em nenhum momento pensou em desistir da greve de fome.

Telma conta ainda que teve sua casa saqueada e depredada enquanto esteve ausente. "Cheguei lá e vi tudo revirado, levaram tudo, menos os móveis. Eu agora tenho que recomeçar minha vida do zero, não me restou nada". Mesmo com a dor de ter perdido seus bens, ela procura ver o episódio pelo lado positivo: "Talvez esse tenha sido o estímulo que faltava para eu ir morar na mata, como eu sempre quis".

Fonte: A Tarde On Line

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 14h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Celular é o bode expiatório

Antes do surgimento dos celulares, os criminosos apenados já dominavam de dentro das cadeias seus negócios, via seus advogados. A prova é que a maioria dos grandes banqueiros do bicho do Rio de Janeiro foram presos e condnados e o jogo continuou a ser praticado.

O celular pode ter facilitado a vida dos reeducandos, mas não é o principal culpado pelo que aconteceu em São Paulo. A instalação de detectores de metal, como os dos principais aeroportos do país, resolveriam a questão dos celulares e de tudo o que entra ilegalmente nos presídios brasileiros.      

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 14h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Só em sonho

Sonhei com uma proposta para resolver o problema da Varig, talvez porque pouco antes de dormir, li com atenção os balancetes do primeiro trimestre dos bancões brasileiros.

No sonho, o Bradesco, Itaú e Unibanco constituíram o consórcio BIU e compraram a Varig.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 14h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Decreto demagógico

Segundo a Agência Estado, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse nesta quarta-feira que o governo federal editará um decreto determinando que as empresas de telefonia móvel comprem e instalem nos presídios bloqueadores de telefones celulares. Depois de participar de reunião na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, Costa disse que nesta terça ele conversou com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e que os dois ministérios estão preparando o texto do decreto para encaminhá-lo ao Palácio do Planalto.

O ministro disse, no entanto, que espera que as empresas se antecipem ao decreto e já assumam essa responsabilidade. Ele disse que está convocando para hoje uma reunião com representantes das operadoras para discutir o assunto.

Comentário da notícia: Tanto o decreto que o ministro anunciou, como o projeto de lei aprovado na CCJ do Senado e enviado a Câmara privatizam uma das funções do Estado. Ambos podem ser contestados na Justiça, pois ferem a Constituição, que determina que a segurança pública é um dever do Estado. O decreto e a lei são duas ações demagógicas das autoridades brasileiras.  

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 14h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ACM reage a críticas de ministro
 

Ao abrir a reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), há pouco, o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), presidente do colegiado, condenou manifestação do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que criticou decisão do Senado de elaborar um pacote de leis emergenciais para combater a criminalidade, em resposta à onda de violência em São Paulo no último fim de semana. Thomaz Bastos havia afirmado que legislação com aquela finalidade não poderia ser feita "de afogadilho".

- Pertencendo ao governo que pertence, do valerioduto e tantas outras coisas, ele não pode estar atacando nosso trabalho. Falta-lhe autoridade para criticar a CCJ e o Senado - reagiu.

Fonte: Agência Senado

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 13h23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Balão de ensaio

 

O presidente nacional do PT Ricardo Berzoini(SP) disse, ontem, que Lula vai escolher entre o atual vice-presidente José Alencar (PRB) e Ciro Gomes (PSB), o seu companheiro de chapa para a reeleição.

 

Segundo Berzoini, Lula e o PT já desistiram de formar uma chapa com um candidato a vice do PMDB.

 

Para escolher Ciro, Berzoini terá que convencer o PT/Amapá, a entregar os carguinhos que ocupa no governo do PDT.

 

Em Pernambuco, ele tem duas opções. Retirar a candidatura do ex-ministro da Saúde Humberto Costa (PT) ou a do ex-ministro de Ciência e Tecnologia Eduardo  Campos (PSB). É mais fácil um boi voar, do que ele convencer um dos dois a ceder.

 

Enquanto isso, Ciro Gomes, um neo-socialista terá que convencer a ala do PSB que defende apenas um apoio informal a Lula, como a de Alagoas, que tem como candidato ao governo estadual o senador tucano Teotônio Vilela.

 

Os problemas entre PSB e PT nos estados são muitos. Será uma operação complicada ter Ciro como vice-presidente.

 

Pelo andar da carruagem o vice mais tranqüilo é o José Alencar, que tem, como atenuante, um forte candidato a governador do Rio, o senador Marcelo Crivella.

 

A declaração de Ricardo Berzoini, incluindo Ciro na parada, é um balão de ensaio.

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 11h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

INFORMAÇÃO e OPINIÃO -IOCM- !
ex-Blog do Cesar Maia
       17/05/2006

IMAGEM DE LULA ! ANALISTAS PRECISAM IR AOS LIVROS !

Ô Gente ! Tá na hora de ir aos livros. Não há fato que afete a imagem de políticos -especialmente quem está no poder- sem agente propagador. Os meios de comunicação cumprem este papel parcialmente ao distribuir as informações e analisá-las. Mas os jornais, onde os fatos são dissecados, são pouco lidos. O leitor de jornal popular não vai atrás destes fatos políticos, mas de serviços -latu sensu.

Portanto cabe aos políticos serem os agentes propagadores e responsabilizadores e demonstradores que o presidente perdeu o juízo, a vergonha, a capacidade de governar. O sistema binário a partir dos fatos -imprensa/opinião publica- era próprio do mundo industrial com auge entre os anos 30 e 60 do século 20. Já não é mais assim. Não existe mais "os formadores de opinião". A TV não forma opinião: distribui informação. Trabalha com audiência, que é opinião formada. Mas desde que aponte fatos e versões, que coincidam com fluxos de opinião em processo de contaminação, aceleram enormemente este processo de formação de opinião por contaminação.

 Hoje a dinâmica desse processo se dá de forma muito mais complexa. Na base os fatos. De um lado as pessoas e sua experiência direta. De outro a imprensa distribuindo informação. De outro as pessoas tendo opiniões a partir de seus contatos diretos com opinion makers locais cuja opinião respeitam, e quando se convence, repassando a outros e integrando-se a fluxos opinativos. E -finalmente- os agentes propagadores conscientes, que querem intervir neste processo: os políticos entre eles e por profissão. É uma pirâmide de base quadrilátera, que não é regular. Se move a partir dos fatos -a base do quadrilátero- e onde todos tentam chegar ao vértice, a opinião publica formada por contaminação.

Hoje o que se vê é um processo de desgaste múltiplo dos políticos e dos governos. Lula não está fora disso. Não está isolado e blindado. Só quem não sabe ler pesquisa é que não sabe disso. Lula está dentro do pântano, está tão enlameado como todos. O problema é que são todos. E -se são todos- a tradicional reação a mudanças -nas pessoas e empresas- leva a que reajam assim: -Bem, é tudo igual, politico não vale nada. Lula não é diferente. Mas de que serve mudar para vir outro igual ? Esse pelo menos nós conhecemos. Cabe aos agentes propagadores diferenciar o Lula na lama, mostrar como a parte que lhe toca -o diferencia gravemente - e afeta a vida das pessoas. Comerciais e programas de TV jogando em Lula mais lama não servem de nada. A menos que o distinguem e o desqualifiquem diferencialmente. Esta é a equação. Para ela estas pesquisas que tem sido feitas não servem para nada, não informam nada. Intenção de voto, é o vértice da pirâmide. O que a influencia ? Como ? Bem, o tempo urge para a oposição.


CÂMBIO : A TRAGÉDIA ANUNCIADA

Trechos do artigo de Delfim Netto, na FSP, sobre a trágica política cambial do governo Lula.

No momento atual, a economia brasileira sofre um claro processo de "super"-valorização que vai abortar o crescimento. Ela é produzida:

1º) pela grande expansão do comércio mundial (quantidade e preços), que aumenta automaticamente o valor das exportações;

2º) pelo pífio crescimento do PIB em 2005 (2,3%), acompanhado de um aumento da "proteção" tarifária criada pela passagem do PIS/Cofins de cascata para valor adicionado, que, conjuntamente, reduzem a demanda de importações;

3º) pela cavalar diferença entre as taxas de juro interna e externa, que transformou a compra de reais no mais eficiente e lucrativo mecanismo de arbitragem entre elas.

(...) A taxa cambial nominal retornou aos níveis de março de 2001 (em torno de R$ 2,10 por dólar). Ocorre que, entre aquele mês e abril de 2006, a inflação medida pelo IPCA (que dá uma idéia do aumento de custos internos) foi da ordem de 50%. Logo, o "poder de compra" de um dólar de março de 2001, a preços de abril de 2006, é da ordem de R$ 1,40, menor do que em janeiro de 1999, quando houve a desvalorização do real!

Esses números mostram o efeito da insensata política monetária dos últimos 24 meses, que usou, oportunisticamente, a taxa de câmbio como instrumento da política antiinflacionária.A desarticulação do setor exportador é um grave erro, e o governo vai pagar por isso! E o presidente Lula vai pagar em dobro se for reeleito...


DA SÉRIE: A ORGIA DAS COMPRAS SEM LICITAÇÃO NOS HOSPITAIS FEDERAIS!

Ou: êta decretinho bom esse de março de 2005. Vale até para os hospitais que sempre foram federais !

Relambrando o caso :Em março de 2005, o decreto federal de intervenção na saúde do Rio, dispensava de licitação as contratações, obras e aquisições. Mas,...se "esqueceram" de cancelar o decreto e o abuso nas dispensas de licitação continuava meses depois.

A ministra Dilma foi informada em março de 2006 que isso estava acontecendo e que o escândalo seria inevitável.

Capítulo de hoje : HOSPITAL GERAL DE BONSUCESSO- HGB !   

Só no HGB foram mais de 10 milhões de reais sem licitação, desde o decreto de março de 2005. Abaixo um exemplo curioso. O HGB usou como fundamento legal para não fazer a licitação o decreto de intervenção ( veja a última linha da nota). Mas a intervenção já tinha acabado desde abril de 2005. A contratação foi em abril de 2006! Um ano depois! Somente neste exemplo foram mais de R$ 1 milhão gastos sem licitação !

Nesse caso a contratada , FASEB está sendo investigada pelo MP, que recomendou ,desde 2005, que o HGB não fizesse novos contratos com a entidade, como mostrou o jornal O Globo do dia 18/09/2005.

Aos somarmos todos os hospitais federais do Rio, são mais de R$ 60 Milhões sem licitação em apenas 1 ano !

MINISTERIO DA SAUDE
HOSPITAL GERAL DE BONSUCESSO
Modalidade: Contrato nº : 8 / 2006
Nº do Processo: 2500.0035337/2006
Modalidade de Licitação: Dispensa de Licitação nº: 43 / 2006
Data da publicação: 04/05/2006
CNPJ/CPF Contratado: 03.274.183/0001-21
Contratado: FUNDACAO DE APOIO A SAUDE E ENSINO BONSUCESSO - FASEB
Contratante: MINISTERIO DA SAUDE
Valor total: 1.136.720,97
Data de assinatura: 28/04/2006
Fundamento Legal: ART. 24,INC. IV DA LEI 8666/93 ,DECR. 5392/2005.    
                 

COMANDO VERMELHO E PCC !
Folha-ON.

A aliança entre o PCC e o CV.
As duas facções possuem muitos fornecedores de armas e de drogas em comum. Integrantes da facção paulista costumam vir ao Rio receber treinamento de membros do grupo carioca para ações criminosas. Um dos redutos do CV que estaria recebendo criminosos paulistas é o morro da Mangueira (zona norte).

O PCC também usaria cidades do sul fluminense, como Volta Redonda e Angra dos Reis, para montar bases de distribuição de drogas. O CV atuaria na Baixada Santista. A aliança entre os dois grupos foi firmada em 2001 quando os então líderes do PCC, José Márcio Felício, o Geleião e César Roriz, o Cesinha, estiveram presos no complexo penitenciário de Bangu e mantiveram contatos com os chefes do CV. Neste mesmo ano, Alejandro Camacho, irmão do atual líder do PCC, Marcos Hebas Camacho, o Marcola, foi preso em uma favela dominada pelo CV.

Pesquisa e Edição : JCM

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Petrobras se dobra a Chávez

Novo contrato da estatal cede controle de cinco empreendimentos à petrolífera venezuelana PDVSA

 Por Malu Gaspar

EXAME -  A ascensão do presidente venezuelano Hugo Chávez como líder político mais importante da América Latina, superando as ambições do presidente Lula, tornou-se o principal item da pauta de observadores e empresários que têm negócios no continente. Na semana passada, a revista britânica The Economist afirmou que Chávez tem humilhado Lula e o transformou em um espectador irrelevante dos acontecimentos sul-americanos. Essa disputa, que se dá principalmente em torno dos lucros com o petróleo na região, pendeu mais uma vez para o lado de Chávez nas últimas negociações da Petrobras com a PDVSA sobre os contratos de exploração de petróleo na Venezuela. Acordo fechado no final de março, mas que até agora não havia sido divulgado, mostra que a Petrobras foi obrigada a aceitar a PDVSA como sócia majoritária na exploração de cinco campos de petróleo no país.

Leia aqui matéria da revista Exame

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Ainda o PMDB

Nem todo mundo acredita que a candidatura própria do PMDB à presidência da República já está rifada. O governador Germano Rigotto ainda tem esperanças que até 11 de junho, data da próxima convenção, muitas articulações aconteçam. Quem sabe até o lançamento de um terceiro nome, como opção aos pré-candidatos Anthony Garotinho e Itamar Franco. E essa alternativa seria o senador gaúcho Pedro Simon. Nos bastidores, dizem que o governista e presidente do Senado, Renan Calheiros, tenta adiar a convenção.

Fonte: Diários de Brasília, blog da Sucursal da RBS, em Brasília


Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Fazenda e Planejamento não permitem que Justiça aplique recursos em segurança

Apesar de existirem disponíveis R$ 297 milhões no Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) – como mostrou a matéria de ontem do Contas Abertas – o Ministério da Justiça é obrigado a trabalhar com recursos ínfimos para desenvolver ações de melhoria nos presídios brasileiros. Todos os anos, o órgão sofre com as limitações resultantes de contingenciamentos impostos pelo Executivo, no intuito de garantir os superávits primários.

Leia aqui matéria do site Contas Abertas

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 05h35
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Manchetes de quarta-feira - 17 de maio

JORNAL DO BRASIL - CV assalta mais para pagar dívida de R$ 2 milhões ao PCC

FOLHA DE SÃO PAULO - Polícia prende 24 e mata 33 em 12 horas

O ESTADO DE SÃO PAULO - Cidade se acalma; advogada foi a Marcola em avião da PM

O GLOBO - No quinto dia, a vingança - Polícia reage com matança em SP

CORREIO BRAZILIENSE - O novo golpe dos sanguessugas

Leia aqui os destaques dos jornais

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 05h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Hoje no Senado

Três senadores se defenderam de supostas acusações:

Ney Suassuna (PMDB-PB) - defendeu-se de supostas acusações feitas na Operação Sanguessuga;

Romeu Tuma (PFL-SP) - rebateu as ilações de Veja de que tem uma conta bancária no exterior;

Papaleó Paes (PSDB-AP) - se defendeu de citação em conversa gravada pela Polícia Federal de dois acusados por contrabando de urânio no Amapá, revelado pela ISTOÉ.

Os três ao que parece entraram de gaiato no navio.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 17h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Recordar é viver

OAB SP EXIGE SALA DE ESTADO MAIOR PARA ADVOGADOS DO PCC

Fonte: Assessoria de Imprensa 24/05/2002

Os advogados Carlos Miguel Aidar , presidente da OAB SP, e José Luis Oliveira Lima, presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas da Ordem, reuniram-se hoje (24) com o Secretário Adjunto de Segurança Pública, Marcelo Martins de Oliveira, para analisar a prisão de três advogados do PCC, no prédio da Secretaria. No encontro, foi revista a decisão de enviá-los para prisões de segurança máxima no Interior do Estado. Anselmo Neves Maia, Leyla Maria Alambert e Mônica Fiori Hernandez permanecem na Capital no 13 e 89 DPs. A Ordem também está exigindo a permanência dos mesmos em Salas de Estado Maior, , como estabelece a lei.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 16h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Venezuela amplia compra de bônus da dívida argentina

BUENOS AIRES, 16 maio (AFP) - O Governo da Venezuela voltou a contribuir com a Argentina nesta terça-feira, ao adquirir bônus da dívida pública no valor de 239 milhões de dólares.

A taxa de juros desta nova série de títulos Boden 2012 será de 7,59%, segundo o Boletim do Estado argentino.

O governo do presidente Néstor Kirchner precisa ainda de cerca de um bilhão de dólares para atender às necessidades financeiras deste ano, depois de ter pago toda sua dívida com o FMI, de 9,6 bilhões de dólares, em janeiro passado.

O governo venezuelano garantiu ganhos de 120 milhões de dólares com a venda de 1,468 bilhão de dólares de bônus da dívida argentina consolidados em Boden 2012 em 2005.

Até a nova emissão desta terça-feira, Caracas havia comprado papéis da dívida argentina em várias oportunidades, por um total de 2,5 bilhões de dólares desde maio de 2005.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 15h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Venezuela acusa EUA de preparar condições para atacar seu país

CARACAS (Reuters) - A Venezuela advertiu que a proibição dos Estados Unidos de vender armas para um de seus principais fornecedores de petróleo pretende criar condições políticas para um ataque.

Os EUA acusaram a Venezuela, na segunda-feira, de não colaborar na guerra contra o terrorismo e proibiu a venda de armas de tecnologia norte-americana para o país. A proibição fez aumentar as tensões na já complicada relação entre os dois países.

Em comunicado divulgado pela chancelaria venezuelana na noite de segunda, o governo do presidente Hugo Chávez afirmou que no fundo essas "acusações desprezíveis" não têm nada a ver com a luta contra o terrorismo.

"Têm origem na inútil campanha de desprestígio que pretende isolar a Venezuela, desestabilizar seu governo democrático e preparar as condições para o ataque... Entre outras ações, querem colocá-la em condições de incapacidade de se defender", relatou o documento.

Os EUA criticam a proximidade de Chávez com o Irã e Cuba. Também acusam o venezuelano de permitir a operação de grupos guerrilheiros colombianos em seu território.

Eric Watnik, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, explicou a proibição, na segunda-feira, citando as relações do país com Cuba e com o Irã e a falta de cooperação com a "guerra contra o terror".

Chávez, que está na Argélia, numa viagem por vários países da Europa e norte da África --incluindo a Líbia--, chamou a proibição de "abuso imperialista" e disse que não vai levá-la a sério.

O vice-presidente da Venezuela, José Vicente Rangel, afirmou na terça-feira, em comunicado à imprensa, que o seu país não está interessado em comprar armas dos EUA.

Chávez costuma acusar os EUA de preparar uma invasão a seu país para tomar as reservas de petróleo e gás natural. Para ele, os EUA estão fazendo uma manobra militar com o Comando Sul, no mar do Caribe, para assustar seu governo.

Washington nega, afirmando que a mobilização tem o objetivo de refinar os esforços com as nações aliadas no combate ao narcotráfico, ao terrorismo e ao tráfico humano.

"A Venezuela, ao mesmo tempo que denuncia para o mundo esta nova fase da estratégia norte-americana para derrubar nosso governo democrático e impor uma ditadura subserviente, ratifica que não cederá às pressões", disse o comunicado da chancelaria.

No começo do ano, os EUA bloquearam a venda de aviões da Embraer para a Venezuela porque havia tecnologia norte-americana envolvida. Antes, já havia impedido a venda, por parte da Espanha, de 12 aeronaves.

Chávez anunciou este mês que está pensando em comprar caças russos Sukhoi. Se concretizada, a transação se somaria à aquisição recente dos russos de helicópteros e de 100 mil fuzis Kalashnikov.

(Por Magdalena Morales)

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 15h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Balanço dos atos terroristas em SP 

O Governo do Estado de São Paulo divulgou os números dos atos terroristas, de sexta até esta terça-feira. Eis o balanço:

 
Suspeitos de ataques mortos: 71, sendo 19 na madrugada desta terça-feira
Suspeitos presos: 115
Armas apreendidas: 113
Ataques: 251 ataques, dos quais 80 a ônibus.
Policiais militares mortos: 23
Policiais civis mortos: 6
Guardas municipais mortos: 3
Agentes de segurança penitenciária mortos: 8
Cidadãos mortos: 4
Feridos: 22 policiais militares, 6 policiais civis, 8 guardas municipais, 1 agente penitenciário, 16 cidadãos
Detentos assassinados em rebeliões: 13

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 14h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Governadores alertam Lula dos efeitos desastrosos da crise na agropecuária

Os nove governadores que discutem a crise do agronegócio, em Brasília, se reúnem agora à tarde com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os chefes do Poder Executivo estadual vão entregar um documento ao Governo Federal onde solicitam uma criteriosa avaliação do momento atual e a busca de alternativas para minimizar os efeitos desastrosos da crise. Segundo os governadores o segundo semestre deste ano e o ano de 2007, a queda de arrecadação dos Estados será drástica.
 
A primeira parte da programação do encontro dos governadores no Auditório Petrônio Protela, no Senado Federal, para discutir a crise do agronegócio, terminou por volta das 12h30. O debate com os economistas Paulo Rabelo de Castro e Guilherme Leite da Silva Dias e o professor de Economia da Universidade de São Paulo, Fernando Homem de Melo foi intermediado pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Homero Pereira.
 
A avaliação geral dos especialistas é que existem instrumentos que podem ser criados para contornar a crise, mas não há uma solução definitiva para o setor agropecuário. A captação de recursos por meio de títulos lançados no mercado e a desoneração tributária como no caso do óleo diesel, são algumas saídas apontadas. Segundo, Homero Pereira, as conseqüências da crise serão debitadas à União que não tem dado condições aos produtores rurais para recuperar a perda de renda e se manter na atividade.
 
O documento que será entregue ao presidente Lula diz:
 
“Senhor Presidente,
 
Os governadores abaixo assinados concordam que a economia brasileira passa por um momento delicado em razão da crise da agropecuária e seus reflexos nos demais segmentos que direta ou indiretamente são afetados, conforme observações a seguir.
 
As perspectivas apontam para queda nas atividades do campo e em quase todos os segmentos voltados ao comércio exterior com sérias conseqüências na geração de renda e empregos.
 
Os efeitos se farão sentir com mais gravidade no decorrer do 2º semestre de 2006 e ao longo do ano de 2007, onde a arrecadação dos Estados deverá sofrer drástica redução, impedindo-os de cumprir com os compromissos elementares com a saúde pública, educação, segurança e outras obrigações institucionais mínimas.
 
Por isso, Senhor Presidente, se faz necessário uma criteriosa avaliação do atual momento e buscar alternativas possíveis para minimizar os efeitos desastrosos que se avizinham. “
 
Assinam o documento os governadores de Mato Grosso, Blairo Maggi; Goiás, Alcides Rodrigues Filho; Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira; Rio Grande do Sul, Germano Rigotto; Rondônia, Ivo Cassol; Maranhão, José Reinaldo Tavares; Tocantins, Marcelo Carvalho Miranda; Bahia, Paulo Souto; Paraná, Orlando Pessuti e o presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara Federal, deputado federal Abelardo Lupion.
 
Fonte: Site Primeira Hora, de Rondonópolis, Mato Grosso

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 14h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

INFORMAÇÃO e OPINIÃO -IOCM- !
ex - Blog do Cesar Maia
    16/05/2006


PÂNICO EM SP? SÓ? NÃO! PÂNICO NO BRASIL!
POR QUE A CENTRALIZAÇÃO PELO PCC EM SP?

Na capa do jornal Estado de SP de ontem, presos amotinados balançavam uma faixa com a consigna PAZ, JUSTIÇA E LIBERDADE ! Esta é ao mesmo tempo a consigna do PCC de SP e do Comando Vermelho do Rio. Estas gangues mantém relações há alguns anos e as policias do Rio e de SP tem informações de sobra a respeito.

A dinâmica de crescimento das gangues que controlam o narco - varejo no Rio vem de longe. A razão inicial de criar gangues com uma certa denominação foi evitar uma guerra sem vencedor, pelo controle dos pontos de vendas de droga, bocas de fumo. Os de mesma denominação passaram a não atacar mais, as bocas de fumo dos "afiliados".

Com o tempo, gangues de mesma denominação, passaram a ter acesso -em boa medida- a mesmos fornecedores de drogas e de armas. São gangues que atuam com a mesma lógica, mas totalmente descentralizadas e sem conexão na ação. A referência em presídios -é funcional- pois serve para evitar uma luta entre os de uma mesma denominação, pelo poder. Com o "chefe" preso, preserva-se a unidade virtual.

Este processo foi afunilando e uns 4 anos atrás o Comando Vermelho no Rio, passou a ter pelo menos uns 70% do controle do narco - varejo. A tendência era de centralização do narco - varejo no Comando Vermelho. No Rio duas áreas detêm -cada uma delas um terço da distribuição no varejo -uma espécie de atacado do varejo: Rocinha e Maré. Quando o traficante Lulu decidiu trocar o Comando Vermelho por outra facção, a tendência à centralização sofreu uma forte reversão, pois se passaria dos 70% para 40% do total. A partir daí, a disputa pela Rocinha se tornou permanente.

No caso de SP, isso não ocorreu da mesma maneira, pois quando a tecnologia do narco - varejo do Rio foi para SP, transferida principalmente pelo Comando Vermelho, este processo já nasceu quase centralizado. Não é verdade que a base do crime organizado no Rio seja a droga e em SP outros tipos de crime, como seqüestro, assalto a cargas e bancos, etc... O tráfico de drogas continua sendo a mercadoria principal do supermercado do crime a que lhe profissionaliza pelo valor de troca contido.

Na periferia de SP já foram localizados laboratórios de refino de pasta base e desmontados pelo menos uns cincos. Com a flexibilização da produção de folha de coca na Bolívia, com a criação de laboratórios de refino de pasta base nas fronteiras do Peru com o Brasil e com a pesquisa e o aumento da produtividade e intensidade da coca nas áreas altas da Colômbia, a oferta -neste momento- está se ampliando, e a questão se torna cada vez mais nacional.

Só quem não vê isso -ou não quer ver- é o governo federal. Este inescapavelmente terá que assumir esta responsabilidade. O prefeito do Rio, Cesar Maia, publicou meses atrás no Estado de SP um artigo -que na verdade- reproduzia com expressões análogas- um relatório da mais qualificada fonte de inteligência policial internacional do governo federal. A releitura deste artigo pode ajudar a entender, que vivemos um momento de agravamento internacional,(acelerado depois, com a presença de um líder cocaleiro na presidência da Bolívia), que exige do presidente da República e do Congresso Nacional, a assunção na própria constituição desta responsabilidade federal pela coordenação, comando e liderança da repressão ao tráfico internacional de armas e drogas em território nacional.

VALORES RIDÍCULOS !

Ontem este ex - blog tratava da inescapável responsabilidade federal para se enfrentar o crime organizado, um crime sem fronteiras,(drogas e armas). A matéria abaixo de Fernando Rodrigues da Folha de SP, mostra que as aplicações em segurança pública caíram no governo Lula. Isso não choca tanto quanto os valores. O governo federal aplica em segurança pública apenas o dobro do que a prefeitura do Rio aplica em sua Guarda Municipal desarmada. A Guarda Municipal do Rio -desarmada- custa mais que todos os recursos aplicados pelo governo federal em SP.

Lula reduziu gastos com segurança pública em 2005

O governo federal reduziu drasticamente os valores gastos em segurança pública no ano passado, segundo dados oficiais da execução do Orçamento da União. No que diz respeito aos repasses aos Estados, por meio do Fundo Nacional de Segurança Pública, a queda foi de 28% na comparação entre os números de 2005 e os de 2004. Em 2004, o governo federal desembolsou R$ 380,8 milhões para o Fundo Nacional de Segurança Pública. Em 2005, a cifra caiu para R$ 275,8 milhões -a já mencionada redução de 28%.

Desses R$ 124,9 milhões o Estado de São Paulo, vitimado desde sexta pelos ataques do PCC (Primeiro Comando da Capital), ficou sozinho com R$ 56,3 milhões, o equivalente a 45% do total. Em 2002, último ano de seu governo, Fernando Henrique desembolsou R$ 396 milhões para o fundo, em valores atualizados em março deste ano pela ONG Contas Abertas especializada em monitorar gastos públicos a partir de dados oficiais do Siafi (Sistema Integrado de administração Financeira). O indexador usado foi o IGP-DI. O valor de Lula no ano passado, usando o mesmo IGP-DI, fica em R$ 283,4 milhões -ou seja, uma redução de
pouco mais de 28%.

DUAS NOTAS PARA A MEMÓRIA !

1. Se o PMDB não var ter candidato a presidente não precisa convocar Convenção. O PFL não teve convenção em 2002. Portanto quem espera a Convenção de 10 de junho, vai esperar deitado para não cansar.

2. Mas,..porque o TSE não julga o processo de inelegibilidade do casal Garotinho -pilhado em Campos com dinheiro em cima da mesa ???? Por que ????


MAIS ESTAVA E ESTÁ NA CARA ! QUEM DESCONTIGENCIA VERBA DO ORÇAMENTO SÃO OS MINISTROS. SE HÁ DEPUTADO CORRUPTO, ALGUM FIGURÃO DO GABINETE DO MINISTRO, TAMBÉM TEM QUE SER !

Coluna do ANCELMO - O GLOBO.
SANGUESSUGA !
Um sábio da área de saúde acha que a PF ainda não pegou o chefe da máfia das ambulâncias dentro do ministério da saúde. É que a tal funcionária Maria da Penha Lino é fichinha. Não tinha no ministério poder para liberar a grana das ambulâncias.

Pesquisa e Edição : JCM

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 11h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

OPINIÃO

É sempre a mesma história

 

Toda vez que acontece algo de anormal no país, o combalido Congresso Nacional se arvora em desarquivar e desengavetar projetos que resolvam as anormalidades surgidas.

 

A semana passada, o Congresso Nacional reagiu ao surgimento da Operação Sanguessuga, com a criação de um grupo de trabalho para sistematizar projetos que corrijam as distorções do Orçamento Geral da União que levam parlamentares a malversar recursos de emendas orçamentárias.

 

Agora, com os atos terroristas do PCC em São Paulo, o combalido Congresso Nacional ergue a voz com a mesma intenção. Vai reunir lideranças, criar um grupo de trabalho e etc. e tal.

 

Esta cantilena se repete sempre. Quando o presidente Lula aumentou a edição de medidas provisórias, o combalido Congresso Nacional, que têm nesta, a sua pior legislatura de todos os tempos, ultrapassando em muito aquela eleita em 1990, que acabou com o descobrimento dos anões do Orçamento, o presidente do Parlamento Brasileiro criou uma comissão especifica para tratar do assunto.

 

Até hoje, o relatório sobre a reformulação da tramitação de MP’s no Congresso Nacional dorme em alguma gaveta do Senado.

 

É sempre assim. Infelizmente nada acontece. É tudo cascata, principalmente se o ano for de renovação eleitoral de mandatos proporcionais. 

 

Foram três os exemplos demonstrados – reformulação da tramitação do Orçamento, segurança pública e MP’s – mas poderiam ser centenas, como são os vetos presidenciais que nunca são votados, dorme em algum escaninho do legislativo federal.

 

E assim vai caminhando este país, a espera de que em algum dia o povo acorde do berço esplêndido. 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h49
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 

Lula pode pedir licença

 

Na semana passada, publiquei no blog nota sobre a intenção do presidente Lula se licenciar durante os três meses que antecedem a eleição presidencial. Vale a pena republicar a nota porque os rumores aumentaram de lá para cá.

   

Uma fonte segura informa que flagrou, ontem à noite, uma conversa no balcão do bar do restaurante Piantella, que versava sobre a intenção do presidente Lula em pedir licença do cargo, entre julho e setembro, como moeda de troca para que o PMDB abortasse definitivamente a candidatura própria, pois o partido teria durante 3 meses a presidência interina da República. 

 

Segundo a fonte, os interlocutores analisaram os prós e os contras da ação, que só se materializaria, se o PMDB governista conseguir, no próximo sábado, abortar a candidatura própria do partido.

 

Entre os prós, enumeraram a vantagem do presidente Lula poder     dedicar-se exclusivamente a campanha à reeleição e ter o PMDB no seu colo, pois com Renan Calheiros ocupando interinamente a presidência da República, os oposicionistas do partido ficariam constrangidos e sairiam de cena, deixando o caminho livre.     

   

Na parcela dos contras, a falta de confiança no bloco do PMDB governista, principalmente porque vários cardeais, deste segmento peemedebista, têm alianças com partidos que fazem oposição ao PT e ao governo federal, como é o caso de Renan Calheiros em Alagoas.

 

Como para conseguir o fim da candidatura própria do PMDB à presidência da República, o presidente Lula está se valendo tudo, o blog publica a presente nota.    

  

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Sonhando acordado

A decisão do PMDB de não ter candidato a presidente, tomada sábado, foi comemorada no PT. O presidente do partido, Ricardo Berzoini, acha que será 'muito difícil' fechar coligação formal pela reeleição do presidente Lula já no primeiro turno. 'Mas poderemos ter acordos em vários Estados e caminharmos juntos para construir um pacto de governabilidade para um novo governo Lula', disse. A direção do PT já negocia apoiar candidatos do PMDB em Goiás, Amazonas, Roraima, Tocantins e Paraíba, e tenta alianças mais amplas, que incluem o PMDB, em Rondônia, Pará, Piauí, Bahia, Amapá e Ceará. (Trecho de matéria de O Estado de São Paulo) 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Fidel Castro promete renunciar se provarem sua fortuna

Da France Presse

HAVANA (Cuba) - O presidente de Cuba, Fidel Castro, afirmou na noite desta segunda-feira que renunciará se alguém conseguir provar que ele tem uma fortuna pessoal, como diz a revista Forbes. “Se provarem que tenho uma conta no exterior prometo renunciar às funções que estou desempenhando", garantiu Castro em um "breve" discurso de quatro horas e meia na TV cubana.

"Intimo a todos, em primeiro lugar o presidente (americano George W. Bush), a CIA, os 33 organismos de inteligência dos Estados Unidos, os milhares de bancos que há no mundo, os desafio a ver se me calam agora", disse o comandante.

"Vamos ver o que inventam, se meteram entre as patas dos cavalos, na mentira absoluta, o nó górdio precisa ser rompido e vamos fazê-lo, se provarem isto não precisarão de mais nada (...) agora eles têm a palavra". “Isto é ridículo, não tenho herdeiros, para que quero dinheiro se vou fazer 80 anos? São estúpidos?!".

A revista americana Forbes publicou recentemente que Fidel Castro é o sétimo governante mais rico do planeta, com uma fortuna pessoal de US$ 900 milhões.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Os caminhos do poder

Guia revela como funciona e quem toma as decisões no governo federal e no Congresso

Leonel Rocha
Da equipe do Correio

O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) lançou um mapa dos corredores e salas do poder. É um guia para quem pretende aprovar, ou rejeitar, leis. Ou fazer funcionar a máquina administrativa. Chama-se Por Dentro do Processo decisório – Como se fazem as leis. É uma espécie de orientação para o bom lobby em Brasília. Além de ensinar o caminho para um parlamentar ou representantes de entidades da sociedade, a cartilha do Diap revela que, abaixo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a pessoa mais poderosa da República é a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Ela tem a chave do cofre e o poder de dar a última palavra sobre todos os assuntos, antes das decisões do presidente.

Leia aqui matéria do Correio Braziliense

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 08h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Bolívia ameaça fundos de pensão

LA PAZ e PARIS

O governo da Bolívia ameaçou ontem intervir em dois fundos de pensão privados, administrados por grupos financeiros da Suíça e da Espanha, caso não transfiram para a estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales de Bolivia (YPFB) as ações que detêm em três petrolíferas. O vice-presidente do país, Alvaro García Linera, afirmou que os fundos de pensão Futuro da Bolivia, do grupo Zurich Financial Services, e Previsión Bolivia, do espanhol BBVA, têm três dias para fazer a transferência, sem custos, tal como estabeleceu a nacionalização de hidrocarbonetos decretada no início deste mês.

Leia aqui matéria de O Globo

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 

A íntegra da nota de Daniel Dantas

Rio de Janeiro, 15 de maio de 2006. Nota de esclarecimento Sobre a matéria da Revista Veja de 17 de maio de 2006, intitulada "A Guerra nos Porões", tenho a esclarecer que:

1. Não encomendei nenhuma investigação de qualquer natureza sobre atividades ou pessoas do governo federal ou de qualquer autoridade.

2. Nunca me ocupei em preparar dossiês de qualquer natureza. Como também nunca os encomendei a ninguém, a nenhum auxiliar, a nenhum colaborador ou contratado. Se dados foram produzidos no curso de algum procedimento já de conhecimento público, tal sucedeu sem minha autorização.

3. Tive conhecimento do teor de parte dos papéis que serviram à matéria da Revista Veja, mas jamais tive acesso a eles. Manifestei meu descrédito sobre o assunto. Na minha opinião era - e é - inverossímil.

4. Não entreguei à Revista Veja, a nenhum repórter, editor, jornalista ou qualquer funcionário - como também para nenhum outro veículo de comunicação nacional ou internacional - nenhum papel, nenhum arquivo eletrônico, nenhuma informação ou declaração acerca das informações publicadas na citada matéria da Revista Veja.

5. Concedi, em 11 de maio de 2006, uma entrevista ao colunista Diogo Mainardi. Quanto ao restante das informações colocadas em matéria separada, nada partiu de mim.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Dirceu e Lando

Sebastião Nery

Lula pode alegar que todo mundo sabe do que Daniel Dantas e a "Veja" são capazes. Mas, e o senador e ex-ministro Amir Lando? Vice-líder do governo no Senado, foi indicado a Lula e José Dirceu, quando Dirceu ainda era dono do governo, para ministro da Previdência, pelos três mosqueteiros governistas do PMDB (José Sarney, Renan Calheiros e Ney Suassuna).

De repente, Amir Lando foi derrubado do ministério, porque fez uma denúncia à Abin, e substituído pelo estepe Berzoini, o quebra-galho de Lula. Agora, Amir Lando contou o segredo ao procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, e à revista "IstoÉ" publica esta semana:
"Toda a negociação que abriu aos bancos as portas do crédito com desconto em folha se deu no Palácio do Planalto, capitaneada pelo ex-ministro Dirceu. Não passava pelo ministério. Tudo era acertado na Casa Civil. Estavam em curso cobranças de vantagens para possibilitar a habilitação dos bancos".

É por isso que Dirceu vive saracoteando pelo País a fora em jatinhos (pagou R$ 12 mil para ir a Juiz de Fora) e pelo exterior (está agora em Nova York), dizendo que "tem tido renda mensal mínima de R$ 80 mil, fazendo três palestras mensais a R$ 20 mil e como colunista do `Jornal do Brasil'" ("O Globo").

Fonte: Tribuna da Imprensa

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h20
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

EUA suspendem venda de armas para a Venezuela

Washington (EUA) - Duas medidas tomadas pelo presidente George W. Bush agravam ainda mais a já tumultuada relação entre EUA e Venezuela. Segundo o Departamento de Estado americano, a Casa Branca proibiu a venda de armas à Venezuela, um dos maiores exportadores de petróleo para os EUA, pelo que classifica como “falta de cooperação na guerra contra o terror”. Além disso, Washington incluiu o país latino-americano em lista de nações que “não cooperam” na cruzada antiterrorista.

Curiosamente, a inclusão da Venezuela na lista de países não-comprometidos na luta contra o terror aconteceu horas depois do anúncio do restabelecimento das relações diplomáticas dos EUA com a Líbia, outro importante produtor de petróleo, cujos contratos estiveram rompidos por 25 anos.

De Londres, onde participa de uma visita de caráter pessoal, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse que a decisão dos EUA não passa de “uma ratificação” do que significa “o império que atropela países pequenos e fracos”. “É preciso alertar o mundo sobre a ameaça do império. Hoje, é a Venezuela. Amanhã, pode ser qualquer país”, preveniu.

Apesar da decisão de Washington, Chávez garante que não pretende interromper o fornecimento de petróleo aos EUA. “Não queremos prejudicar ninguém”, disse.

A visita de Hugo Chávez ao Reino Unido, na qual ele teve como anfitrião o prefeito de Londres, Ken Livingstone, causou mal-estar ao primeiro-ministro, Tony Blair. Segundo relatos da imprensa britânica, Blair teria dito “estar enojado” com a visita do líder venezuelano. Chávez, no passado, chegou a se referir a Blair como um “peão do imperialismo”. Em seu discurso de ontem, no entanto, o venezuelano não mencionou o nome do primeiro-ministro.

Fonte: O Dia Online

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Sem perdão: Heloisa Helena ataca Lula

Carina Rabelo

A pré-candidata do PSOL à presidência da República senadora Heloísa Helena (AL) responsabilizou o governo federal pela violência do PCC no País. Segundo ela, a verba destinada à segurança foi desviada para pagamento da dívida com o FMI. “A violência explode em São Paulo e o presidente viaja pela Áustria, enquanto deveria estar aqui”. Heloisa Helena esteve nesta segunda-feira no seminário “Comunicação e Política” na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia.

A senadora acusou o PT e o PSDB de terem feito um megaacordo para que livrar os mensaleiros de punição. “Os acordos impediram as devidas punições e tudo foi abafado. Foi um desperdício”. Chamou o mensalão de semanão. “Toda semana, recebíamos os cronogramas de liberação de recursos e suas respectivas emendas parlamentares para projetos específicos. Sempre os mesmos parlamentares eram favorecidos”. Sobre o partido de Lula, disse que não pode ser chamado de esquerda por ter repetido práticas políticas do governo de FHC e se vendeu ao capitalismo.

Sobre a entrevista explosiva do ex-secretário-geral do PT, Silvio Pereira, afirmou não ter dúvidas que ele esteja sendo ameaçado. “Sei que existem pessoas no PT que são capazes de matar, roubar e chantagear.”

Heloisa Helena defendeu Morales e atacou Lula sobre falta de ação no caso do gás e por não ter defendido a Petrobras. “Evo Morales está certo em lutar pela soberania da Bolívia na exploração do gás. Ele está cumprindo sua promessa de campanha. Lula deveria ter feito a sua parte e defendido a Petrobrás, pois cada país tem que lutar pelos seus interesses. A falta de firmeza do Governo já gerou o aumento do gás natural no mercado.”

Leia a seguir os principais trechos da entrevista

Violência em São Paulo - “O Governo não liberou nenhum centavo para os projetos sociais e de segurança pública. Toda a verba do orçamento foi desviada para pagamentos de dividas com o FMI. A violência que está acontecendo em São Paulo é apenas um exemplo de muitos casos de violência que estão ocorrendo em todo o país todos os dias e a situação não pode ser tratada com discurso demagógico. Para combater o crime, precisa de investimento em sistemas de inteligência, pagar melhor os policiais e reformar o sistema penitenciário. Mas o Governo não investe em segurança. Os policiais ganham pouco e as viaturas sequer têm vidros blindados. Mas as limusines dos delinqüentes de luxo estão bem blindadas e protegidas. A violência explode em São Paulo e o presidente viaja pela Áustria, enquanto deveria estar aqui”.

CPI – “As CPIs não deram em nada porque houve um mega acordo entre PSDB e o PT para livrar o nome de alguns políticos da cassação, de Lula a Daniel Dantas. O relatório final da CPI foi ridículo, mas muitos setores da imprensa aplaudiram. A CPI tinha um grande poder nas mãos, já que tem legitimidade para solicitar a quebra de sigilos bancários e telefônicos, coisa que nem a polícia federal pode fazer, apenas com mandado judicial. Os acordos impediram as devidas punições e tudo foi abafado. Foi um desperdício.”

PT - “O PT hoje não se pode dizer um partido de esquerda. A história da esquerda nunca defendeu a idéia de que os fins justificam os meios. Não adianta vim com sustentações marxistas, gramiscianas, stalinistas nem maquiavélicas para justificar as corrupções no partido, que repetiu as práticas políticas do governo de FHC e se vendeu ao capitalismo. Os capitalistas vão virar churrasco do demônio e como sou socialista, meu lugar no céu está garantido (risos)”.

Mensalão - “O mensalão deveria se chamar semanão. Toda semana, recebíamos os cronogramas de liberação de recursos e suas respectivas emendas parlamentares para projetos específicos. Sempre os mesmos parlamentares eram favorecidos”.

Personalidade agressiva - “Dizem que sou grossa, intolerante e raivosa. Mas acho incrível como todos ficam grossos, raivosos e irritados quando um ladrão rouba seu carro, sua casa, maltrata seu filho, desrespeita a sua família. Mas na política, as pessoas não se comportam assim. Os brasileiros têm o hábito de dar legitimidade aos políticos para tratarem a coisa pública como se fosse uma caixa de seus objetos pessoais. Eles metem a mão no dinheiro do povo, mas todo mundo acha isso normal. Por isso, estou acostumada a enfrentar um gigante por dia e não tenho medo de brigar com quem quer que seja. Comigo é assim, tem que ser ou quente ou frio, se for morno, eu vomito.”

Vender a alma – “Sempre ouço dizer que se fosse eleita, meu Governo seria igual ao de Lula, que me venderia aos interesses capitalistas. Poderia ter sido ministra na época gloriosa do PT, poderia ter me deslumbrado com o tapete vermelho no Palácio do Planalto, mas recusei. Fui contra o esquema de alianças do partido e a reforma da previdência, e acabei sendo expulsa quando todos assumiam cargos. Hoje, sou feliz por ter desistido da minha candidatura ao governo de Alagoas, quando o PT queria que eu dividisse o palanque com criminosos da política local, e por ter sido expulsa do partido quando fui contra a reforma da previdência. Se não tivesse caído fora a tempo, meu nome seria incluído na lista do mensalão e ninguém acreditaria na minha inocência.”

Daniel Dantas e Silvinho - “Não tenho elementos suficientes para dizer se as denúncias contra o Daniel Dantas são verdadeiras, e não duvido que o Silvinho esteja sendo ameaçado, pois sei que existem pessoas no PT que são capazes de matar, roubar e chantagear. Ele realmente tem motivos para estar com medo e eu sei bem o que é isso. Meu telefone está grampeado desde o ano passado, quando fui ameaçada de morte em ligações anônimas e perseguida por pessoas do partido.”

Bolívia x Petrobrás - “Evo Morales está certo em lutar pela soberania da Bolívia na exploração do gás. Ele está cumprindo sua promessa de campanha. Aqui, os políticos estão tão acostumados a não respeitar as promessas e estranham alguém agir diferente. Mas Lula deveria ter feito a sua parte e defendido a Petrobrás, pois cada país tem que lutar pelos seus interesses. A falta de firmeza do Governo já gerou o aumento do gás natural no mercado.”

Impeachment de Lula - “Sou contra o impeachment porque acho que cabe ao povo brasileiro julgar se Lula merece ser reeleito. Para reconhecer um ladrão neste meio, é só ver quem ficou rico. Pois só se enriquece na política roubando ou através de tráfico de influências.”

Promessas - “Se fosse eleita, cumpriria a Constituição e faria um apelo público para que a maioria do Congresso fosse da oposição ao meu Governo, pois política se faz com debate e confronto de idéias. Mas não é isso que ocorre no atual Governo, pois a maioria do Congresso é da base bajulatória do presidente”. Os países que mais cresceram no mundo foram os que não se submeteram às pressões do Fundo Monetário Internacional. Por isso, se eu fosse eleita, não ia ceder a estas pressões. Iria investir no produto interno, diminuir as importações e reduzir o superávit para poder investir nos projetos sociais e de educação. Permitiria propagandas educativas e exigiria um horário fixo no jornal nacional para que o Governo pudesse esclarecer à população o que está acontecendo no país. Faria cumprir a Lei e impediria a continuidade do monopólio da Rede Globo, pois quem ganha mais sempre vai ter mais audiência e isto não é justo.”

Fonte: A Tarde

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Delúbio pediu dinheiro ao Opportunity, diz ex-sócio

JANAÍNA LEITE
DA REPORTAGEM LOCAL

O empresário Carlos Rodenburg, ex-sócio do Opportunity, confirmou ontem à Folha ter recebido em 2003 de Delúbio Soares, então tesoureiro do PT, um pedido para contribuir com o partido. A quantia foi solicitada "uns quatro meses" depois de os petistas terem assumido o governo, segundo ele, e era de "algo entre US$ 40 milhões e US$ 50 milhões". Conforme a taxa de câmbio atual, esse valor corresponde a cerca de R$ 100 milhões. Levando-se em conta o quanto valia o dólar médio na época, porém, o total sobe para até R$ 145 milhões.

Leia aqui matéria da Folha de São Paulo

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h31
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Cristovam é candidato a presidente

O PDT deu mais um passo em direção à candidatura própria à Presidência da República nesta segunda-feira. Como havia antecipado o Correio Braziliense na última sexta-feira, a executiva do partido escolheu o senador Cristovam Buarque como o candidato da legenda. Além dele, o senador Jefferson Péres (AM), o ex-governador Ronaldo Lessa (AL) e o professor Bautista Vidal também concorriam à indicação. A decisão ainda deve ser aprovada na convenção nacional do partido, marcada para o dia 12 de junho.

O próximo passo do PDT é tentar unir sua candidatura ao Planalto com as pretensões do PPS. As duas legendas, que fazem oposição ao governo Lula, têm conversado sobre uma possível aliança nacional. O PPS, porém, também aprovou no último fim de semana o lançamento da candidatura do deputado Roberto Freire (PE), presidente nacional do partido, à sucessão presidencial.

Cristovam admite as dificuldades em se formar alianças. “Vamos continuar trabalhando, apesar das dificuldades que a verticalização impõe”, afirma. Mesmo sem uma definição oficial, o senador já tem viajado pelo país para apresentar seu programa de governo. Ex-ministro da Educação e ex-petista, ele terá como alvo o governo Lula e as irregularidades que envolveram o PT nos últimos tempos. Os tucanos também não serão poupados. “A candidatura se justifica porque temos uma proposta diferente do PSDB e PT. Queremos mudar o que está posto e temos que mostrar que isso é possível”, explicou o senador.

A reunião que aconteceu nesta segunda-feira também traz a recomendação que os Estados também tenham seus próprios candidatos. A decisão ajuda a fortalecer a candidatura do presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo, Ezequiel Nascimento, ao Governo do Distrito Federal (GDF). “Agora temos que trabalhar as alianças para viabilizar essa campanha”, afirma Ezequiel. A posição ainda é cautelosa, já que a convenção acontece apenas em junho, e o cenário do DF ainda não está completamente formado.

Fonte: Correio Braziliense 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Pedida prisão preventiva de Waldomiro Diniz

Marcelo Auler
Rio de Janeiro/Agência Estado

Dois anos e três meses depois de ser exonerado do governo federal pela acusação de ter pedido propina ao empresário de jogos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, o ex-subchefe de Assuntos Parlamentares da Presidência, Waldomiro Diniz, terá a sua prisão preventiva solicitada pela Delegacia de Combate às Ações do Crime Organizado (Draco), do Rio. No governo, Waldomiro foi um dos principais assessores do então ministro da Casa Civil José Dirceu (PT-SP). Diniz, que já tinha sido acusado formalmente por corrupção passiva, agora será indiciado por formação de quadrilha, enriquecimento ilícito e falsidade ideológica, entre outros. O relatório final do inquérito será encaminhado terça-feira pelo delegado Milton Olivier para a 23.ª Promotoria de Investigação Criminal do Ministério Público Estadual.

Diniz será acusado de beneficiar o empresário de jogos manipulando concorrências para que a empresa Combralog, de Carlinhos Cachoeira, ganhasse a licitação para explorar jogos eletrônicos on line no estado. O relatório a ser encaminhado ao promotor Homero das Neves Freitas Filho concluirá que Diniz usou de sua influência com o presidente da Associação de Bingos do Estado, José Renato Granado Ferreira, para que Cachoeira fornecesse as máquinas de jogos eletrônicos aos Bingos. O advogado de Diniz, Luis Guilherme Vieira, lembrou ontem que não existe respaldo legal para o pedido de prisão preventiva que, inclusive, já tinha sido sugerida pela CPI da Alerj ao MPE.


Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Heloísa mantém estilo 

Biaggio Talento
Salvador/Agência Estado

A pré-candidata do PSOL à Presidência da República, senadora Heloísa Helena (AL), disse a estudantes da Bahia que manterá seu estilo "raivoso" na campanha presidencial sem nenhum marqueteiro para suavizar o discurso. "Com os canalhas sou selvagem, uma onça não domesticada", disse, garantindo que não vai aceitar dinheiro de "setores empresariais" nem contratará "nenhum Duda Mendonça". Ela resumiu seu discurso sobre o bem e o mal numa frase: "Quem serve ao dinheiro vai para o inferno, eu vou para o céu porque sou socialista". A senadora foi convidada pelos alunos da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA) para participar do seminário "Comunicação e Política" e aproveitou a crise na segurança pública para criticar os poderes constituídos e os grupos econômicos.

Disse não aceitar que "as ilustres excelências delinqüentes" passeiem em carros blindados e policiais que combatem o crime não recebam tal equipamento, além de usarem coletes à prova de balas vencidos. Responsabilizou o governo federal pela onda de violência promovida por traficantes em várias cidades do país. "O Planalto não cumpriu o que estava no orçamento do ano passado e não liberou recursos para o combate à violência", disse, lembrando que houve uma redução de 48% de verba para o fundo penitenciário.

Segundo ela, além disso, "não existem políticas públicas para evitar que os jovens sejam tragados pelos traficantes".


Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h06
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Produtores prometem intensificar protestos

Os próximos dias serão decisivos para o movimento de protesto dos agricultores mato-grossenses. É que nesta terça-feira (16/05), 12 governadores liderados por Blairo Maggi se reunirão com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília (DF). A expectativa é que medidas em prol à rentabilidade do setor agrícola sejam anunciadas. Por isso, a orientação é que os protestos nesta segunda e terça-feira sejam intensificados em todo o País, como forma de sensibilizar o Governo Federal.

Em Rondonópolis, produtores rurais decidiram ontem que vão bloquear totalmente as BRs 163 e 364, nas saídas para Mato Grosso do Sul e Goiás, no começo da tarde desta segunda-feira. A intenção é permanecer com as rodovias fechadas até, no mínimo, os resultados da reunião na capital federal, quando a continuidade dos bloqueios seria novamente avaliada. Dessa forma, inicialmente, a interdição total não será interrompida no fim da tarde desta segunda-feira, permanecendo noite a dentro.

Fonte: A Tribuna, Rondonópolis, Mato Grosso

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 06h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Pecuaristas fecham Indea e MT pode ter desabastecimento de carne
Agência Safras

     A adesão da Associação dos Criadores do Estado de Mato Grosso(Acrimat), ao movimento Grito do Ipiranga, pode significar o
     desabastecimento de carne no mercado. Os pecuaristas em Cuiabá e em outras quatro cidades do interior do Estado decidiram fechar, nesta segunda-feira as unidades do Instituto de Defesa
     Agropecuária (Indea), órgão, entre outras coisas, responsável pela emissão das Guias de Trânsito de Animais (GTAs). Sem o documento, o criador não pode tirar nenhum animal da propriedade e, portanto, não haverá transporte de bovinos no Estado.
     
     A previsão dos pecuaristas é que num prazo de 24h os frigoríficos já irão sentir o desabastecimento e terão que parar o abate por falta de matéria prima. Nos cinco postos do Indea fechados os manifestantes permanecem em vigília em frente às unidades do Instituto. Em Barra do Bugres (168 km de Cuiabá), mais de 100 pecuaristas participam do protesto que tem o apoio do sindicato rural do município.
     
     De acordo com os produtores a pecuária representa 33% na geração de empregos na cadeia produtiva do campo. De forma pacífica eles fecharam o prédio do órgão com uma corrente e conversaram com os funcionários do órgão explicando o motivo da manifestação. Os funcionários retornaram para casa.
     
     Nos municípios de Nova Olímpia, Rio Branco e Guarantã do Norte, as unidades do Indea também estão fechadas. O diretor da Acrimat, Vicente Falcão, explicou que a intenção dos pecuaristas é fechar todas as unidades do Instituto no Estado durante toda esta semana. Segundo Falcão, além do apoio institucional que a associação vinha dando ao movimento, chegou a hora do setor ir para as ruas, fortalecer o protesto dos produtores rurais e mostrar o descontentamento com a atual crise do agronegócio
     que atinge em cheio o setor da pecuária.
     
     "Já que o governo não toma nenhuma atitude para resolver a situação nós temos que nos manifestar e chamar a atenção também da sociedade que sente na pele os reflexos desta crise. O nosso protesto é de solidariedade aos agricultores, mas é também uma forma de mostrar que a atual crise atinge todos os setores produtivos, principalmente, a agropecuária" - destacou Falcão.
     
     A previsão é de que nas próximas horas outras unidades do Indea sejam fechadas. Na maioria dos municípios, este protesto conta com o apoio do comércio, da industria e de outras entidades representativas da sociedade civil.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 05h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

GAROTINHO INSISTE NA CANDIDATURA À PRESIDÊNCIA

O ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, parece ter ignorado o resuldo da convenção do PMDB, onde foi definido que o partido não deve apresentar candidato próprio a presidente. "O PMDB tem candidato à Presidência da República. Aquele resultado não tem valor jurídico nem valor político. (...) O que os governistas estão fazendo é se aproveitar da mídia para confundir a opinião pública e divulgar para o País inteiro que o PMDB não tem candidato", afirmou Garotinho durante entrevista ontem ao programa Canal Livre.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 05h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

HELOÍSA HELENA CULPA GOVERNO FEDERAL PELA ONDA DE VIOLÊNCIA

A pré-candidata à Presidência da República pelo PSOL, senadora Heloísa Helena (AL), responsabilizou o governo federal pela onda de violência promovida por traficantes em várias cidades do país. "O Planalto não cumpriu o que estava no orçamento do ano passado e não liberou recursos para o combate à violência. (...) Fizemos vários pronunciamentos no Senado alertando para os graves riscos na área de segurança pública, pois fora as reduções nas verbas para a área ocorreu uma pífia execução orçamentária" , disse.

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 05h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Dinheiro da segurança pública vai para o superávit

Sobra dinheiro nos cofres públicos, que, se bem aplicado, poderia reverter situações como essa. Só no Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), do Ministério da Justiça, existem R$ 297 milhões em recursos disponíveis (até 15 de maio), que ao invés de colaborarem para a melhoria de presídios, servem como garantia para o superávit primário.

Leia aqui matéria do site Contas Abertas

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 05h49
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Manchetes da terça-feira - 16 de maio

JORNAL DO BRASIL - Terror

O ESTADO DE SÃO PAULO - PCC suspende rebeliões, mas pânico e boatos paralisam SP

FOLHA DE SÃO PAULO - Medo de ataques pára São Paulo

O GLOBO - No quarto dia - Crime e medo param São Paulo

CORREIO BRAZILIENSE - Medo de atentados pára a maior cidade do Brasil

Leia aqui os destaques dos jornais

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 04h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Agricultores fecham BR novamente. Reunião acontece em Brasília

Depois da trégua no final de semana, os produtores rurais voltaram nesta tarde a bloquear as rodovias federais que cortam Rondonópolis. Segundo o Produtor rural, João Carlos Diel, não existe previsão de liberação das rodovias durante à noite ou até que o Governo Federal se prenuncie em favor das reivindicações dos produtores.

O protesto é total. Os manifestantes não estão permitindo a passagem de ônibus e nem carros de passeio. Neste momento o governador do Estado de Mato Grosso, Blairo Maggi (PPS) e parlamentares federais e estaduais estão reunidos em Brasília, no gabinete do senador Jonas Pinheiro (PFL) discutido assuntos pertinentes à agricultura.

Fonte: Primeira Hora, de Rondonópolis, de Mato Grosso. 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 20h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Francesa Total, sócia da Petrobras, ameaça deixar a Bolívia

A petrolífera francesa Total anunciou nesta segunda-feira que está disposta a deixar de investir na Bolívia, em decorrência da decisão do país vizinho de nacionalizar as reservas de petróleo e gás. A Total tem uma participação de 15% nos campos de San Antonio e San Alberto, que são operados pela Petrobras. Em entrevista ao diário francês Les Echos, o presidente da Total, Thierry Desmarest, afirmou que a empresa não vai continuar a investir em “qualquer condição”. “Total foi a esse país [Bolívia] e criou riqueza, realizando achados de gás relativamente importantes, e considera que pode ainda contribuir muito colocando essas jazidas em produção. Mas não o fará em qualquer condição”, afirmou. O executivo também criticou a Venezuela, que também tem assumido uma posição mais nacionalista e elevado impostos sobre a exploração de petróleo. “Esperamos igualmente que as coisas se esclareçam na Venezuela, onde mudaram as regras do jogo em mais de uma ocasião de forma bastante brutal”, afirmou.

Fonte: Primeira Leitura

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 13h49
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Chávez conclamou a comunidade internacional a freiar o ímpeto de guerra dos EEUU

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, conclamou a comunidade internacional, especialmente as nações europeias, a freiar o “ímpeto guerreiro” dos Estados Unidos, para evitar que se produzam novas “guerras, terrorismo e desolação”.

“Desde aqui (Londres) fazemos um chamado aos Estados Unidos para que freie seus ímpetos guerreiros, que pretende levar o mundo pelo despenhadeiro de mais guerras, mais terrorismo, mais desolação”, disse o mandatário venezuelano durante a coletiva de imprensa conjunta que concdeu com o prefeito Livingstone em Londres.

“Creio que a Europa têm um papel muito importante, em vez de apoir este ímpeto guerreiro, deveria ajudar a freia-lo, o mundo tem como fazê-lo”.

O chefe de estado venezuelano, durante o segundo dia de visita a capital da Inglaterra, recordou que a Europa tem um “importante papel” agora de ajudar a parar os planos de guerras da administração George W. Bush.

Fonte: TeleSUR

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 13h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Pesquisa aponta Lula com 33 e Alckmin com 24% em Mato Grosso
O tucano Geraldo Alckmin está 9% atrás do presidente Lula nas intenções de votos dos eleitores de Mato Grosso. Se a eleição fosse hoje, Lula teria 33% e, Alckmin, 24%. O resultado foi apontado pelo instituto Gazeta Dados, que ouviu eleitores em 57 municípios. entre os dias 5 e 7 deste mês. Anthony Garotinho ( PMDB) aparece em terceiro com 15%. A senadora Heloísa Helena (PSOL) tem 5% e, Roberto Freire (PPS) tem 1%. De acordo com o Gazeta Dados, 8% dos eleitores preferem anulariam o voto se as opções fossem estes candidatos.

Na eleição passada, a disputa entre os candidatos petista e tucano foi, de certa foram, equilibrada. Lula teve, no segundo turno, 54% dos votos contra 46% de José Serra.

O resultado em Mato Grosso, por exemplo, é inverso de São Paulo, onde oex-governador Geraldo Alckmin mantém a liderança pela corrida à presidência em São Paulo, porém sua vantagem em relação ao petista Lula cai pela metade (era 18 pontos percentuais e agora fica em 9). As intenções de voto de Alckmin são de 42% contra 33% de Lula, 4% de Garotinho, 3% de Heloísa Helena, 2% de Enéas e 1% de Roberto Freire. Brancos e nulos somam 9% e não souberam ou não opinaram, 5%.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 13h26
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

BR-163 bloqueada em Sorriso e Lucas. Cargas não passam
Os produtores voltaram bloquear a passagem de carretas e caminhões carregados em direção a municípios do Nortão. O tráfego está parcialmente interrompido na BR-163, em Sorriso. Os produtores continuam concentrados em frente a rodoviária ( saída para Lucas). Integrantes da organização do manifesto estão em outros pontos da rodovia avisando os caminhoneiros do reinício dos bloqueios e sugerindo aos que quiserem ficar em postos de combustíveis e centrais de fretes, ao invés das filas na rodovia. A previsão, em Sorriso, é liberar a passagem de cargas amanhã, às 17:00hs, depois que terminar a audiência do presidente Lula com os governadores onde os produtores esperam que mais reivindicações seja atendidas.

Em Lucas do Rio Verde, o tráfego também foi bloqueado ao meio-dia, na BR-163, saída para Nova Mutum. Cargas com remédios vão passar. As demais ficarão retidas. Tanto em Lucas quanto em Sorriso, carros e ônibus passarão normalmente. Os agricultores temem, por outro lado, que caminhoneiros -que ficarão impedidos de passar- possam atravessar caminhões e carretas na pista, como ocorreu semana passada, em Nova Mutum e Sinop, obstruindo a passagem de automóveis e ônibus.

Em Nova Mutum, os produtores pretendem retormar o bloqueio da pista a partir das 17:00hs. Em Sinop, a previsão é reiniciar os bloqueios amanhã, às 06:00hs, no Alto da Glória (saída para Sorriso).

A estratégia de continuar os bloqueios na principal rodovia que liga o Nortão a capital e ao Sul do Estado é para pressionar o Governo Federal para atender mais reivindicações, considerando que amanhã governadores vão fazer estas cobranças ao presidente Lula.
A liberação de R$ 1 bilhão para garantir preços mínimos para a soja, anunciada na sexta-feira pelo governo, não beneficiaria 85% dos produtores que já vederam a safra deste ano para pagar parte das dívidas. A decisão do governo garante cerca de R$ 6 a mais popr saca de soja.

As manifestações entram na quarta semana e os produtores estão mantendo os bloqueios mesmo com liminar concedida pela Justiça Federal para que não seja feita interrupção no tráfego sob pena de prisões, maquinários e caminhões serem apreendidos, multados e os proprietários poderão ser processados, de acordo com a decisão do juiz Julier Sebastião da Silva, concedida no final de semana.
 
Fonte: Site Só Notícias, do Mato Grosso

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 13h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Governo federal gastou menos em 2005 em segurança pública

Os investimentos do governo federal em segurança pública diminuíram 11% em 2005. Foram investidos R$ 475 milhões no ano passado contra os R$ 533 milhões aplicados em 2004 , já considerados os restos a pagar de exercícios anteriores. A redução de verbas atingiu três das cinco mais importantes unidades orçamentárias do Ministério da Justiça.

O Departamento de Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi o mais afetado pela queda. Em 2004, a PRF tinha R$ 19,5 milhões em recursos. Ano passado o número caiu para R$ 7,7 milhões. O Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), criado para financiar projetos dos governos estaduais e municipais, também teve os valores reduzidos em 26%.

O terceiro mais atingido pelo corte foi o Fundo Penitenciário Nacional (FUNPEN), que teve redução de R$ 55,2 milhões. Houve aumento apenas no repasse de recursos para o Departamento de Polícia Federal e para o Fundo de Aparelhamento da Polícia Federal. Clique aqui para ver a série histórica dos gastos em investimentos, das principais unidades orçamentárias do Ministério da Justiça que fazem dispêndios em segurança pública.

De acordo com dados do Sistema Integrado de administração Financeira (SIAFI), a região nordeste foi a mais prejudicada pela queda nos investimentos do Fundo Nacional de Segurança Pública em 2005. O estado do Maranhão foi o mais afetado e contou com apenas R$ 571 mil. No ano anterior, a verba do Maranhão foi de R$ 2,4 milhões.

Os estados da Paraíba e Piauí também foram prejudicados. Eles tiveram R$ 685 mil e R$ 780 mil no ano passado, sendo que, em 2004, esses estados nordestinos puderam contar com R$ 1,3 milhão e R$ 2,1 milhões, respectivamente. Entre os estados que receberam maior parcela de recursos, estão São Paulo com R$ 56 milhões e o Rio de Janeiro com R$ 13 milhões.Clique aqui para conferir os valores destinados os estados.

O Contas Abertas divulgará, ainda hoje, novas informações sobre os gastos governamentais com segurança pública.

Aline Sá Teles
Contas Abertas

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 13h17
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Os investimentos do governo federal em segurança pública diminuíram 11% em 2005. Foram investidos R$ 475 milhões no ano passado contra os R$ 533 milhões aplicados em 2004 , já considerados os restos a pagar de exercícios anteriores. A redução de verbas atingiu três das cinco mais importantes unidades orçamentárias do Ministério da Justiça.

O Departamento de Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi o mais afetado pela queda. Em 2004, a PRF tinha R$ 19,5 milhões em recursos. Ano passado o número caiu para R$ 7,7 milhões. O Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), criado para financiar projetos dos governos estaduais e municipais, também teve os valores reduzidos em 26%.

O terceiro mais atingido pelo corte foi o Fundo Penitenciário Nacional (FUNPEN), que teve redução de R$ 55,2 milhões. Houve aumento apenas no repasse de recursos para o Departamento de Polícia Federal e para o Fundo de Aparelhamento da Polícia Federal. Clique aqui para ver a série histórica dos gastos em investimentos, das principais unidades orçamentárias do Ministério da Justiça que fazem dispêndios em segurança pública.

De acordo com dados do Sistema Integrado de administração Financeira (SIAFI), a região nordeste foi a mais prejudicada pela queda nos investimentos do Fundo Nacional de Segurança Pública em 2005. O estado do Maranhão foi o mais afetado e contou com apenas R$ 571 mil. No ano anterior, a verba do Maranhão foi de R$ 2,4 milhões.

Os estados da Paraíba e Piauí também foram prejudicados. Eles tiveram R$ 685 mil e R$ 780 mil no ano passado, sendo que, em 2004, esses estados nordestinos puderam contar com R$ 1,3 milhão e R$ 2,1 milhões, respectivamente. Entre os estados que receberam maior parcela de recursos, estão São Paulo com R$ 56 milhões e o Rio de Janeiro com R$ 13 milhões.Clique aqui para conferir os valores destinados os estados.

O Contas Abertas divulgará, ainda hoje, novas informações sobre os gastos governamentais com segurança pública.

Aline Sá Teles
Contas Abertas

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 13h14
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

INFORMAÇÃO e OPINIÃO -IOCM- !
ex-Blog do Cesar Maia    
15/05/2006

# COMENTÁRIO !
CRIME ORGANIZADO E TERROR EM SP !

Os fatos ocorridos e ocorrendo em SP, só fazem demonstrar mais uma vez, que as policiais estaduais não terão como reprimir crimes sem fronteiras, como os tráficos de drogas e de armas. Por melhor que seja uma policia estadual, ela não tem articulação internacional direta para trocar informações e tomar a iniciativa como prevenção. O crime se diz organizado quando o objeto do crime tem alto valor de troca e permite profissionalizar o núcleo de uma quadrilha. Não há como dar combate ao crime organizado lastreado nos tráficos de drogas e armas, sem que o governo federal assuma funções de comando, coordenação e liderança.

Não há Federação mais forte que a dos EUA. No entanto o combate ao crime organizado tem nas instâncias federais -DEA,FBI e Guarda Nacional- sua matriz de responsabilidade. Mais uma vez um Estado vive uma situação de emergência como a que SP vive. Já ocorreu no RJ, no Espírito Santo. E sempre com o sistema prisional -controlado pelas quadrilhas, (facções)- como referência. Tais organizações só existem da forma conhecida, pelo tipo de crime que as sustenta. E este crime -sem fronteiras- não poderá ser reprimido sem comando federal.

O presidente da república e o ministro da justiça, oferecerem apoio -como já o fizeram outras vezes em outros estados -neste governo e em governos anteriores- é de uma hipocrisia a toda prova. É como se não fosse problema dele e que apenas se prestam a ajudar. Não é assim. É problema diretamente da instância federal pela característica do crime. Perguntem se as autoridades brasileiras -da Policia Federal por exemplo- se relacionam com as policias de Ohio ou Los Angeles ou New Jersey ou....em relação à repressão aos tráficos de drogas e de armas ? Certamente não. Seus contatos são o DEA, o FBI e a Interpol.

O crime com base no tráfico de drogas se espalha pelo Brasil a taxas alarmantes. Seu principal indicador é o índice de homicídios de jovens/homens entre 16 e 24 anos. Conheçam as estatísticas para cidades tão pacatas como Cuiabá ou Macapá há 25 anos atrás, em 1980. Cuiabá passou de 2 homicídios por 100 mil jovens de 16 a 24 anos, para quase 120. Macapá de menos de 10 para quase 120. Isso para não falar do Rio, SP, Vitória, Recife, Baixada Fluminense, Grande SP, Baixada Santista, etc....onde a comparação entre 2000 e 1980 oferece taxas de crescimento estonteantes.

Não há mais como os governos federais se omitirem atrás do mesmo discurso de apoio. Cabe ao Congresso Nacional -se o governo federal não aceitar que seja por lei- aprovar Emenda Constitucional atribuindo ao governo federal tal função de coordenação, comando e liderança nesse processo e criar -nesta mesma emenda constitucional- o Ministério de Segurança Publica. Antes que tenhamos saudades dos fatos de hoje.

Centenas de comentários de políticos e cidadãos de Vitória e do Rio,neste fim de semana, comparando suas tragédias similares com esta de SP, e dando a elas caráter menor, é prova disso. Que o Congresso Nacional não apenas debata. Mas tenha a iniciativa que tais graves fatos merecem. Já!

# ONGDUTO DO PT VAI CRESCENDO !

Sob Lula, doações ao Instituto Cidadania atingem R$ 2,5 mi

O Instituto Cidadania, ONG que abrigou Luiz Inácio Lula da Silva em seus anos de oposição e mantém laços com a cúpula do governo, passou a atrair doações de empresas privadas e ao menos de uma estatal desde que o PT chegou ao poder. Foram pelo menos R$ 2,5 milhões nos últimos três anos. Paradoxalmente, o prédio de fachada envidraçada, que já foi o centro nervoso das campanhas de Lula, é hoje quase um esqueleto vazio. O instituto, apesar da injeção financeira sem precedentes, reduziu o número de projetos.

A posse de Lula foi um divisor de águas em uma instituição criada por ele em 1992, na qual despachou por dez anos. Foi no instituto que se conceberam as Caravanas da Cidadania e em que surgiu o polêmico Fome Zero, em 2001.

Lá trabalharam os ministros Guido Mantega (Fazenda) e Dilma Rousseff (Casa Civil), o chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, e a assessora da Presidência Clara Ant. Até 2002, o presidente foi Paulo Okamotto, que hoje preside o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), responsável pelo pagamento de uma dívida de Lula com o PT. Ele e Ant continuam no conselho fiscal do instituto.

# OS SANGUESSUGAS DO GOVERNO LULA SE ALASTRAM !

Ministério de Ciência e Tecnologia através do Finep, libera milhões a ONGs assistenciais da mesma forma que o Ministério da Saúde. Está mais do que na hora da imprensa dar uma olhada para o gabinete dos ministros, além dos parlamentares que se articulam com eles. Não há emenda liberada sem ministro autorizar. Será que autoriza sem saber qual a destinação ?

Estado de SP

Finep atropela lei e libera R$ 3,3 milhões para entidades sem qualificação

Documentos sigilosos da Finep (Financiamentos de Estudos e Projetos) obtidos pelo Estado exemplificam como o governo faz vista grossa para as irregularidades que ocorrem com recursos destinados para emendas parlamentares. Entre dezembro de 2005 e janeiro de 2006, três entidades assistenciais que nada têm que ver com pesquisa no País, como o Instituto Amor Pela Vida (IAPV), obtiveram do órgão federal - uma espécie de BNDES de Ciência e Tecnologia - a liberação de R$ 3,3 milhões para desenvolver em municípios do Rio o Projeto de Integração Digital Itinerante.

Os processos internos de autorização dos convênios mostram uma seqüência de atropelos à legislação e ao mínimo de bom senso exigido de quem lida com dinheiro público. Candidatos aos recursos federais por serem apadrinhados por parlamentares, o IAPV, o Ibrae e o Intedeq não apresentavam nenhuma qualificação para a tarefa e nem sequer eram cadastrados no Siasg, o sistema federal utilizado pelo Ministério do Planejamento para monitorar seus principais fornecedores.

# VIENA: QUE MENSAGEM DE PROTESTO FICOU ?

Será apenas repetir dizer que uma imagem vale por mil palavras. Especialmente no mundo de hoje. O protesto do Greenpeace contra as fábricas de celulose na região do prata colocando uma argentina -tipo boazuda- com um pequeno cartaz na frente dos presidentes, não comunicou absolutamente nada do que queria. Ficou a imagem do bumbum dela e nada absolutamente nada- do protesto que se queria fazer. Quando a imagem tira o foco do objetivo, passa ela mesma a ser o objetivo. Pequeno trecho do artigo de Julio Blanck no Clarin de domingo.

La Reina del Carnaval, el populismo fálico y los pingüinos en la cama

La internacional ecologista que promovió el show difundió enseguida un comunicado diciendo: "Ahora el mundo está hablando de Greenpeace, de las papeleras y de la contaminación en nuestros ríos". Curioso orden de importancia tienen las cosas para estos buenos señores. Además, una duda: ¿el mundo estará hablando de eso, o de un trasero fuera de programa?
Pesquisa e Edição : JCM

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Militantes digitais pedem voto nulo

Marta Erhardt

Eleitores insatisfeitos com o atual cenário político brasileiro usam a internet para divulgar uma campanha a favor do voto nulo nas eleições presidenciais. O e-mail circula na rede e critica os candidatos à Presidência. “Os nomes são tão qualificados que eu terei de fazer unidunitê. Mas se você é muito exigente e acha que nenhum desses nomes vale seu voto, que tal anular o pleito e afastar desses senhores a possibilidade de serem presidente. Saiba, isso é possível!”, diz o texto.

A idéia é conseguir adesão suficiente para invalidar o pleito de outubro. Para isso, precisam de no mínimo 50% mais um voto, segundo a legislação eleitoral. Após a anulação, o Congresso Nacional define a nova disputa, de acordo com informações do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Se depender da vontade dos militantes digitais, o movimento ganhará fôlego. Mais de 10 milhões de internautas navegaram em sites de relacionamentos em março passado, o que representa 74,7% dos internautas residenciais, de acordo com dados do Ibope eRatings.
No orkut, que abriga 70,18% de brasileiros, por exemplo, mais de 300 comunidades tratam do tema e discutem formas de ampliar a campanha, como a distribuição de panfletos e cartazes.

A maior delas, “Protesto! Voto NULO em 2006!”, conta com mais de 16 mil integrantes. Casos de corrupção que envolvem políticos justificam o movimento: “Não é jogar fora o voto, pelo contrário, é fortalecer a Democracia. Ou você acha que vivemos numa Democracia? Roubalheira, lobbies, nepotismo, acordões, favorecimentos, hipocrisia eleitoreira sem prestação de contas”, explica Roberto [VotNul] VOTO NULO 2006!, criador da página.

“Com opções ruins, votar no menos pior (sic) por obrigação é ir contra a democracia. O voto nulo também é legítimo como forma de protesto, não só para anular uma eleição, mas seu simples aumento já traduzirá em números a insatisfação e desconfiança no sistema, o que gera um clima mais propício às mudanças de fato que necessitamos há anos”, escreveu Roberto em seu perfil.

A campanha, apesar de legítima, não terá eficácia, de acordo com o cientista político João Augusto de Castro Neves, do Instituto Brasileiro de Estudos Políticos (Ibep). “A viabilidade política dessa campanha é muito reduzida porque o voto nulo não é a única forma de protesto. Algumas pessoas vão votar em branco e outras não irão votar, devem justificar. A diferença é que como o voto nulo não é contabilizado, ele reduz o universo de eleitores. Já o voto branco conta na somatória dos oponentes, mas não invalida a eleição”, explica.


O consultor político e professor titular da Universidade de São Paulo (USP), Gaudêncio Torquato, também duvida do sucesso da campanha: "Sabemos que no Brasil essas campanhas têm sido inócuas porque na hora do pleito os eleitores tomam posições em relação aos candidatos. Vale mais pelo simbolismo, porque é uma forma de expressar a indignação com o cenário político, mas não será suficiente para anular as eleições”, afirma.

João Neves diz que a falta de credibilidade das instituições políticas é um problema enfrentado por todas as democracias. "No Brasil, como o voto é obrigatório, as pessoas anulam ou votam em branco. Em democracias onde o voto é facultativo as pessoas não votam. Há uma apatia política. A falta de participação dos eleitores é um desafio muito grande discutido nos Estados Unidos e França, por exemplo", explica.

O movimento é uma reação à série de escândalos envolvendo o governo, acredita o escritor Carlos Santiago Fontoura, 26. “Esse tipo de campanha é mais do que uma descrença na política brasileira, é algo muito específico relacionado à decepção com o partido”, afirma.

“Uma série de fatos que veio à tona e acabou comprometendo a imagem do PT . Os escândalos trouxeram de volta a falta de rumo por parte da sociedade, que parte para a idéia de que ´político é tudo ladrão`”, acrescenta.

Fontoura nunca votou nulo, mas pretende não votar em nenhum dos candidatos no próximo pleito. “Já há algum tempo não creio na via partidária como um meio de mudança ou representação da sociedade”, justifica.

O advogado Guilherme Menezes, 23, ainda está indeciso. “Conforme as opções, anulo. Não dá pra votar na reeleição de uma estrutura de poder que não é confiável, mas também não é possível escolher uma estrutura de poder já conhecida e que também não é confiável”, diz.

Apesar de considerar a hipótese de invalidar o voto em outubro, Menezes é contra a campanha. “Anular é o último recurso, a opção do desespero. Acho mais importante que a população conheça seus direitos e cobre a execução de um governo com moralidade na administração e eficiência na prestação do serviço público”, argumenta.

Nem todos, no entanto, aprovam a idéia. É o caso do estudante de administração João Gabriel Cabral, 22, que recebeu o e-mail da campanha há cerca de um mês. “Acho uma bobagem. Eles não vão conseguir atingir a população em grande escala. Com o voto nulo você abre mão do seu direito e deixa para outras pessoas decidirem o futuro do país”, afirma.

O também universitário Daniel Brito, 22, concorda com o colega. “Prefiro escolher o meu candidato. É melhor do que anular o voto e deixar a oportunidade da escolha para outras pessoas que não têm acesso a informações. Para quem pensa em anular, é melhor lutar pelo voto facultativo”, sugere.

Fonte: A Tarde, da Bahia

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Denúncias contra petistas e tucanos

Eleições 2006/Presidência: Sob Lula, doações ao Instituto Cidadania atingem R$ 2,5 mi

Outro lado: Instituto afirma que trabalho está normal

Eleições 2006/Presidência: Nossa Caixa beneficiou tucanos em 2004

Outro lado: Envolvidos descartam ingerência partidária em publicidade oficial

 
Clique nas frases sublinhadas e leia as matérias da Folha de São Paulo.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 

Criminosos atacam oito agências bancárias na madrugada

Também foram alvo de ataques: uma estação de metrô, uma casa e 40 ônibus

São Paulo - Depois das instalações policiais e dos ônibus, as agências bancárias viraram o alvo principal da ofensiva dos criminosos no Estado de São Paulo, deflagrada na última sexta-feira, dia 12. Nesta madrugada oito agências foram atacadas, sendo uma na Zona Leste e sete na Zona Sul. Também não escaparam dois postos da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), uma residência e uma estação de metrô, que foram atingidas por bandidos com tiros e coquetéis Molotov.

Criminosos lançaram coquetéis em duas agências, uma do Itaú e outra do Bradesco, na rua Vicente Pinzon, na Vila Olímpia, Zona Sul da capital, mas nesta agência o coquetel não explodiu. Ao verem o vigia do Santander espiar, deram seis tiros, mas não o acertaram. A polícia permanecerá no local até o fim do trabalho da perícia.

Outras duas agências no bairro do Ipiranga também foram incendiadas, o Banco do Brasil na rua Bom Pastor, que está com o vidro da fachada quebrado; e o Unibanco, na avenida Nazaré, onde os criminosos quebraram o vidro de trás da agência e lançaram bombas de coquetel Molotov.

A Polícia Militar recebeu informação de que ocupantes de um veículo dispararam uma rajada de metralhadora na fachada de uma agência do Banco do Brasil na esquina das ruas São João Clímaco e São Silvério, no bairro de São João Clímaco, também na Zona Sul.

A agência do Banco do Brasil da avenida Campanella, em Itaquera também foi baleada. Anteriormente, por volta das 21 horas, o ataque foi em uma agência bancária, na rua do Tesouro, próximo ao Largo de Taboão, região central do município. Uma bomba incendiária foi jogada na frente do prédio. Não houve feridos.

Leia aqui a matéria da Agência Estado.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Terror em São Paulo

A onda de violência em São Paulo atingiu nesta noite agências bancárias na Grande São Paulo. Criminosos lançaram coquetéis Molotov em duas agências bancárias, uma do Itaú e outra do Bradesco, na alameda Vicente Pinzon, na Vila Olímpia, Zona Sul da capital. Outras duas agências no bairro do Ipiranga também foram incendiadas, o Banco do Brasil na rua Bom Pastor e o Unibanco, na avenida Nazaré. Segundo a rádio CBN, pelo menos oito agências bancárias foram metralhadas. A casa de um capitão da Polícia Militar também foi atacada na madrugada desta segunda-feira. Os 115 ataques do PCC já mataram 77 pessoas desde a noite de sexta-feira. Ocorreram rebeliões em 82 presídios do Estado, das quais 46 continuam em andamento. Foram presos 82 delinqüentes, que participaram dos atos de vandalismo. Com eles, 97 armas foram apreendidas. Pelo menos 60 ônibus haviam sido incendiados até a madrugada desta segunda-feira (somando-se capital e região da Grande São Paulo). Criminosos armados invadiram a estação Artur Alvim do metrô, e metralharam a bilheteria por volta da meia-noite. Ninguém ficou ferido. Quatro empresas de ônibus, que operam na Zona Sul da capital paulista, não estão operando nesta manhã devido à falta de segurança. As quatro linhas do metrô estão funcionando normalmente. O delegado Godofredo Bittencourt, chefe do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado, informou na noite deste domingo que as tropas de elite da polícia paulista estão prontas para ir às ruas. A Rota e a Tropa de Choque já estão a postos para iniciar as ações.

Fonte: Primeira Leitura

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 07h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Manchetes de segunda-feira – 15 de maio

 

Folha de São Paulo – PCC faz mais de 150 atentados e provoca 80 motins; 74 morrem

 

O Estado de São Paulo – PCC ataca alvos civis e queima 34 ônibus no Capital. Guerra faz 77 mortos

 

O Globo – Mortos em SP já são 72 e presos se rebelam em mais dois estados

 

Correio Braziliense – PCC espalha o terror em São Paulo

 

Zero Hora – O terror nas ruas  

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 05h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Para advogado do PCC, força policial não vai deter ataques

Por Marcos de Moura e Souza

SÃO PAULO (Reuters) - Demonstrações de força da polícia e do governo de São Paulo serão insuficientes para deter a onda de violência liderada neste fim de semana pelo PCC, organização criminosa que age nos presídios, disse neste domingo o advogado Anselmo Neves Maia, que defende integrantes do grupo.

"Nunca, pode esquecer, é insano imaginar que isso funcione", disse Maia à Reuters, ao ser perguntado se acredita que ao reagir usando força policial o governo controlaria as últimas ações do PCC.

"É o mesmo que alguém querem afinar o nariz apertando-o com os dedos", acrescentou ele.

Maia --que é advogado de alguns integrantes do PCC e se diz "amigo" do principal líder do grupo, Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola-- considera que as ações são uma "reação natural" dos presos às condições das detenções do Estado, e que seria preciso mais investimentos em áreas sociais para diminuir a pobreza e a criminalidade.

"Esses casos têm origem na miséria e no descaso com os pobres, com falta de investimento em educação, saúde. E tem origem também no tratamento que os presos recebem", disse Maia. "Isso é o combustível dessas ações."

Para ele, se a polícia usar apenas a força, o risco é de um "aumento da tensão". O governador de São Paulo, Cláudio Lembo, já disse que o governo vai reagir e que "não vai se dobrar ao crime".

A Secretária de Segurança Pública diz que os ataques do PCC são uma reação à transferência de centenas de presos para unidades afastadas e mais rigorosas. Desde sexta-feira, mais de 50 pessoas foram mortas em ataques a bases da polícia em todo o Estado. Entre os mortos estão policiais, civis e agressores. Rebeliões também atingem dezenas de presídios.

Maia foi preso em 2002 acusado de formação de quadrilha juntamente com membros do PCC. Ficou no presídio de segurança máxima de Taubaté. Ele era candidato à deputado federal pelo PMN e uma de suas plataformas de campanha era dar aos presos direito ao voto.

Embora conheça presos ligadas à organização criminosa, o advogado diz que se surpreeendeu com a escala das ações e que não está de acordo com elas. Mas lançou dúvidas sobre se todos os ataques realmente foram desfechados pelo PCC.

"Sinceramente, me causa estranheza o ataque ao Corpo de Bombeiros", disse ele, sugerindo que o ataque possa ter sido forjado para criar um clima de mais temor na sociedade.

Fonte: Agência Reuters

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 19h40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O mandante dos ataques à polícia paulista

Foto: JOEDSON ALVES/AGÊNCIA ESTADO/AE

O personagem da foto é Marcos Camacho, vulgo Marcola o responsável pelos trágicos acontecimentos que enlutam São Paulo desde a madrugada de sábado.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 12h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Renda de Delúbio é um mistério

Soraya Aggege eJailton de Carvalho

SÃO PAULO. Um ano depois do início da crise política, o ex-tesoureiro nacional do PT Delúbio Soares vive num apartamento do Centro de São Paulo, que teria sido emprestado pelos pais da mulher, Mônica Valente, também ex-dirigente do partido. Delúbio mudou-se dos Jardins para o bairro da Consolação, no Centro. Com seu carro de vidros pretos, entra e sai pela garagem sem que os vizinhos o vejam. No prédio os apartamentos custam de R$ 200 mil a R$ 300 mil.

Delúbio tem dito a amigos que fez um grande sacrifício pelo partido. Não admite que errou e sonha voltar para a política pelas mãos do próprio PT.

Para dirigentes petistas, o nome de Delúbio virou sinônimo de tragédia e tabu no PT. Ninguém explica como o ex-tesoureiro pode ainda pagar seus advogados, cujos custos já chegariam a R$ 1 milhão.

— O PT não está pagando os advogados. Ele deve dar os seus “pulos” — diz o secretário nacional de Comunicação do PT, Francisco Campos.

Mas a renda de Delúbio continua um mistério. A mulher está lotada na primeira-secretaria da Assembléia Legislativa e ganharia R$ 3 mil.

O ex-tesoureiro responde a dois processos, um cível e outro penal, na Justiça de Goiânia, por ter recebido por anos salário de professor estadual sem trabalhar. Mas a acusação mais pesada está no Supremo Tribunal Federal, onde é um da lista de 40 chefes do que o procurador-geral, Antônio Fernando de Souza, chamou de organização criminosa.

Fonte: O Globo

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 11h32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Sobe para 52 o número de mortos na onda de violência em São Paulo

São Paulo – A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo divulgou um novo balanço sobre a onda de violência contra a polícia do estado, na manhã deste domingo. Novos ataques a unidades policiais ocorreram durante a madrugada e aumentaram para 52 o número de mortos. Entre eles, 35 funcionários da segurança pública, como policiais militares, civis, guardas municipais e agentes penitenciários. Três civis também morreram, além de 14 suspeitos de fazer parte da onda de violência.

O governo de São Paulo também registra 36 rebeliões em presídios até esta manhã. Desde a madrugada, já foram registradas 19 rebeliões. Entre elas, nos municípios de São Bernardo do Campo, São José dos Campos, Hortolândia, Marília, e Casa Branca. Os ataques e as rebeliões são atribuídos à organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Desde o início dos conflitos, 100 ataques já foram registrados. A maior parte no interior do estado. De acordo com governo do estado, em comunicado divulgado em seu portal de internet, "os ataques contra as instalações públicas foram motivados pela transferência de 765 líderes de facções criminosas para o presídio em Presidente Venceslau, interior do Estado. O objetivo das transferências é o de isolar membros de facções criminosas".

Neste sábado, o Ministério da Justiça divulgou nota para afirmar que acompanha situação dos ataques atribuídos ao Primeiro Comando da Capital (PCC). Segundo a assessoria, o ministro Márcio Thomaz Bastos conversou pelo telefone com o governador Cláudio Lembo e colocou a Polícia Federal e todos os órgãos do Ministério da Justiça à disposição para colaborar com o governo na solução do problema.

Fonte: O Dia Online

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 11h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Segundo Ministério Público, recursos escondidos seriam entregues por petista a assessor do BNB, para favorecer consórcio STN

Dinheiro na cueca é propina, diz Procuradoria

KAMILA FERNANDES
DA AGÊNCIA FOLHA, EM FORTALEZA

O Ministério Público Federal no Ceará constatou dezenas de ligações telefônicas entre o então assessor especial do BNB (Banco do Nordeste do Brasil), Kennedy Moura, e um dos diretores da empresa Alusa, Marcelo Tosto, nas cinco vezes em que o ex-dirigente do PT cearense José Adalberto Vieira da Silva viajou a São Paulo.
Na última delas, em julho, Adalberto foi preso no aeroporto, ao tentar embarcar para Fortaleza com US$ 100 mil escondidos na cueca e R$ 200 mil numa bolsa.

Leia aqui a matéria da Folha de São Paulo.

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ARROGÂNCIA

Convocado para uma conversa com o delegado Godofredo Bittencourt, Marcola, líder do PCC, provocou: "Eu posso entrar numa delegacia e matar policiais. Vocês não podem entrar no presídio para me matar."

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Continuam os ataques do PCC: já são 36 mortos e 73 ataques

Os mortos nos atentados são 27 policiais, 8 criminosos e um civil; 28 pessoas ficaram feridas. A polícia prendeu 17 suspeitos

Equipe Grupo Estado*

São Paulo - Chegou a 36 o número de mortos em conseqüência dos ataques organizados pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) contra instalações policiais no Estado de São Paulo. Na madrugada deste domingo, 14, os criminosos fizeram novos atentados, totalizando 73 ações desde a noite de sexta-feira.

Os mortos nos atentados são 27 policiais, oito criminosos e um civil; 28 pessoas ficaram feridas. A polícia prendeu 17 suspeitos.

Além disso, 18 unidades prisionais, entre penitenciárias e centros de detenção, continuavam dominados por presos rebelados, também sob a articulação do PCC. Desde sexta-feira 25 unidades em 24 municípios foram tomadas por motins.

Ao todo, 24.472 detentos se rebelaram e fizeram 174 reféns. Também centenas de parentes que visitavam os presos foram retidos. Nas sete unidades onde os motins foram controlados, 44 reféns foram soltos.

Ataques

A morte mais recente é de um criminoso, ainda não identificado, morto numa travessa da avenida Mandaqui nesta madrugada. Segundo a polícia, o rapaz tinha participado, minutos antes, de uma ataque ao Fórum de Santana, na avenida Engenheiro Caetano Álvares, Zona Norte.

O atentado ao fórum aconteceu às 2h30. De acordo com testemunhas, quatro criminosos passaram num carro claro e dispararam pelo menos 10 vezes. Pouco depois, a equipe do sargento Deoclécio Onofre, do 18 Batalhão, cruzou com um Fiesta branco, em alta velocidade. A perseguição iniciou-se na avenida Casa Verde e terminou na rua Josefina Gonçalves. "Lá o criminoso que dirigia perdeu o controle e bateu. O outro desceu atirando e nós revidamos", afirmou o sargento. Antes de morrer, o criminoso foi levado para o pronto-socorro da Vila Nova Cachoeirinha.

Com o acusado foi apreendido uma pistola calibre 380, com a inscrição "PCC" de um lado do cabo e "1533", o número da facção, do outro. No Fiesta, a polícia achou outra bomba de efeito moral, também com a inscrição "1533". O homem que dirigia o Fiesta conseguiu escapar. Segundo testemunhas, ele correu até a ponte do Limão, onde rendeu um taxista, roubou-lhe o carro e sumiu.

Um pouco antes, às 1h30, três criminosos, todos sem identificação,foram mortos pela Rota. De acordo com a Rota, os criminosos morreram a caminho do pronto-socorro de Itapecerica da Serra depois de uma troca de tiros. O bando é acusado de participar de um ataque à base da Polícia Rodoviária Federal do quilômetro 285 da Régis.

* Chico Siqueira, José Ângelo Santilli, Zuleide de Barros, Solange Spigliatti, Márcia Furlan, Marcelo Godoy, Rita Magalhães, Mauro Mug, Patrícia Junqueira, David Moisés, Josmar Josino e Álvaro Magalhães

Leia aqui a matéria do Estadão Online

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 10h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Duros Ataques a Renan e Sarney

O presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), e o senador José Sarney (MA) foram os principais alvos dos defensores da candidatura própria do PMDB. Aliados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, eles não assistiram a nenhum dos discursos e passaram toda a convenção do partido fechados no gabinete da presidência do Senado, montando a estratégia de contra-ataque ao ex-governador Anthony Garotinho, pré-candidato ao Palácio do Planalto. O objetivo era minimizar a liminar concedida pela Justiça, tornando sem eficácia os “supostos efeitos” da convenção.

O primeiro ataque, no qual ficou explícito o clima de confronto entre a cúpula do PMDB e Garotinho, veio do próprio ex-governador. Ao discursar na convenção, ele cobrou diretamente a presença de Renan e Sarney, que não ouviram suas críticas aos articuladores contra a tese da candidatura própria. “Eles fugiram”, provocou um militante da sua claque. Garotinho acusou também Renan de, como presidente do Senado, ter mandado a polícia barrar a entrada de sua torcida no auditório onde se realizou a convenção. “É pena que não esteja aqui o autor desta vergonha”, fustigou.

Já o ex-presidente Itamar Franco, também pré-candidato, optou por um discurso menos agressivo em defesa da candidatura própria. “Neste vácuo político, o PMDB não pode ficar sem candidato”, disse. Ele lembrou a história do partido, que já teve tempos mais gloriosos, e citou vultos ilustres da legenda, como Ulysses Guimarães e Tancredo Neves. Apesar do tom mais moderado, Itamar se lamentou: “Já fui vítima do PMDB.”

Quem também bateu pesado na dupla formada por Renan e Sarney foi o senador Pedro Simon (RS). Por quase 30 minutos, ele afirmou que os dois têm mais cargos no governo Lula do que o próprio líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP). Ao abrir seu pronunciamento, Simon provocou: “Que coisa estranha.Estamos no mesmo auditório, no encontro do mesmo partido. Mas essa gente aqui não tem nada com aquela.” Ao falar da gestão de Lula, Simon afirmou: “Neste país, parece que a corrupção é a regra e não ser corrupto é vergonha.” Saiu aplaudido.

Fonte: Correio Braziliense

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Operação sanguessuga

Clique nas setas e saiba tudo sobre os sanguessugas

Os reis das ambulâncias
Três dos deputados que mais distribuíram ambulâncias com recursos do Orçamento da União estão excluídos da investigação da Câmara, embora tenham sido citados em uma lista preliminar da Justiça Federal  

Máfia vendia ônibus velhos para prefeituras
Dinheiro de emendas destinado a vans novas era usado na compra de veículos com documentação irregular  

Deputados aparecem em livro-caixa
Perícia da PF em documentos da Planam indica pagamento de R$ 73 mil a parlamentares  

Fonte: Correio Braziliense

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

INFORMAÇÃO e OPINIÃO -IOCM- !
ex-Blog do Cesar Maia     
14/05/2006

# EXTORSÃO DO PT AO OPPORTUNITY !

Veja: Diogo Mainardi, que garante no final, que o Opportuniy pagou.
Entrevista com Dantas. Passei quatro horas no escritório de Daniel Dantas, no Rio. No fim, arranquei dele meia hora de entrevista. Vale sobretudo como registro histórico. Lendo com cuidado, dá para ver o instante exato em que o Brasil acabou.

O PT PEDIU PROPINA AO OPPORTUNITY?
O que houve foi uma sugestão de que, se déssemos uma quantia expressiva ao partido, eles poderiam nos ajudar a resolver as dificuldades que estávamos tendo com o governo.

ENTÃO FOI PIOR DO QUE PROPINA: FOI EXTORSÃO. QUEM PEDIU O DINHEIRO?
Delúbio Soares.

QUAL A QUANTIA?
Entre 40 e 50 milhões de dólares. Era a necessidade de recursos que eles tinham. E Delúbio queria saber se poderíamos ajudá-los.

A QUEM FOI FEITO O PEDIDO?
A Carlos Rodenburg, que na época (julho de 2003) trabalhava conosco.

MARCOS VALÉRIO PARTICIPOU DO ENCONTRO?
Foi ele que marcou. Mas não estava presente quando foi feito o pedido.


# Ô LULA, Ô DIRCEU, Ô PALOCCI, Ô GUSHIKEN,.....DAS DUAS UMA: OU VOCES INTERPELAM O DANIEL DANTAS E EXIGEM A DEMONSTRAÇÃO DAS CONTAS, NO EXTERIOR, OU OFENDER OS JORNALISTAS DA VEJA É SE ESCONDER ATRÁS DA CULPA ! Ô LULA: INTERPELE HOJE MESMO !!! QUANTO AOS PRESENTES DE DONA MARISA, MAIS FÁCIL É ABRIR OS CARTÕES DE CRÉDITO DO PALÁCIO DO PLANALTO !
As contas no exterior da cúpula do PT na Veja !

Reportagem de Veja é “uma mentira”, diz Lula

13/05/2006
14h33-O presidente Luiz Inácio Lula da Silva respondeu neste sábado à dossiê divulgado pela revista Veja na qual ele e colaboradores de seu governo são acusados de manter contas secretas no exterior.

“A Veja não traz uma denúncia. A Veja traz uma mentira. Se tivessem me avisado antes que eu tinha 38 mil euros, eu teria comprado um presente para a dona Marisa. Vamos ser francos, a Veja tem alguns jornalistas que estão merecendo o prêmio Nobel de irresponsabilidade. Eu só posso considerar isso um crime praticado por um jornalista ou por uma revista.
Eu não posso comparar isso a jornalismo.”


# VEJA RESPONDE A LULA LEMBRANDO-O COMO O ALI BABÁ BABÁ !
Folha de SP. Três pontos da resposta da Veja.

3) Houvesse o presidente Lula lido a reportagem, teria percebido que se trata de um trabalho de investigação jornalística sobre as atividades do banqueiro Daniel Dantas, com o qual seu governo mantém uma relação tão conflituosa quanto incestuosa -relação que vem sendo objeto de reportagens de diversos veículos de comunicação.

4) O presidente disse que o autor da reportagem poderia ser chamado de "bandido e malfeitor". Disso Lula entende. Nada menos do que quarenta de seus companheiros mais próximos foram descritos pelo procurador-geral da República como integrantes de uma "quadrilha".

5) A reportagem em questão é fruto de seis meses de investigação. A divulgação do resultado do trabalho de apuração, como a própria reportagem ressalta, foi feita justamente para evitar o uso das supostas contas como elemento de chantagem


# REPÚBLICA DA LARANJA! ONGODUTO NÃO TEM FIM! MAIS DESVIOS DOS GAROTINHOS! MAIS SUPERFATURAMENTO!

Folha de SP.
Governo do Rio gasta R$ 12,6 mi em projeto sem licitação

O governo de Rosinha Matheus (PMDB) no Estado do Rio gastou R$ 12,6 milhões em um projeto de informatização com indícios de superfaturamento. Para informatizar 17 farmácias populares, o Estado gastou quase três vezes o valor usado para equipar 212 laboratórios de computação de escolas. (...)

A média de gastos sob as rubricas de “projetos de informatização” e “implementação do sistema de informática” consumiram em média R$ 760 mil por farmácia. Cada possui de 6 a 12 computadores, como a Folha constatou ao visitar quatro das 19 unidades. O Farmácia Popular — projeto do Instituto Vital Brazil, da Secretaria de Saúde — é um dos carros-chefes do governo Rosinha, mulher do pré-candidato à Presidência, Anthony Garotinho.

Os contratos, sem licitação, foram feitos pela Fesp (Fundação Escola de Serviço Público) com a ONG Idetec (Instituto de Desenvolvimento Tecnológico do Rio), entidade com endereço na cidade de Aperibé, e que recebeu R$ 14,5 milhões da Fesp desde 2004, mostram dados do Siafem (Sistema de Administração Financeira para Estados e Municípios).


# DEPOIS DE TANTA....................LARANJA, NÃO PODERIAM FALTAR AS FRALDAS!
Superfaturamento de 10 milhões de reais em 17 milhões de fraldas, é investigado pelo TCE !

Folha de SP.
Compra de 17 milhões de fraldas é investigada

O mesmo modelo de fralda geriátrica comprado pelo governo Rosinha Matheus (PMDB) neste ano por R$ 0,88 a unidade foi adquirido no ano passado pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) por apenas R$ 0,27. Ou seja, o Estado do Rio pagou mais do triplo, 226% a mais do que o governo federal, por um mesmo produto.

O TCE (Tribunal de Contas do Estado) investiga se houve superfaturamento na compra de um lote de 17 milhões de fraldas pelo Instituto Vital Brazil, do Estado. O produto é vendido pela Aloés Indústria e Comércio Limitada. Preside a Aloés o pastor Altomir Régis da Cunha, vice-presidente da Adhonep (Associação dos Homens de Negócio do Evangelho Pleno), entidade evangélica a que é ligado o marido de Rosinha, Anthony Garotinho, pré-candidato à Presidência pelo PMDB.


# GAROTINHO EM AUTO-CRÍTICA PUBLICA LEMBRANDO-SE DO PROPINODUTO, DO ONGODUTO, DA PRECE, DO FUNARO, DA MÁFIAS NOS COMBUSTÍVEIS, DAS FRALDAS NEM TÃO EVANGÉLICAS ASSIM, ETC...
Candidatura do senador -ex-presidente da ALERJ com Garotinho- Cabral, sofre abalo !

Folha-ON.
Governistas querem transformar o PMDB em "prostituta", diz Garotinho

O ex-governador Anthony Garotinho (PMDB) acusou hoje o grupo contrário à candidatura própria do PMDB ao Palácio do Planalto de tentar transformar o partido numa "prostituta". Em discurso na convenção extraordinária do PMDB, Garotinho considerou que se o partido não tiver representante na sucessão presidencial será "carimbado como um bando, uma quadrilha". O evento irá decidir se o PMDB terá ou não candidato à sucessão presidencial. "Nos convidam a virar uma prostituta. Num Estado, vamos nos unir aos 40 ladrões, no outro, aos vendilhões da pátria. O PMDB não é uma prostituta. Não pode ir para a cama com qualquer um, a não ser com o povo", disparou.

# HISTORIADOR JOSÉ MURILO DE CARVALHO EM ARTIGO NO GLOBO, DIZ QUE NO IMPÉRIO O BRASIL NÃO LEVAVA DESAFORO PARA CASA! E, PORTANTO, QUE COM LULA, LEVA. LINK ABAIXO. IMPERDÍVEL !

http://oglobo.globo.com/jornal/opiniao/247167462.asp


# REUNIÃO DE VIENA TERMINA COM TOTAL FRUSTRAÇÃO !
NO MÁXIMO,...UMA VALSA TRISTE !

EL PAIS.
Cumbre UE-Latinoamérica
La Europa paralizada chocó con la América dividida

Los países americanos se van de Viena con la idea de que la UE no se interesa por ellos, mientras que los europeos sostienen que nada se puede negociar con una región tan enfrentada entre sí

Una Europa paralizada por la malparada Constitución y una ampliación mal digerida se ha dado cita esta semana en Viena con una América Latina fracturada por corrientes políticas enfrentadas. Los latinoamericanos se van de la cumbre con la sensación de que Europa no muestra el suficiente interés por ellos, y la UE con la idea de que hasta que al otro lado del Atlántico no se pongan de acuerdo no habrá negociación política y comercial posible.
Pesquisa e Edição : JCM

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h31
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

VEJA responde ao presidente Lula 

Em nota distribuída a imprensa o diretor de redação de Veja rebate as afirmações do presidente Lula.  

"1) O presidente Lula não leu e não gostou do que não leu. Ainda assim reagiu intempestivamente à reportagem de "Veja". Insultou jornalistas e a publicação, uma atitude imprópria para um presidente da República. É imperioso ler antes de criticar.

2) "Veja" chegou ao posto de mais respeitada e lida revista brasileira e quarta revista semanal de informação do mundo pela qualidade de suas reportagens.

3) Houvesse o presidente Lula lido a reportagem, teria percebido que se trata de um trabalho de investigação jornalística sobre as atividades do banqueiro Daniel Dantas, com o qual seu governo mantém uma relação tão conflituosa quanto incestuosa -relação que vem sendo objeto de reportagens de diversos veículos de comunicação.

4) O presidente disse que o autor da reportagem poderia ser chamado de "bandido e malfeitor". Disso Lula entende. Nada menos do que quarenta de seus companheiros mais próximos foram descritos pelo procurador-geral da República como integrantes de uma "quadrilha".

5) A reportagem em questão é fruto de seis meses de investigação. A divulgação do resultado do trabalho de apuração, como a própria reportagem ressalta, foi feita justamente para evitar o uso das supostas contas como elemento de chantagem.

6) A revista, em sua reportagem, não afirma que a conta bancária atribuída ao presidente Lula é verdadeira. Também não diz que é falsa, por não dispor de meios suficientes para fazê-lo.

7) Para concluir, "Veja" reafirma seu compromisso com os leitores e com o Brasil de prosseguir em sua tarefa de fiscalizar o poder em todas as suas esferas, a fim de impedir que "sofisticadas organizações criminosas", para usar das palavras do procurador-geral da República, continuem a corroer a democracia brasileira.

Eurípedes Alcântara
Diretor de Redação

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Manchetes de domingo - 14 de maio

Jornal do Brasil - Jovens trocam aula por bingo

Folha de São Paulo - Ataques do PCC deixam 30 mortes

Estado de São Paulo - Guerra do PCC espalha terror e deixa 32 mortos

O Globo - Bandidos matam 30 em ataques à polícia de SP

Correio Braziliense - Dez deputados gastam R$ 13 mi em ambulâncias

 

Escrito por ou publicado por Chico Bruno às 09h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Meu perfil

BRASIL, Nordeste, LAURO DE FREITAS, Vilas do Atântico, Homem, de 56 a 65 anos, Portuguese, English, Política, Política
MSN -

Visitante número: